Belo Horizonte

Caravana de Lula por Minas Gerais foi um estrondoso sucesso, comemora Humberto

Para Humberto, a população de Minas Gerais teve a oportunidade de conhecer melhor o projeto que Lula tem para fazer o Brasil voltar a crescer, com inclusão social. Foto: Roberto Stuckert Filho

Para Humberto, a população de Minas Gerais teve a oportunidade de conhecer melhor o projeto que Lula tem para fazer o Brasil voltar a crescer, com inclusão social. Foto: Roberto Stuckert Filho

 
Ao lado de Lula na noite dessa segunda-feira (30), durante ato de encerramento da caravana do ex-presidente por Minas Gerais, o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), viu todo o carinho prestado pelo povo mineiro ao maior líder político do país e afirmou que a volta dele à Presidência da República é uma das últimas esperanças dos eleitores para mudar o rumo assombroso que o país está tomando.

Direto da Praça da Estação, em Belo Horizonte, Humberto declarou que a mobilização popular vista, desde o último dia 23, nas 13 cidades por onde Lula passou no Estado, o segundo maior colégio eleitoral do país, foi semelhante à registrada em agosto e setembro no Nordeste, quando esteve em todas as unidades federadas da região. Ele planeja, para os próximos meses, viajar pelo Norte e pelo Sul do país.

“Lula já afirmou que, apesar de estar com 72 anos, está com a energia de uma pessoa de 30 anos. Estamos precisando disso, neste exato momento de crise e caos em que se encontra o país, consequência do golpe aplicado sobre a presidenta Dilma e da tenebrosa gestão de Michel Temer (PMDB)”, resumiu.

Para Humberto, a população de Minas Gerais teve a oportunidade de conhecer melhor o projeto que Lula tem para fazer o Brasil voltar a crescer, com inclusão social, e também o desmonte do Estado promovido pelo atual governo, que tem prejudicado milhões de brasileiros.

Segundo o parlamentar, é nítido que os eleitores não querem a continuidade das políticas que estão sendo executadas por Temer e seus aliados do PSDB, DEM e PPS. O senador garante que a memória do povo é viva e o que ele deseja é emprego, renda e maior qualidade de vida, justamente o foco de Lula.

“O governo e seus cúmplices destruíram a legislação trabalhista e, agora, querem destruir a Previdência. Além de cortarem programas sociais importantes como o Fies, o ProUni, o Minha Casa, Minha Vida e o Farmácia Popular, eles ainda atuam contra indígenas, quilombolas e agricultores familiares. Os cidadãos estão atentos a esses desmandos e querem mudanças”, afirmou.

O líder da Oposição lembrou que Lula mandou um recado claro ao povo mineiro, ao falar que em Minas Gerais “eles mataram e esquartejaram um alferes (Tiradentes) que queria a independência do país”. “Mesmo assim, a Independência foi declarada, tempos depois, porque mataram a carne, e não a ideia. Acontece o mesmo com Lula hoje: querem tirá-lo do jogo, mas há milhões de Lulas por aí”, comentou.

A caravana de Lula por Minas começou em Ipatinga, no dia 23 deste mês, e passou por Periquito, Governador Valadares, Teófilo Otoni, Itaobim, Itinga, Araçuaí, Salinas, Montes Claros, Bocaiuva, Diamantina e Cordisburgo, antes do seu encerramento, nessa segunda, em Belo Horizonte.

Após agressões em velório, Dutra receberá homenagem do Senado

Humberto relembrou a trajetória combativa de José Eduardo Dutra em favor dos direitos dos trabalhadores. Foto: Alessandro Dantas

Humberto relembrou a trajetória combativa de José Eduardo Dutra em favor dos direitos dos trabalhadores. Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT no Senado

 

Ex-senador pelo Estado de Sergipe e ex-líder do PT no Senado, José Eduardo Dutra – morto no último domingo (4), aos 58 anos, em decorrência de um câncer – será homenageado em sessão especial na Casa da qual fez parte. A proposta, subscrita por vários senadores, foi apresentada pelo atual líder do partido, Humberto Costa, que fez um discurso emocionado em plenário, na tarde dessa segunda-feira (5), depois de ter participado do velório do amigo em Belo Horizonte (MG).

Humberto relembrou a trajetória combativa de José Eduardo Dutra em favor dos direitos dos trabalhadores, desde suas origens sindicais no Sindicato dos Mineiros de Sergipe até a presidência nacional do PT. O líder do partido no Senado lamentou as manifestações de ódio havidas em frente ao local onde o corpo de Dutra era velado, “numa agressão aos valores humanos mais básicos, que não poupou nem a hora da morte”.

“É assustador ver o déficit civilizatório a que nossa sociedade está chegando: um momento em que amigos e familiares se despendem de um ente querido é brutalmente violado por ataques torpes e desnecessários”, afirmou Humberto. Panfletos apócrifos, nos quais estava escrito que “petista bom é petista morto”, foram lançados no local do velório de José Eduardo Dutra, onde esteve presente o ex-presidente Lula. Além desse material, outros panfletos com insultos à presidenta Dilma foram distribuídos e alguns manifestantes portando cartazes com dizeres como “Lula, o próximo é você” estiveram reunidos em frente ao local onde estava o corpo. A Polícia Federal está investigando as agressões.

Para Humberto, Dutra, que também foi o primeiro presidente da Petrobras do Governo Lula e presidente da BR Distribuidora, seguirá como inspiração ao PT e à militância na permanente batalha por fazer do Brasil um país melhor e socialmente mais justo.

“José Eduardo Dutra era um homem de enormes solidariedade, espírito de amizade e companheirismo, que raras vezes se encontra. Tinha uma generosidade inigualável. Era de uma simplicidade franciscana, uma pessoa absolutamente despojada de qualquer vaidade”, declarou Humberto, que chegou ao Congresso Nacional junto com Dutra em 1995. Ele, deputado federal; o líder sergipano, senador.

Na última segunda-feira, 28, Humberto tinha ido a Belo Horizonte, onde Dutra estava internado, para fazer uma visita ao amigo. “Não pude lhe dar um abraço ou trocar algumas palavras finais, dado o estágio avançado em que se encontrava a doença. Mas deixei com ele a minha fé de que o seu desenlace ocorresse em um clima de muita paz e trouxe de lá a esperança de que o seu exemplo de dedicação à vida pública pudesse inspirar novas gerações”, disse o senador.

A sessão especial do Senado em homenagem a José Eduardo Dutra deve ocorrer no mês que vem.

Humberto Costa defende financiamento público de campanhas com lista fechada

Líder do PT no Senado, Humberto Costa acredita que a reforma política poderá ser votada até julho.

O líder do PT e integrante a Comissão da Reforma Política do Senado Federal, Humberto Costa, participou nesta semana de reunião na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Ele fez um relato à Comissão Extraordinária que debate o assunto sobre as proposições apresentadas por sua Comissão. Do total, sete são propostas de emenda à Constituição (PEC) e quatro são projetos de lei do Senado (PLS).

Entre as PECs estão temas que suscitam polêmica, como a adoção de voto proporcional com lista fechada, o fim da reeleição para presidente, governadores e prefeitos e a possibilidade de candidaturas avulsas. Humberto Costa disse que há consenso quanto a mudança das datas de posse dos eleitos, para o fim da reeleição no Poder Executivo e das coligações nas eleições proporcionais, para a manutenção do voto obrigatório e para a redução do número de suplentes de senador (de dois para um).

 
Senador criticou a polêmica criada pela revista Veja:
“Eles não contribuíram para o debate”
 

Semanal – Em entrevista coletiva, ele comentou notícia veiculada pela revista Veja desta semana, intitulada “Uma proposta bolchevique para mudar o sistema eleitoral”, em que critica o PT e a adoção de eleição com lista fechada. Para ele, a notícia foi infeliz, porque não promover o debate. “A (revista) Veja faz uma defesa apaixonada de posição política”.

Senador Humberto lembrou que existe voto proporcional em lista fechada na Espanha e Portugal “e ao que me consta não são países comunistas, nem países onde temos ditaduras”, afirmou, lembrando que “o voto proporcional com lista fechada ou aberta existe em mais de 70 países no mundo. Aliás, os países mais democráticos têm esse tipo de sistema. Então, o debate que temos de fazer é avaliar para o Brasil o que é melhor”.

O senador do PT ponderou que existem vantagens num sistema e noutro. “O sistema atual com a lista aberta tem também suas qualidades. Tanto isso é verdadeiro que nós conseguimos eleger, por exemplo, a maioria da bancada da Câmara dos Deputados é do PT, um partido de esquerda. Este sistema para nós não é tão ruim. No Brasil temos alguns problemas que podem ser superados, mas podemos aperfeiçoá-lo”, disse.

Ao defender o voto proporcional em lista fechada, no entanto, o líder ressaltou mais vantagens: “a primeira delas é que vamos votar em projetos, propostas, idéias, e não mais nas pessoas. Segundo teremos campanhas mais baratas, não vamos ter cada um fazendo a sua campanha, mas uma campanha do partido. Terceiro é o sistema que melhor permite o financiamento público de campanha. E especialmente numa sociedade como a nossa, patrimonialista, onde termos uma oligarquização da política, assistencialismo, clientelismo, enfim, me parece medida importante para criar condições de igualdade para que todos possam se representar no parlamento. Eu diria que a minha principal resposta à Veja é que eles vão lá na Espanha, vão em Portugal e digam que o sistema lá é antidemocrático”.

Fonte: site do PT de MG.
Foto: Anamaria Rossi.

Senador Humberto Costa debate reforma política em BH nesta quinta

O senador pelo estado de Pernambuco, líder do PT e membro da Comissão da Reforma Política do Senado Federal Humberto Costa (PT) virá a Belo Horizonte no próximo dia 19 para debater a reforma política, apontando a posição do PT em relação aos debates que acontecem no Congresso Nacional. O debate acontecerá em uma Audiência Pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) às 14h.

“Acho importante iniciativas como esta. A Reforma Política é um tema que precisa ser debatido com toda a sociedade. Ela é essencial para o aperfeiçoamento da democracia no Brasil. O PT está nesta luta porque sabe o quanto a Reforma é importante para o País”, afirmou o senador sobre o convite para o debate.

O senador que virá a convite da Comissão Extraordinária de Acompanhamento da Reforma Política da ALMG, aponta a importância do PT na discussão sobre o tema. “A reforma política entra mais uma vez na pauta de debates do Congresso Nacional, mas agora com um componente novo e animador para quem espera mudanças reais no sistema político-eleitoral brasileiro. A novidade é que bandeiras desde sempre defendidas pelo PT, e muitas vezes satanizadas pelo senso comum, saíram do limbo das utopias e ganharam protagonismo no debate. Entre elas, os pilares da proposta do partido para o sistema políticoeleitoral brasileiro: financiamento público de campanha, voto proporcional em lista fechada e fidelidade partidária”, afirmou.

O senador Humberto Costa - Humberto iniciou a sua vida pública em 1975, ainda durante o período da Ditadura Militar. Foi um dos fundadores do PT em Pernambuco e tem sua trajetória política extremamente ligada a legenda. Humberto é ex-secretário das Cidades (2007/2010) do governo Eduardo Campos, ex-ministro da Saúde do Governo Lula (2003/2005) e ex-secretário de Saúde do Recife do governo João Paulo (2000/2003). O petista também já foi deputado federal (1994/1997), estadual (1990/1993) e até hoje ostenta o título de ter sido o vereador mais votado da história do Recife (2000). Em 2010, Humberto foi eleito o primeiro senador do PT de Pernambuco e na nova legislatura assumiu mais uma tarefa: ser o líder do partido na Casa Alta.

Fonte: Diretório Estadual do PT de Minas Gerais (www.ptmg.org.br).
Foto: Sérgio Figueirêdo.