Copa 2014

Temer inclui chantagem a prefeitos no balcão de negócios da reforma da Previdência, diz Humberto

Humberto: a Presidência da República está oferecendo R$ 3 bilhões aos prefeitos para que exerçam pressão sobre os seus parlamentares como forma de apoiar as mudanças no sistema de pagamento de aposentadoria. Foto: Roberto Stuckert Filho

Humberto: a Presidência da República está oferecendo R$ 3 bilhões aos prefeitos para que exerçam pressão sobre os seus parlamentares como forma de apoiar as mudanças no sistema de pagamento de aposentadoria. Foto: Roberto Stuckert Filho

 

Em mais uma tentativa de aprovar uma proposta que prejudicará milhões de brasileiros, segundo o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), o governo Temer (PMDB) reabriu o seu balcão de negócios no Palácio do Planalto que inclui, desta vez, chantagem sobre os prefeitos para que eles pressionem os deputados de suas bases a apoiarem a reforma da Previdência.

O senador afirmou, nesta terça-feira (5), que está aberta mais uma negociata de balcão de feira a céu aberto, mostrada pela própria imprensa, a exemplo do que ocorreu na votação que afastou a presidenta Dilma, na proposta que congelou os investimentos públicos por 20 anos e durante a apreciação da reforma trabalhista.

Agora, de acordo com o parlamentar, a Presidência da República está oferecendo R$ 3 bilhões aos prefeitos para que exerçam pressão sobre os seus parlamentares como forma de apoiar as mudanças no sistema de pagamento de aposentadoria.

“Ora, os prefeitos estiveram uma semana atrás pedindo recursos ao governo para fecharem as suas contas do ano. Na ocasião, Temer disse que não havia dinheiro. De repente, agora, o dinheiro aparece, mas eles têm de se submeter a essa chantagem. É um escândalo”, declarou.

Para Humberto, a situação observada no poder Executivo, que envolve ainda liberação de emendas parlamentares, troca de cargos na Esplanada e também negociação em torno de alianças e tempo de TV para a propaganda eleitoral no pleito de 2018, é absurda.

“Estamos falando de uma reforma de cujo escopo não se tem conhecimento, mas que já tem seu apoio comprado a peso de ouro e com a qual já se vê os presidentes da Câmara e do Senado comprometidos com o seu cronograma de votação nas duas Casas. Estão querendo votar na Câmara na semana que vem e nos dias 20 e 21 aqui”, ressaltou.

Da tribuna do plenário, o líder da Oposição fez questão de perguntar como uma reforma que vai mexer sensivelmente com o futuro de milhões de trabalhadores, aposentados e pensionistas e que não foi nem discutida ou mesmo apresentada aos líderes no Congresso já tem até cronograma de votação.

Ele também questionou “como é possível que se trate dos temas mais caros ao povo brasileiro dessa maneira absolutamente desrespeitosa e atentatória à representação popular, acertada em gabinetes, em jantares custeados com dinheiro público, onde o único interesse que prevalece é o político-partidário-eleitoral mais raso e espúrio que pode haver”.

Humberto entende que o governo deveria ser punido por estar torrando bilhões de reais, inclusive utilizados, em parte, em publicidades descaradamente mentirosas. “Isso não pode ser tolerado pela população brasileira. O caminho é lutar contra mais esse retrocesso”, comentou.

 

 

Quem apostou contra o Brasil é verdadeiro derrotado da Copa, diz Humberto

Foto: PT no Senado

Foto: PT no Senado

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), declarou nesta terça-feira (15) que o governo não vai deixar de comemorar o sucesso do Brasil na realização da Copa do Mundo. Em discurso na tribuna, o parlamentar avaliou que o êxito do maior evento esportivo do planeta ocorrido no país é resultado do esforço feito pelo governo federal. Ele lamentou que o candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, e o partido, por meio de nota do Instituto Teôtonio Vilela, tenham criticado o governo por querer se apropriar politicamente do evento.

“Ainda hoje vi tristemente essa nota do PSDB. Nós realmente queremos nos apropriar da Copa. É verdade. Se houvesse fracasso, iriam nos rotular de sócios do fracasso. Mas nós ganhamos pela competência do governo e do povo brasileiro. Que a oposição ache ruim, reclame e aprenda a fazer algo semelhante pelo bem de nosso país”, afirmou.

Humberto ressaltou que, antes do início do mundial, a oposição detonou a organização do evento. Segundo ele, o senador Aécio Neves falou que éramos o país do improviso, de um cemitério de obras inacabadas, enquanto o presidenciável do PSB, Eduardo Campos, apontou que nada ficaria pronto a tempo de receber o evento. Parte da imprensa brasileira chegou a calcular que o Maracanã só ficaria pronto em 2038.

“Quem jogou fora de campo contra o Brasil, jogou de uma forma suja e desleal, que não engrandeceu nem o país nem o debate político. Por isso, foram derrotados – eles, sim – de forma humilhante nessa aposta torta feito contra o Brasil e as competências do nosso povo”, observou.

Para o líder do PT no Senado, os dados divulgados ontem pelo governo mostram que o país deu uma demonstração de sua força. “Não houve apagão, não houve caos aéreo. Muito pelo contrário. Batemos recorde de passageiros voando em um mesmo dia. A imprensa internacional deu um show de reconhecimento à capacidade do Brasil em sediar o mundial”, disse.

Humberto lembrou que pesquisa Datafolha publicada hoje reforça o sucesso do evento. O levantamento mostra que 83% dos estrangeiros avaliaram positivamente a realização da Copa, 92% aprovaram o conforto e segurança dos estádios e 95% deles asseguram que irão voltar ao país.

Pré-candidatos erraram, diz Humberto Costa

Foto: PT no Senado

Foto: PT no Senado

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), criticou nesta quarta-feira (18), em discurso na tribuna, o apoio dado pelos presidentes dos principais partidos de oposição aos xingamentos feitos contra a presidenta Dilma Rousseff no jogo inaugural da Copa do Mundo no estádio Itaquerão, em São Paulo.

Para o parlamentar, as ofensas – reprovadas pela maioria dos brasileiros – estimulam o ódio e demonstram o raso nível político em que transitam os adversários da presidenta.

Humberto avalia que os pré-candidatos à Presidência da República Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB), além do presidente do Solidariedade, Paulinho da Força (SP), que comemoraram as vaias e os palavrões, erraram ao aplaudir os ataques imorais à presidenta.

“Aquela cena, largamente festejada pela oposição, envergonhou a ampla maioria dos brasileiros, que seria incapaz de insultar alguém com palavrões e expressões tão chulas, ditas diante de câmeras para o mundo todo e assistidas, inclusive, por crianças”, afirmou o líder do PT.

De acordo com o senador, o Palácio do Planalto não é um lugar em que se chega pelos esgotos. “Estimular o ódio e fazer política no submundo da baixaria, dos ataques e da desqualificação dos adversários são atos que não honram a disputa de um cargo tão importante como o de presidente da República”, ressaltou.

Humberto acredita que não há, entre todos aqueles que insultaram a presidenta Dilma no estádio, uma única pessoa cuja vida tenha piorado nos últimos 12 anos. “Então, de onde vem tanto ódio, tanto rancor? Eu entendo que esse tipo de comportamento externa a índole irascível de uma parcela da nossa sociedade que tem profundo desprezo pela liberdade, pelo diálogo, pela vivência democrática”, disse.

Ele classificou os xingamentos como “uma agressão abominável à Chefe de Estado e um ato perverso e covarde contra uma mulher, uma cidadã que não tinha ali nem mesmo o direito de se defender”.

Brasil fará uma Copa histórica, afirma senador

Foto: PT no Senado

Foto: PT no Senado

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), afirmou nesta quarta-feira (11), em discurso no plenário, que o país fará a partir de amanhã a maior Copa da história, a Copa das Copas, 64 anos depois de ter sediado o mundial. De acordo com o parlamentar, o Brasil está preparado para realizar com sucesso o maior evento esportivo do planeta, ao contrário do que apontaram os pessimistas que torciam contra o país e queriam que, neste momento, a nação “estivesse vivendo um caos completo, com as ruas incendiadas”.

“Perderam! Apostar contra o Brasil, contra a capacidade do nosso povo, sempre se mostrou um péssimo negócio. E nós provamos isso mais uma vez”, declarou, reforçando o pronunciamento feito ontem pela presidenta Dilma Rousseff em cadeia nacional de televisão e rádio.

O senador ressaltou que as obras de mobilidade urbana, incluindo VLTs, BRTs, metrôs, corredores exclusivos de ônibus, novas vias públicas abertas, túneis e viadutos – tudo construído para a Copa do Mundo – ficará para depois do evento, em benefício de toda a população brasileira. “Eram obras já previstas nos Programas de Aceleração do Crescimento, que ganharam impulso graças ao mundial. Estamos em um Brasil que anda para frente sem deixar para trás a sua população”, complementou.

Humberto também lembrou que o dinheiro desembolsado com a construção dos 12 estádios da Copa – R$ 8 bilhões ao todo somando financiamento de bancos federais e recursos de Estados e da iniciativa privada – é ínfimo em comparação ao que o país aplica em áreas sociais.
“No mesmo período em que construímos as arenas de um novo tempo, investimos 212 vezes mais, ou seja, R$ 1,7 trilhão somente de recursos públicos nas áreas de educação e saúde para construirmos, também, o Brasil de um novo tempo”, observou.

Estudos mostram que a Copa injetará diretamente na economia brasileira algo em torno de R$ 6,7 bilhões e vai resultar na movimentação de 3,7 milhões de pessoas por todo o território. “A Copa fará do Brasil o centro das atenções de 3 bilhões e 600 milhões de pessoas em todo o mundo, num evento transmitido por mais de 500 emissoras de TV”, destacou o líder do PT.

Humberto Costa diz que oposição torce pelo fracasso da Copa

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O líder do PT no Senado, Humberto Costa, criticou o discurso oposicionista contra a Copa do Mundo. O senador disse que o evento será “uma grande oportunidade para o País apresentar as suas potencialidades”. Segundo parlamentar, apesar “dos setores torcem contra o Pais”, a população está cada vez mais consciente da importância do Brasil sediar o campeonato.

“Apesar da torcida pelo fracasso, organizada por setores da oposição e da mídia nacional, o nosso povo está cada vez mais consciente de que jogar nesse time é fazer gol contra, é jogar contra o Brasil. Não é razoável recebermos um evento esportivo, de porte planetário, da dimensão da Copa e que muitos países gostariam de estar realizando no seu território e não entrarmos para ganhar, buscando o sucesso, torcer para o Brasil brilhar pela sua garra e pela sua liderança”, afirmou o senador.

Humberto também defendeu o legado que a Copa deixará para o País e citou diversos investimentos na área de mobilidade que estão sendo realizados nas cidades-sede. “Pelo que diz a oposição e alguns órgãos da mídia nacional, é como se, depois da Copa do Mundo os metrôs fossem desmontados, os corredores de ônibus fossem desativados, os BRTs fossem suprimidos, os VLTs fossem sucateados, as expansões dos aeroportos deixassem de ser feitas ou os aeroportos deixassem de cumprir as suas funções. Na verdade, todas as obras que estão sendo realizadas agora ficarão como um legado para o povo brasileiro”, disse.

Humberto ainda rebateu as críticas sobre os gastos da Copa e lembrou os investimentos feitos pelo Governo Federal em outras áreas. “O primeiro argumento utilizado para nos apequenar e ofuscar o brilho da nossa Copa foi o de que os governos iriam tirar dinheiro de áreas essenciais, como saúde e educação, para a construção dos estádios. Essa é a mais grosseira de todas as mentiras que têm sido assacadas contra a realização da Copa do Mundo no Brasil. Somente de 2010 para cá, foram investidos mais de R$960 bilhões em áreas como saúde, educação e mobilidade urbana no Brasil”, destacou o senador.

Governo vai investir R$ 7,3 bi para tornar estrutura aeroportuária do país muito melhor

A presidenta Dilma Rousseff afirmou, no programa Café com a Presidenta desta semana, que o crescimento da demanda dos brasileiros por viagens de avião mais que dobrou, chegando, no ano passado, a 180 milhões de passageiros. Para acompanhar esta realidade, ela destacou os investimentos para melhorar a infraestrutura em 270 aeroportos regionais, que vão chegar a R$ 7,3 bilhões.

“Com o aumento da renda da população nos últimos anos, cada vez mais brasileiros estão viajando de avião, seja, para conhecer o Brasil, para fazer negócios, também para visitar a família e também para passear no exterior. (…) Nos últimos dez anos, o movimento nos aeroportos do Brasil mais que dobrou, no ano passado chegou a 180 milhões de passageiros. E isso tem um lado muito bom. Tem gente que nunca tinha viajado de avião e agora está tendo essa oportunidade”, afirmou.

Para Dilma, a demanda trouxe a necessidade de investir “na modernização de nossos aeroportos para oferecer um serviço de qualidade, com segurança, conforto, pontualidade e regularidade”, que deve, segundo a presidenta, “mudar para muito melhor toda a estrutura aeroportuária do país”. O objetivo é aumentar o número de rotas e de voos entre as cidades para garantir o desenvolvimento regional e a mobilidade da população que vive longe dos grandes centros.

“Um país do tamanho do Brasil precisa ter bons e modernos aeroportos nas grandes metrópoles, mas, também, precisa de uma rede de aeroportos que atendam bem as cidades do interior, as pequenas e as médias. Por isso, uma das principais medidas desse programa é o investimento de R$ 7,3 bilhões que vamos fazer em 270 aeroportos regionais”, completou.

Fonte: Blog do Planalto.
Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Ministério da Saúde debate ações de saúde para as copas que serão realizadas no Brasil

A cidade de Salvador, na Bahia, recebe até esta sexta-feira (9/11) a IX Reunião da Câmara Temática de Saúde para a Copa do Mundo, no Hotel Fiesta Bahia. O evento, realizado pelo Ministério da Saúde em parceria com municípios e estados, tem como foco a construção do plano operativo de saúde para a Copa das Confederações como preparação para a Copa do Mundo de 2014. Durante os três dias do encontro, que começou na quarta (7/11), os participantes estão debatendo ações de saúde para eventos de massa e ações previstas para o Carnaval de Salvador, que deverá receber evento-teste para grandes eventos de massa. A reunião conta com a presença de palestrantes nacional e internacionais.

A Câmara Temática da Saúde é coordenada pelo Ministério da Saúde, que faz a interlocução com as 12 cidades e os estados onde serão realizados os jogos: Belo Horizonte (MG), Brasília (DF) Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Manaus (AM), Natal (RN), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e São Paulo (SP). Entre os objetivos da Câmara destacam-se a coordenação do planejamento de ações nacionais na área da saúde, estabelecendo diretrizes gerais e metas, ações estratégicas e o apoio às ações com os municípios-sedes.

Fonte: Agência Saúde.

Vídeo: a história da Copa do Mundo de 1962

Neste vídeo oficial feito pelo Governo Federal para divulgar a Copa do Mundo no Brasil, especialistas relatam as questões históricas que o País vivia em 1962 e falam da expectativa brasileira para o Bicampeonato. Assista:

Dilma sanciona a Lei Geral da Copa, que determina até quem terá direito a descontos nos ingressos

A Lei Geral da Copa sancionada nesta semana pela presidenta Dilma Rousseff prevê regras que vão permitir estudantes, pessoas com mais de 60 anos e beneficiários de programas sociais de transferência de renda ter direito a comprar ingressos pela metade do preço para assistir os jogos do Mundial de 2014. A Lei também prevê regras para a entrada de turistas no País e a transmissão do Mundial. A Lei Geral da Copa ainda define que, em 2014, as férias escolares do meio do ano nas escolas públicas e privadas devem ser entre a abertura e o encerramento dos jogos. Assista a matéria do Jornal NBR sobre o tema:

Página 1 de 212