Isolar a Venezuela é mais um erro de Temer, denuncia Humberto no ParlaSul

Humberto: O Brasil tem de exercer a sua posição de liderança continental e conduzir um debate com todos os atores políticos da Venezuela.

Humberto: O Brasil tem de exercer a sua posição de liderança continental e conduzir um debate com todos os atores políticos da Venezuela.

Em Montevidéu, no Uruguai, onde representa o Brasil na 39º Reunião Plenária do Parlamento do Mercosul (ParlaSul), o senador Humberto Costa (PT-PE) teve uma reunião na noite dessa segunda-feira com parlamentares do bloco para discutir a situação da Venezuela. O consenso é de que é preciso investir no diálogo com o país vizinho para tentar debelar a crise que, entre outras coisas, tem levado ao desabastecimento, em prejuízo dos venezuelanos.

“O Brasil tem de exercer a sua posição de liderança continental e conduzir um debate com todos os atores políticos da Venezuela. Esse governo golpista e interino de Temer recebe a oposição venezuelana quase que às escondidas e se recusa a falar com o presidente Maduro. A falta de um diálogo claro e aberto prejudica as nossas relações, instiga a divisão no país e diminui o papel do Brasil”, avalia Humberto.

Durante esta terça-feira (21), o senador petista vai articular integrantes do ParlaSul para tentar aprovar uma resolução instando a abertura de canais de negociação entre os países do Mercosul com todas as forças políticas venezuelanas.

“Asfixiar a Venezuela para derrubar o presidente Nicolás Maduro é uma posição tão golpista quanto à brasileira. A América Latina tem de reagir a essa nova onda de deposição de governos legitimamente eleitos”, ponderou Humberto, que foi líder de Dilma no Senado.