Caruaru

Não vamos permitir que Bolsonaro retire direitos daqueles que mais precisam, afirma Humberto em Caruaru

Humberto: Precisamos de uma reforma mais ampla relativa à saúde mental e, principalmente, de investimentos nesta área que não pode ser deixada de lado pelo novo governo. Foto: Asscom HC

Humberto: Precisamos de uma reforma mais ampla relativa à saúde mental e, principalmente, de investimentos nesta área que não pode ser deixada de lado pelo novo governo. Foto: Asscom HC

 

O líder da Oposição ao governo Temer no Senado, Humberto Costa (PT-PE), disse nessa sexta-feira (23), em Caruaru, que a sociedade e os políticos precisam estar vigilantes para não permitir que ocorram perdas de direitos e conquistas a partir de janeiro, quando começa o governo de Jair Bolsonaro, particularmente na área de saúde. A afirmação foi feita durante o 5º Encontro da Rede Nacional Internúcleos da Luta Antimanicomial (RENILA), que ocorreu no Assentamento Normandia e reuniu militantes de todo o país.

“Nós não vamos permitir que um governo autoritário, como se anuncia o de Bolsonaro, retire direitos que conquistamos com muita luta nos últimos anos. Durante muito tempo, no Brasil, o atendimento às pessoas com transtornos mentais era algo que se limitava ao tratamento dado nos hospitais psiquiátricos. Esses pacientes sofriam com o isolamento social, com a perda de direitos individuais e com o profundo desrespeito à condição humana. Isto não pode se repetir”, pontuou Humberto.

Em 2017, o Governo Federal aprovou a reformulação da rede de atenção psicossocial que foi considerada por muitos especialistas um retrocesso. O papel dos hospitais psiquiátricos voltou a ser reforçado pela reforma. No encontro dessa sexta-feira, Humberto conversou com lideranças estaduais e colocou o mandato à disposição dos movimentos e contra qualquer tipo de retrocesso.

“Podem contar comigo para defender os interesses da saúde no Brasil. Precisamos de uma reforma mais ampla relativa à saúde mental e, principalmente, de investimentos nesta área que não pode ser deixada de lado pelo novo governo. Vamos cobrar, estaremos vigilantes, não admitiremos retrocessos”, assinalou Humberto.

No mesmo dia, em entrevista para a rádio COM FM, de Pelotas-RS, o senador fez uma cobrança pela unidade de diversos setores, no sentido de fiscalizar as necessidades no âmbito da saúde mental.

“Não apenas os profissionais de saúde, mas a sociedade com um todo, o Judiciário, o Ministério Público, todos devem estar articulados entre si para que possamos resistir a qualquer tentativa de retirada de direitos. Não podemos permitir que o Brasil regrida depois de nós termos proporcionado às pessoas que precisam uma atenção à saúde mental galgada no respeito, na cidadania e na manutenção dos direitos”, disse o senador.

O 5º Encontro Nacional da RENILA seguiu com atividades durante todo o dia e terá neste sábado (24) o seu encerramento.

Em Caruaru, Humberto diz que Haddad vai virar eleição e ganhar do “soldadinho de araque”

Em discurso para o povo na rua em Caruaru, no Agreste do Estado, o senador lembrou que, mesmo faltando pouco tempo, as pesquisas de intenção de voto já estão mostrando uma subida de Haddad e uma queda de Bolsonaro, que disparou em rejeição no eleitorado.

Em discurso para o povo na rua em Caruaru, no Agreste do Estado, o senador lembrou que, mesmo faltando pouco tempo, as pesquisas de intenção de voto já estão mostrando uma subida de Haddad e uma queda de Bolsonaro, que disparou em rejeição no eleitorado.

Reeleito com mais de 1,7 milhão de votos em Pernambuco, o líder da Oposição ao governo Temer no Senado, Humberto Costa (PT-PE), afirmou, nesta quarta-feira (24), que está sentindo um movimento de virada eleitoral nesta reta final de campanha que levará Fernando Haddad à vitória no domingo contra o “soldadinho de araque picareta”.

Em discurso para o povo na rua em Caruaru, no Agreste do Estado, o senador lembrou que, mesmo faltando pouco tempo, as pesquisas de intenção de voto já estão mostrando uma subida de Haddad e uma queda de Bolsonaro, que disparou em rejeição no eleitorado.

“Tenho certeza que o brasileiro vai votar com consciência, para garantir um país no futuro sem discriminação às mulheres, aos negros e aos gays. O povo nordestino vai impedir que esse monstro despreparado saia vitorioso nas urnas. Aqui, ele não passará”, disse.

Humberto ressaltou que Bolsonaro já fez diversos ataques aos nordestinos, principalmente às mulheres, e que o deputado considera a região como uma fábrica de fazer filhos para ganhar o Bolsa Família.

“A mulher nordestina, atacada por Bolsonaro, não vota num cara desse. Quem puxa o desenvolvimento do Brasil é o Nordeste. Não queremos ser tratados como coitadinhos, como ele disse ontem. Queremos somente o nosso direito e nossas oportunidades”, disparou.

O parlamentar também criticou uma das principais propostas do adversário de Haddad, que é a defesa do armamento. Segundo Humberto, não é possível votar em uma pessoa que acha que vai resolver o problema da segurança pública do país distribuindo armamento e falando em tortura e mortes.

“Nós não queremos garantir uma arma para cada cidadão. Nós queremos garantir um emprego para cada brasileiro e brasileira e uma vida melhor para todos, sem ódio, preconceito e violência”, declarou.

Humberto, que foi deputado federal entre 1995 e 1999, lembrou que Bolsonaro era considerado um parlamentar folclórico pela quantidade de besteira que pronunciava quando abria a boca. Para o líder da Oposição, o capitão reformado, que é deputado há 28 anos, não pode ser considerado alguém novo e que vai combater o sistema.

“Ele nunca apresentou e aprovou um único projeto em benefício do povo. Nas vezes em que discursava, era pior: só defendia a tortura, a ditadura e votava contra a população. Ninguém nunca levou a sério as asneiras que falava. Agora, aparece como salvador da pátria. Isso não existe”, alfinetou.

O senador ainda criticou o fato de ele fugir dos debates, escondendo dos eleitores o que realmente pensa sobre a educação, a saúde e o mercado de trabalho no país. “Como vamos dar um voto a um cidadão vazio, que foge do confronto e, quando abre a boca, só sai coisa ruim? É hora de viramos esse jogo votando no melhor ministro da Educação que este país já teve”, disse.

“Não há rombo na Previdência”, diz ex-ministro

Gabas: Esse projeto de Reforma da Previdência é ruim para todo mundo. Não pode passar porque ela é cruel com toda a sociedade. Foto: Assessoria de Comunicação

Gabas: Esse projeto de Reforma da Previdência é ruim para todo mundo. Não pode passar porque ela é cruel com toda a sociedade. Foto: Assessoria de Comunicação

 

Em debate organizado pelo líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT), ontem, no Recife, o ex-ministro Carlos Gabas, criticou o projeto de Reforma da Previdência proposto pelo governo de Michel Temer (PMDB). Segundo ele. O governo vem “maquiando números” para defender mudanças que são “brutais e excludentes”.

“O governo faz uma confusão proposital dos números para dizer que estamos quebrados. Mas a verdade é que a Previdência não é deficitária. Podemos afirmar com muita certeza: a dificuldade apresentada hoje é conjuntural e não estrutural. E você não ataca um deficit conjuntural não indo na raiz do problema, que é a crise econômica”, disse Carlos Gabas, que estará nesta sexta-feira (24), às 10h, em Caruaru, no Agreste do Estado, também a convite do senador Humberto Costa, na sede da Acic (Associação Comercial e Empresarial de Caruaru) para falar sobre o projeto. O evento tem entrada franca.

Gabas disse, ainda, que a proposta não foi debatida com a população e pode gerar impactos econômicos ainda mais graves para um país em crise: “Esse projeto de Reforma da Previdência é ruim para todo mundo. Não pode passar porque ela é cruel com toda a sociedade. Tem que ser retirado. Não podemos ficar apresentando emenda. Tem que ser rejeitado na íntegra”. A proposta está tramitando na Câmara dos Deputados e, se aprovada, segue para o Senado Federal.

Segundo o senador Humberto Costa, o descontentamento com o projeto vem crescendo e a mobilização da sociedade contra a proposta é fundamental. “Na medida em que a população vem tomando conhecimento sobre a Reforma de Temer, aumenta também a sua rejeição . Por isso, é fundamental trazer essas informações para a sociedade. Só com a mobilização de todos vamos conseguir enterrar de vez esse projeto que é extremamente danoso para a população brasileira”, afirmou.

Ex-ministro Carlos Gabas vem a Pernambuco debater a Reforma da Previdência

Humberto: Temos que discutir esse modelo que está sendo apresentado pelo governo, que penaliza o trabalhador e que vai afetar duramente a vida de milhões de brasileiros.  Foto: Rafael Carlota/ Assessoria de Comunicação

Humberto: Temos que discutir esse modelo que está sendo apresentado pelo governo, que penaliza o trabalhador e que vai afetar duramente a vida de milhões de brasileiros. Foto: Rafael Carlota/ Assessoria de Comunicação

Prevista para ser votada ainda no primeiro semestre de 2017 pelo Congresso Nacional, a Reforma da Previdência proposta pelo governo de Michel Temer (PMDB) será tema de debate em Pernambuco. Dois eventos, um em Recife e outro em Caruaru, serão realizados com a presença do ex-ministro dos governos de Lula e Dilma e especialista em Gestão de Sistemas de Seguridade Social, Carlos Gabas. A visita de Gabas está sendo organizada pelo gabinete senador e líder do PT no Senado, Humberto Costa.

Os encontros, que têm como mote “O que temer com a Reforma da Previdência”, acontecem em Recife, nesta quinta-feira (23), e em Caruaru (24), ambos com entrada franca. No Recife, o evento será no Sindsep, na Boa Vista, às 17h. A o evento ocorre na sede da Associação Comercial e Empresarial de Caruaru (Acic), às 10h.

Segundo Humberto, é fundamental ampliar o debate sobre a reforma proposta por Temer. “Temos que discutir esse modelo que está sendo apresentado pelo governo, que penaliza o trabalhador e que vai afetar duramente a vida de milhões de brasileiros”, afirmou.

Entre as mudanças propostas pela gestão peemedebista está a de alteração na idade mínima necessária para a aposentadoria, que hoje é de 55 anos para mulher e de 60 para homens. O novo projeto, por sua vez, determina que a idade seja maior, 65 anos, e igual para homens e mulheres. O tempo mínimo de contribuição também vai saltar de 15 anos para 25 anos.

O trabalhador também precisará contribuir 49 anos para assegurar o recebimento de 100% da aposentadoria, já que o tempo mínimo de 25 anos dará apenas direito a 76% do cálculo do benefício. Outra alteração é com relação à desvinculação do valor das pensões por morte do valor do salário mínimo. Somente com a desvinculação, cerca de quatro milhões de pessoas serão afetadas.

O projeto de Reforma da Previdência está sendo debatido na Câmara dos Deputados. Depois, a matéria segue para o plenário da Casa. Se aprovado, o projeto será encaminhado para o Senado.

“Temer se aposentou aos 55 anos, mas quer impor ao trabalhador brasileiro uma reforma cruel que, na prática, vai tirar dos trabalhadores o direito de se aposentar e de ter uma velhice digna, mas que mantém os privilégios de poucos grupos. Por isso, mais do que nunca, precisamos debater, estar junto da população e esclarecer o quanto esta reforma é danosa”, avalia o senador.

Ex-ministro Carlos Gabas participa de debate sobre a Reforma da Previdência em Caruaru

O encontro tem como mote “O que temer com a Reforma da Previdência”. Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT no Senado

O encontro tem como mote “O que temer com a Reforma da Previdência”. Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT no Senado

 

O gabinete do líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), promove evento em Caruaru, nesta sexta-feira (24), a partir das 10 horas, sobre a Reforma da Previdência, que foi proposta pelo governo de Michel Temer (PMDB). Humberto convidou o ex-ministro dos governos de Lula e Dilma, Carlos Gabas, que também é especialista em Gestão de Sistemas de Seguridade Social para debater sobre a reforma que tira os direitos dos trabalhadores brasileiros.

O encontro tem como mote “O que temer com a Reforma da Previdência”. O evento está sendo organizado juntamente com o gabinete do vereador do PT de Caruaru, Daniel Finizola. “Contamos com a ajuda importante de Daniel na organização desse debate em Caruaru. Ele está se mostrando um político promissor da região e está participando ativamente de discussões importantes como esse da reforma da Previdência”, afirmou Humberto.

Segundo o parlamentar petista, é fundamental ampliar o debate sobre a reforma proposta por Temer. “Temos que discutir esse modelo que está sendo apresentado pelo governo, que penaliza o trabalhador e que vai afetar duramente a vida de milhões de brasileiros”, afirmou.

Entre as mudanças propostas pela gestão peemedebista está a de alteração na idade mínima necessária para a aposentadoria, que hoje é de 55 anos para mulher e de 60 para homens. O novo projeto, por sua vez, determina que a idade seja maior, 65 anos, e igual para homens e mulheres. O tempo mínimo de contribuição também vai saltar de 15 anos para 25 anos.

O trabalhador também precisará contribuir durante 49 anos para assegurar o recebimento de 100% da aposentadoria, já que o tempo mínimo de 25 anos dará apenas direito a 76% do cálculo do benefício. Outra alteração é com relação à desvinculação do valor das pensões por morte do valor do salário mínimo. Somente com a desvinculação, cerca de quatro milhões de pessoas serão afetadas.

O projeto de Reforma da Previdência já está sendo debatido na comissão especial da Câmara dos Deputados e já recebeu mais 100 emendas parlamentares. Depois de votada na comissão, a matéria segue para o plenário da Casa. Se aprovado, o projeto será encaminhado para o Senado.

“Temer se aposentou aos 55 anos, mas quer impor ao trabalhador brasileiro uma reforma cruel que, na prática, vai tirar dos trabalhadores o direito de se aposentar e de ter uma velhice digna, mas que mantém os privilégios de poucos grupos. Por isso, mais do que nunca, precisamos debater, estar junto da população e esclarecer o quanto esta reforma é danosa”, avalia o senador.

Serviço:

“O que temer com a Reforma da Previdência”
- Caruaru
Data: 24/03
Hora: 10h
Local: Acic – R. Armando da Fonte, 15, Maurício de Nassau

Ex-ministro Carlos Gabas vem a Pernambuco debater a Reforma da Previdência

O ex-ministro Gabas realiza palestra em Recife e Caruru sobre a reforma da Previdência. Foto: Divulgação

O ex-ministro Gabas realiza palestra em Recife e Caruru sobre a reforma da Previdência. Foto: Divulgação

 

Prevista para ser votada ainda no primeiro semestre de 2017 pelo Congresso Nacional, a Reforma da Previdência proposta pelo governo de Michel Temer (PMDB) será tema de debate em Pernambuco. Dois eventos, um em Recife e outro em Caruaru, serão realizados com a presença do ex-ministro dos governos de Lula e Dilma e especialista em Gestão de Sistemas de Seguridade Social, Carlos Gabas, além de diversas lideranças políticas.
Os encontros, que têm como mote “O que temer com a Reforma da Previdência”, acontecem nesta sexta-feira (03), ambos com entrada franca. Em Caruaru, o evento ocorre na sede da Associação Comercial e Empresarial de Caruaru (Acic), às 10h. No Recife, o evento será no Sindsep, na Boa Vista. A visita de Gabas está sendo organizada pelo gabinete senador e líder do PT no Senado, Humberto Costa.
Segundo Humberto, é fundamental ampliar o debate sobre a reforma proposta por Temer. “Temos que discutir esse modelo que está sendo apresentado pelo governo, que penaliza o trabalhador e que vai afetar duramente a vida de milhões de brasileiros”, afirmou.

Entre as mudanças propostas pela gestão peemedebista está a de alteração na idade mínima necessária para a aposentadoria, que hoje é de 55 anos para mulher e de 60 para homens. O novo projeto, por sua vez, determina que a idade seja maior, 65 anos, e igual para homens e mulheres. O tempo mínimo de contribuição também vai saltar de 15 anos para 25 anos.

O trabalhador também precisará contribuir 49 anos para assegurar o recebimento de 100% da aposentadoria, já que o tempo mínimo de 25 anos dará apenas direito a 76% do cálculo do benefício. Outra alteração é com relação à desvinculação do valor das pensões por morte do valor do salário mínimo. Somente com a desvinculação, cerca de quatro milhões de pessoas serão afetadas.
Com o retorno das atividades legislativas, o projeto de Reforma da Previdência será objeto de uma comissão especial da Câmara dos Deputados. Depois, a matéria segue para o plenário da Casa. Se aprovado, o projeto será encaminhado para o Senado.

“Temer se aposentou aos 55 anos, mas quer impor ao trabalhador brasileiro uma reforma cruel que, na prática, vai tirar dos trabalhadores o direito de se aposentar e de ter uma velhice digna, mas que mantém os privilégios de poucos grupos. Por isso, mais do que nunca, precisamos debater, estar junto da população e esclarecer o quanto esta reforma é danosa”, avalia o senador.

 

Serviço:
“O que temer com a Reforma da Previdência”

- Caruaru
Data: 3/2
Hora: 10H
Local: Acic – R. Armando da Fonte, 15, Maurício de Nassau

- Recife
Data: 3/2
Hora: 17H
Local: Sindsep – R. João Fernandes Viêira, 67 – Boa Vista

Ultimo dia da agenda de Lula em Pernambuco começa em Caruaru

Humberto: Realmente vemos como o presidente Lula é querido. Onde quer que vá, seja em Petrolina, Carpina, Caruaru ou Recife, ele leva um grande público que vem escutar o que ele tem a dizer. Foto: Assessoria de Imprensa

Humberto: Realmente vemos como o presidente Lula é querido. Onde quer que vá, seja em Petrolina, Carpina, Caruaru ou Recife, ele leva um grande público que vem escutar o que ele tem a dizer. Foto: Assessoria de Imprensa

 
O terceiro dia da agenda em Pernambuco do ex-presidente Lula começou logo cedo, em Caruaru. O líder do governo Dilma no Senado, Humberto Costa, acompanhou a agenda junto com o presidente que chegou na região do Agreste pela manhã e começou no Grande Hotel, onde participou de um encontro com o prefeito Zé Queiroz e lideranças da região.

No auditório do hotel, Lula falou da importância de manter Dilma na Presidência da República para que o povo mais necessitado volte a ter vez no Brasil. “Eu ando meio ‘acabrunhado’ nas minhas últimas andanças. O brasileiro sempre foi alegre e feliz, e o que estou vendo ultimamente é que vocês estão sem esperança com esse governo que está aí agora. Esse pessoal não deu um Golpe na Dilma. Eles deram um Golpe foi no povo brasileiro”, falou Lula em seu discurso. Ele também pediu que todos se empenhem em mandar mensagens e cobrar dos senadores que votaram pelo impeachment. “Agora que todo mundo usa o Whatsapp é preciso que vocês enviem mensagem para os senadores que votaram a favor do Golpe dizendo que querem a Dilma de volta, não podemos descansar um dia só”.

Lula e Humberto seguiram para a Praça da Criança, no centro de Caruaru, para participar do ato da Caravana da Frente Brasil Popular onde falaram diversos dirigentes dos movimentos sociais. O ex-presidente levantou o público quando lembrou sua trajetória até chegar à Presidência da República.
“Temer deveria aprender comigo, perdi quatro eleições e não fui protestar nas ruas. Eu viajei o Brasil inteiro me preparando para ganhar no voto e não entrar por trás como ele fez”, afirmou o petista.

Lula fez questão de agradecer o empenho de Humberto no Senado, pela luta que está travando na Casa Alta pela volta da presidenta afastada “Esse senador aqui votou a favor de Dilma e está trabalhando pra que esse Golpe não passe”.

Do centro de Caruaru, a comitiva seguiu para um almoço no Assentamento Normandia que é coordenado pelo Movimento dos Sem Terra. Lá, o ex-presidente conheceu as plantações do assentamento e a Agroindústria de Beneficiamento de Raízes e Tubérculos do local. Lula almoçou com lideranças dos movimentos agrários

O senador Humberto avaliou como positiva a agenda de Lula em Caruaru. “Realmente vemos como o presidente Lula é querido. Onde quer que vá, seja em Petrolina, Carpina, Caruaru ou Recife, ele leva um grande público que vem escutar o que ele tem a dizer. Mas o discurso é um só: não podemos deixar esse Golpe passar. O Brasil não pode retroceder e perder todas as conquistas que teve nos últimos 13 anos. Não podemos descansar um só dia”, bradou o senador petista. De Caruaru Lula e Humberto seguem para Recife onde participam do grande ato de encerramento da Caravana Popular na Av. Rio Branco, centro da cidade.

Para Humberto, Lula reforça resistência e mostra a importância de políticas públicas para o Nordeste

Para Humberto, com Lula e Dilma foi possível ver ressurgir o semiárido com ações como a Transposição do Rio São Francisco. Foto: Assessoria de Imprensa

Para Humberto, com Lula e Dilma foi possível ver ressurgir o semiárido com ações como a Transposição do Rio São Francisco. Foto: Assessoria de Imprensa

 

Acompanhando a maratona de atividades do ex-presidente Lula (PT) em Pernambuco, o senador Humberto Costa (PT-PE) disse que atos como os que aconteceram nessa segunda-feira (11) em Juazeiro, na Bahia, e em Petrolina, no Sertão de Pernambuco, reforçam a resistência ao impeachment da presidente Dilma Rousseff.

“Acho que foi muito importante a presença de Lula no Sertão. Foi uma oportunidade de fazer uma grande mobilização com os movimentos sociais e os trabalhadores de toda a região e denunciar a tentativa de golpe que a presidenta Dilma vem sofrendo. Com Lula e Dilma vimos ressurgir o semiárido com ações como a Transposição do Rio São Francisco. Mas tudo que fizemos é apenas uma demonstração do quanto nós ainda precisamos fazer o Brasil avançar, em especial o Nordeste. Não podemos deixar que tirem uma presidente legitimamente eleita para colocarem em seu lugar um presidente golpista, que atende aos interesses apenas dos mais ricos deste país”, disse Humberto.

Em discurso, em Petrolina, Lula também destacou ações do seu governo que ajudaram no desenvolvimento do Nordeste. “Tenho orgulho de ter acreditado nas pessoas que vivem do seu suor, do seu sangue. Os governos anteriores ignoravam essas pessoas”, disse o ex-presidente.

Lula também criticou a oposição e disse que poderá disputar a eleição em 2018. “Para quem sobreviveu ao Sertão, não morreu de sede e nem de fome, não vai ser agora que vão me tirar do jogo. Se eles quiserem reduzir os direitos do povo brasileiro a pó, eu digo: não me provoquem porque eu posso voltar e ser candidato em 2018”, garantiu.
Lula disse ainda que acredita que é possível barrar o impeachment da presidente Dilma no Senado. “Estamos empenhados em tentar convencer senadores a votar contra o impeachment. Precisamos convencer seis”.

Além de Petrolina, no Sertão, Lula participa de ato em outros três municípios do Estado. Nesta terça (12), às 16h, ele vai à plenária do Conselho Deliberativo da Fetape, em Carpina, Zona da Mata. Na quarta (13), é a vez de Lula visitar o município de Caruaru, no Agreste. A agenda de Lula no Estado terá encerramento na noite da quarta, no Recife, com grande ato no bairro do Recife Antigo.

Junto com Humberto, Lula vai do Sertão ao litoral de Pernambuco

Humberto explicou que a grande agenda de Lula no Estado faz parte uma ação nacional para denunciar o golpe contra o mandato da presidente Dilma Rousseff (PT). Foto: Pedro França /Agência Senado

Humberto explicou que a grande agenda de Lula no Estado faz parte uma ação nacional para denunciar o golpe contra o mandato da presidente Dilma Rousseff (PT).
Foto: Pedro França /Agência Senado

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vem ao Estado para cumprir uma agenda que vai do Sertão à capital pernambucana. As atividades de Lula no Estado começam na próxima segunda-feira (11), em Petrolina, onde realiza coletiva de imprensa e participa do ato da Frente Brasil Popular acompanhado do senador Humberto Costa (PT) e de outras lideranças políticas.

Na quarta (13), Lula retoma a agenda em Pernambuco com um encontro da Frente em Caruaru e depois segue para almoço no assentamento Normandia. À tarde, Lula tem reunião com representantes de diversos partidos e do movimento social no Recife. À noite, Lula comparece a grande ato no centro da cidade.

Segundo Humberto, a grande agenda de Lula no Estado faz parte uma ação nacional para denunciar o golpe contra o mandato da presidente Dilma Rousseff (PT). “Todos sabem do carinho que Lula tem com Pernambuco, por isso, o presidente decidiu fazer uma agenda extensa percorrendo do Sertão ao litoral para conversar com a população, explicar como esse golpe atingiu em cheio a nossa democracia e quais os riscos da manutenção de Temer na presidência para os direitos dos trabalhadores Brasileiros”, afirmou.

Humberto disse ainda que com a proximidade da votação definitiva do impeachment no Senado, a estratégia é Lula e Dilma percorrerem o maior número de regiões do País. “Dilma e Lula se dividiram em uma maratona de viagens para conseguir falar para o maior número possível de pessoas. Só com uma mobilização nacional conseguiremos derrubar esse presidente golpista e sua corja. Tentam de tudo para calar Lula e Dilma, até o avião da presidente quiseram proibir, mas o Brasil mostrou de que lado está. E a vaquinha realizada pelas amigas da presidente para garantir as viagens bateu todos os recordes de financiamento coletivo. Vamos seguir lutando. Os golpistas não passarão”, disse o senador.

Humberto: “Só com a mobilização permanente poderemos barrar este golpe”

O líder do Governo esteve reunido com trabalhadores rurais e pediu luta contra o golpe

O líder do Governo esteve reunido com trabalhadores rurais e pediu luta contra o golpe

O líder do governo no Senado, Humberto Costa (PT), defendeu a mobilização das forças populares e pediu o povo nas ruas para garantir as conquistas sociais ameaças com a tentativa de golpe contra o governo de Dilma Rousseff. A declaração foi dada nessa sexta-feira (23) durante encontro com movimentos sociais, no Agreste do Estado.

O parlamentar visitou o assentamento Normandia, em Caruaru, onde participou da abertura do curso de formação sindical, promovido pela Federação dos Trabalhadores da Agricultura do Estado de Pernambuco (Fetape). Em seguida, o senador se reuniu com o coordenador do Movimento dos Trabalhadores sem Terra (MST), Jaime Amorim e com lideranças da Frente Brasil Popular de Caruaru. O senador também teve encontro com integrantes da Organização de Luta no Campo (OLC).

“É fundamental que a gente mantenha uma mobilização permanente, reúna forças e ocupe às ruas em favor da democracia. O que está em jogo vai além do que defender um partido, está em jogo os programas sociais, as leis trabalhistas, todas as conquistas de anos de luta, isso sem falar na nossa jovem democracia, que segue ameaçada. Por isso, todos temos que seguir aglutinando forças e mostrando aos golpistas que eles não passarão. Só com a mobilização permanente poderemos barrar este golpe”, afirmou o senador.

Também no Agreste, Humberto visitou o município de Ibirajuba, onde participou da inauguração de casas do programa Minha Casa, Minha Vida Rural, ao lado do prefeito do município, Sandro Arandas (sem partido), do presidente da Fetape, Doriel Barros e de outras lideranças. O projeto tem recursos do Governo Federal da ordem de R$ 883 mil reais e vai beneficiar 31 famílias que moram na Zona Rural do município.

“Foi só nos governos de Lula e Dilma que a gente conseguiu ver ações como essa. Pessoas que nunca tiveram a oportunidade de ter uma moradia digna, hoje tem um lar para chamar de seu, vislumbram um futuro melhor, com mais oportunidades. A direita, que nunca aceitou as mudanças sociais que o país viveu e não conseguiu ganhar nas urnas, tem tentado tomar o poder de qualquer forma, tirando uma presidente que não é acusada de nada, mas nós vamos seguir lutando para que isso não ocorra”, disse o senador.

“No passado era só um sonho um trabalhador do campo ter sua casa assim, era algo muito distante. Hoje, nós podemos acompanhar um momento como esse. Essa ação é o resultado de uma política de governo que olha para as pessoas que mais precisam. Por isso, temos que continuar firmes e vamos batalhar para esse golpe não ser concretizado”, disse Doriel Barros.

O senador aproveitou ainda para ir ao município do Brejo da Madre de Deus. Ao lado do prefeito do município, José Edson de Souza e do dirigente da Fetape, Adelson Freitas, Humberto visitou a Feira do Verde, que tem como objetivo destacar a importância da agricultura familiar para a região.

Página 1 de 3123