Luiz Inácio Lula da Silva

Imagens do tríplex mostram que provas contra Lula simplesmente não existem, diz Humberto

 Para o senador, os vídeos gravados no imóvel no Guarujá (SP) provam justamente o contrário: que não houve qualquer reforma milionária, não houve reparação na cozinha e não há elevador na área interna do apartamento.  Foto: Roberto Stuckert Filho


Para o senador, os vídeos gravados no imóvel no Guarujá (SP) provam justamente o contrário: que não houve qualquer reforma milionária, não houve reparação na cozinha e não há elevador na área interna do apartamento. Foto: Roberto Stuckert Filho

 

 

Depois de ver as imagens internas do tríplex atribuído a Lula pelo Ministério Público (MP) e pela Justiça, divulgadas com a ocupação dos integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), reiterou que a condenação e a prisão do ex-presidente Lula são completamente injustas, pois vários elementos apontados nos autos como prova de crime simplesmente não existem.

Para o senador, os vídeos gravados no imóvel no Guarujá (SP) provam justamente o contrário: que não houve qualquer reforma milionária, não houve reparação na cozinha e não há elevador na área interna do apartamento.

“Mais uma alegação contra Lula foi abaixo. Fica claro que o tríplex nunca foi dele, é completamente simples e não recebeu nenhuma reforma, que teria sido feita em benefício do presidente. Ele não é e nunca foi proprietário do imóvel. Todo dia, uma prova nova mostra o quanto esse processo é falho e cheio de imperfeições”, afirmou.

O parlamentar ressaltou que uma procuradora do Ministério Público de Portugal, que leu todo o processo de Lula por curiosidade, fez um artigo declarando que “a decisão de Moro suscita várias perplexidades, sendo que a mais notável é porque não estão claramente identificados os fatos provados”.

Segundo ela, toda a decisão é uma redonda motivação e Lula desconhece rigorosamente as circunstâncias em que lhe dizem que praticou o crime. “É ler para crer”, escreveu ela, demonstrando a sua indignação com o caso brasileiro.

Por isso, de acordo com Humberto, a condenação de Lula é uma vergonha internacional para o Brasil, pois escancara a motivação política no MP e no Judiciário para interferir no processo eleitoral. Ele entende que a Justiça termina sendo seletiva, perseguindo uns e deixando outros voarem livremente.

“Não interessa que tenha transformado esse ou aquele em réu. Processos para privilegiados se arrastam por anos, não redundando em condenação e, quando ela ocorre, não é cumprida”, observou.

O líder da Oposição afirmou que outros políticos são beneficiados por entendimentos favoráveis, redigidos sob medida até por primos de amigos, que os isentam do foco de investigações. Já para Lula, lembra, não se aplica o rigor da lei, pois ela é distorcida. “Acontece algo pior: falta-se com a verdade, inventa-se, forja-se um processo fake para retirar o maior líder do país da corrida eleitoral”.

O senador acredita que o alento é a garra, a força e a disposição de Lula para continuar na luta e, mais do que isso, a certeza de que essa injustiça será revista e ele poderá receber o apoio de dezenas de milhões de brasileiros.

 

Veja o discurso do senador na íntegra:

Bolsonaro e o PSDB estimulam atentados contra Lula, acusa Humberto

Humberto: O que houve, na noite dessa terça-feira no Paraná, foi uma clara tentativa de homicídio. Foto: Roberto Stuckert Filho

Humberto: O que houve, na noite dessa terça-feira no Paraná, foi uma clara tentativa de homicídio. Foto: Roberto Stuckert Filho

 
De Brasília, onde participava de sessão deliberativa do Senado, o líder da Oposição na Casa, Humberto Costa (PT-PE), acompanhou, por contato telefônico com integrantes da comitiva, o atentado a tiros contra a caravana de Lula no Paraná. Para o senador, as balas que tingiram os ônibus são de responsabilidade de milícias nazifascistas, estimuladas pelo apoio do deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) e do PSDB.

O líder da Oposição acusou Bolsonaro, pré-candidato à Presidência da República, a estimular o ódio e a intolerância entre seus eleitores. Da mesma forma, criticou a decisão da PM do Paraná, comandada pelo então governador tucano Beto Richa, de se recusar a dar apoio à segurança da caravana, que contava com a presença de dois ex-presidentes do Brasil, Lula e Dilma.

“Some-se a isso o fato de Geraldo Alckmin, governador de São Paulo e pré-candidato do PSDB, dizer que o PT colhe o que planta, em vez de repudiar veementemente esse atentado contra a vida. Alckmin mostra seu nanismo político. Os tucanos estimularam Bolsonaro para derrubar Dilma e, agora que se veem engolidos por ele, querem tomar seu lugar no discurso do ódio e da violência”, avaliou. “Que triste fim para o PSDB.”

Para Humberto, que na tarde dessa terça-feira havia denunciado a escalada da intolerância na corrida eleitoral, as ameças de morte a autoridades públicas, como as que relatou o ministro do Supremo Tribunal Federal Luiz Edson Fachin, e os repetidos atentados contra a caravana de Lula pelo Sul mostram que a violência pode resultar em mortes nas eleições deste ano. “O que houve, na noite dessa terça-feira no Paraná, foi uma clara tentativa de homicídio. Querem alvejar Lula e, com isso, a democracia. Temos que estancar essa onda de violência ou ela tomará o Brasil”, explicou.

Lula está de cabeça erguida e nada derrubará sua candidatura, diz Humberto após encontro com ex-presidente

Humberto: Nada o demoverá da ideia de disputar as eleições de 2018. É um direito que ele tem, respaldado pelo povo, e ele vai exercê-lo. Foto: Roberto Stuckert Filho

Humberto: Nada o demoverá da ideia de disputar as eleições de 2018. É um direito que ele tem, respaldado pelo povo, e ele vai exercê-lo. Foto: Roberto Stuckert Filho

Um dia após o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) marcar, em rapidez processual nunca vista, o julgamento de Lula para o próximo dia 24 de janeiro, o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT), esteve com ele, na manhã desta quarta-feira (13), em Brasília, e saiu extremamente confiante na força e na disposição do ex-presidente.

“Lula está de cabeça erguida, à espera de que se defina essa questão e que a Justiça prove a culpa que diz que ele tem. Ele está pronto para comprovar, uma vez mais, sua inocência e mostrar que é candidato a presidente da República pela vontade dos brasileiros, custe o que custar”, afirmou Humberto, que tomou café da manhã com Lula ao lado de deputados e senadores do PT. “Nada o demoverá da ideia de disputar as eleições de 2018. É um direito que ele tem, respaldado pelo povo, e ele vai exercê-lo.”

Para o líder da Oposição, a celeridade do processo de Lula no TRF-4, absolutamente atípica em relação a outros processos na mesma situação, não pode se configurar como um novo julgamento político. “Nós vimos o que o juiz Sérgio Moro fez na primeira instância ao condenar Lula a nove anos e meio de prisão: uma caçada política cheia de aberrações judiciais e de desrespeito à lei. Nós esperamos que o Tribunal corrija essa injustiça e restaure a verdade”, explicou Humberto Costa.

O senador terá outro encontro com Lula, após as sessões do Congresso Nacional e do Senado, nas quais serão votados projetos e vetos presidenciais. Na reunião da noite, o ex-presidente receberá parlamentares federais e a militância do PT no Distrito Federal para conversar sobre os cenários eleitorais para o ano que vem.

“Liderança isolada de Lula nas pesquisas explica perseguição a Lula”, afirma Humberto

Aumentaram as chances de Lula vencer a disputa, ainda no primeiro turno. Foto: Roberto Stuckert Filho

Aumentaram as chances de Lula vencer a disputa, ainda no primeiro turno. Foto: Roberto Stuckert Filho

 

O líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT), comemorou os números da pesquisa Datafolha, divulgada neste fim de semana, na qual o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aparece em primeiro lugar isolado, em todos os cenários analisados. De acordo com o levantamento, aumentaram as chances de Lula vencer a disputa, ainda no primeiro turno.

“Já fizeram de quase tudo para tentar tirar Lula da disputa eleitoral do ano que vem. Até condenar por posse de um triplex, onde ele sequer passou uma noite, já fizeram. Mas o que a gente percebe é que, mesmo com toda a perseguição que Lula vem sofrendo, o que segue crescendo é o sentimento na população de que o ex-presidente deve voltar e assumir o posto, colocando o País novamente no rumo certo”, afirmou Humberto.

De acordo com o levantamento, Lula oscila entre 34 e 37% dos votos no primeiro turno, o dobro do segundo colocado, Jair Bolsonaro (PSC). A pesquisa mostra também o crescimento do ex-presidente no segundo turno, onde ele também ganha em todos os cenários. Na comparação com o levantamento feito em setembro, Lula ampliou em quatro pontos percentuais sua vantagem no confronto com Alckmin (52% a 30%), Marina (48% a 35%) e Bolsonaro (51% a 33%).

“Já entenderam que o povo quer Lula presidente de novo. Por isso, estão tentando de todas as formas tira-lo do processo no tapetão. Mas não vamos permitir que isso aconteça. Agora, mais do que nunca, fica evidente o porquê da perseguição a Lula”, disse o senador.

Para o levantamento, o Datafolha fez 2.765 entrevistas entre 29 e 30 de novembro, em 192 cidades. A margem de erro é de dois pontos, para mais ou menos.

Com morte de Marisa, Humberto embarca para São Paulo

Humberto: Como primeira-dama do Brasil, dona Marisa teve um papel fundamental na construção de um país mais justo e mais solidário, que ela edificou junto com o presidente Lula. Foto: Arquivo

Humberto: Como primeira-dama do Brasil, dona Marisa teve um papel fundamental na construção de um país mais justo e mais solidário, que ela edificou junto com o presidente Lula. Foto: Arquivo

 

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), viajou a São Paulo, na manhã desta quinta-feira (2), para prestar apoio e solidariedade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e à sua família, em razão da morte da ex primeira-dama Marisa Letícia. O quadro clínico de dona Marisa foi considerado irreversível desde a noite dessa quarta-feira.

Internada por conta de um acidente vascular cerebral desde o dia 24 no Hospital Sírio Libanês, Marisa terá os órgãos doados, de acordo com informação divulgada por Lula nas redes sociais nesta manhã. Além de autorizar a doação dos órgãos, a família também agradeceu todas as manifestações de carinho recebidas nos últimos 10 dias.

Humberto recebeu a notícia da morte de Marisa com profunda tristeza. Segundo o senador, ela era uma mulher de força incrível e de uma discrição invejável. “De mãos enlaçadas às dela, Lula se tornou quem é. Como primeira-dama do Brasil, dona Marisa teve um papel fundamental na construção de um país mais justo e mais solidário, que ela edificou junto com o presidente Lula”, disse o parlamentar.

Para o senador, dona Marisa morreu ainda nova, vítima de um AVC, mas, sem dúvida nenhuma, vítima, também, de uma caçada política implacável.

“Houve uma perseguição midiática sem precedentes, que lhe provocou uma profunda tristeza e precipitou problemas de saúde em decorrência de um estado emocional extremamente abalado por esse cerco que se impôs à sua vida, à vida do ex-presidente e à de todos os seus familiares”, afirmou.

“Ao companheiro Lula, à família e aos amigos e admiradores de dona Marisa, minha solidariedade, meu pesar e meu desejo de que Deus os conforte”, concluiu.

No Senado, Humberto sai em defesa de Lula

 

 Humberto diz que agressões torpes a ex-presidente Lula não apagarão a sua história. Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT no Senado

Humberto diz que agressões torpes a ex-presidente Lula não apagarão a sua história. Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT no Senado

 

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), foi à tribuna do plenário da Casa nesta quarta-feira (28) prestar a sua homenagem aos 70 anos de Lula e, em nome da bancada, fazer um desagravo ao ex-presidente.

Humberto afirmou que “essas agressões e perseguições torpes e mesquinhas a Lula não vão destruir a biografia de um dos líderes políticos mais importantes da história do país”, responsável por tirar 36 milhões de brasileiros da extrema pobreza e fazer do Brasil um país mais justo e igualitário.

“Lula é um homem que, nessas suas sete décadas de caminhada, entra para a história como o primeiro presidente da República a ter mudado, em oito anos de governo, cinco séculos de um modo perverso de administrar, em que se relegava ao desprezo e ao esquecimento dezenas de milhões brasileiros”, declarou.

Para o senador, que listou dezenas de conquistas alcançadas durante a gestão de Lula nas mais diversas áreas, o ex-presidente jamais baixou a cabeça às incontáveis adversidades que a vida lhe impingiu. “Da fuga da fome à mutilação física em uma fábrica, da perda de uma esposa à cadeia imposta pela ditadura militar, esse guerreiro nunca abandonou as causas pelas quais sempre lutou”, declarou.

O parlamentar ressaltou que, “apesar do espancamento midiático e dessa jogatina política de baixo nível tramada em porões, cujas razões têm fundo meramente eleitoral”, recente pesquisa encomendada pelos “seus inquisidores” mostra a força de Lula.  De acordo com a pesquisa, o ex-presidente guarda, entre os brasileiros, a maior certeza de voto para 2018, se desejar concorrer novamente no próximo pleito. Um em cada quatro eleitores diz que votaria “com certeza” no petista.

“É o reconhecimento da população ao trabalho e à dedicação desse homem ao Brasil. É a consciência do povo de que ninguém que está aí atacando a honra do presidente Lula fez tanto pelo nosso país como ele ou merece a credibilidade e o respeito que ele tem”, comentou Humberto.
Na avaliação do líder do PT, os resultados do governo do ex-presidente podem ser atestados por qualquer brasileiro, porque todos puderam experimentar das maravilhas do Brasil que venceu a sina de estar condenado a um futuro que nunca chegava.

“Com Lula, nós chegamos ao futuro. Pela obra desse homem, foi possível derrubar em 64% a pobreza extrema no Brasil em pouco mais de uma década e promover a maior mobilidade social da nossa história, com uma massa humana de 42 milhões de pessoas ascendendo à classe média”, ressaltou.

Em oito anos de governo, o país triplicou o seu Produto Interno Bruto brasileiro. O PIB per capita saltou de R$ 7,6 mil, registrado no último ano de Fernando Henrique Cardoso, para R$ 24,1 mil em 2010, último ano de Lula.

Humberto lembrou que Lula é reconhecido internacionalmente por seus feitos e ostenta, hoje, mais de 30 títulos e prêmios internacionais, muitos deles de doutor honoris causa, conferidos por algumas das maiores universidades do mundo.

O senador acredita que o ex-presidente chega aos 70 anos com muita saúde, garra e lucidez política e absolutamente em forma para novas missões, da mesma maneira que estava Winston Churchill quando se tornou primeiro-ministro do Reino Unido, pela segunda vez, aos 76 anos.
“A força de Lula aflige muita gente vazia por aí que, sem nada a oferecer de construtivo ao Brasil, gasta os seus dias a tentar destruir a biografia que outros, com tanta luta, construíram. Não conseguirão. Salve, Lula, salve os seus 70 anos! Feliz aniversário, presidente!”, concluiu.

 

Conquistas de Lula:

- PIB per capita triplicou: saltou de R$ 7,6 mil para R$ 24,1 mil;

- Redução da dívida líquida do setor público em relação ao PIB de 60% para 34%;

- Lucro do BNDES pulou de R$ 550 milhões para mais de R$ 8 bilhões;

- Lucro do Banco do Brasil saltou de R$ 2 bilhões para quase R$ 16 bilhões;

- Produção de veículos duplicou;

- Produção da safra agrícola duplicou;

- Investimento Estrangeiro Direto quadruplicou: saltou de R$ 16,6 bilhões para R$ 64 bilhões;

- Reservas internacionais aumentaram em mais de 10 vezes;

- Geração de mais de 20 milhões de empregos formais;

- Valor da Petrobras subiu de R$ 15,5 bilhões para R$ 104,9 bilhões em 12 anos;

- Petrobras passou a lucrar 6 vezes mais;

- Mais de 25 mil empresas fechavam as portas por ano no país antes de Lula. Com o petista, o número caiu para 5 mil;

- Salário mínimo saltou de R$ 200,00 para R$ 788,00, valor atual;

- Dívida externa equivalia a 557% das reservas. Agora, essa relação chegou a 81%;

- Brasil passou a ser a 7ª maior economia do mundo, abrindo aos brasileiros as portas de entrada para uma sociedade digna e igualitária a todos;

- Criação de 214 escolas técnicas: mais do que o dobro de tudo o que havia sido feito no Brasil em mais de 500 anos de história;

- Construção de 18 novas universidades federais; gestão FHC não fez nenhuma;

- Lançamento do ProUni, por meio do qual foi concedido mais de 1,2 milhão de bolsas para o ensino universitário;

- Criação do Fies, que concedeu financiamento estudantil a 1,3 milhão de estudantes;

- Mais de 6 milhões de pessoas contempladas com educação profissionalizante do Pronatec;

- Inauguração de mais de 7 mil creches;

- Pagamento da dívida ao FMI, de quem o país era devedor depois de quebrar três vezes. Hoje, o Brasil é credor do fundo internacional;

- 100 milhões de brasileiros ganharam o direito de utilizar os aviões como meio de transporte: número três vezes superior ao de 2002;

- Retirada de mais de 36 milhões de brasileiros da extrema pobreza graças ao Bolsa Família, o maior programa de transferência de renda e de inclusão social do planeta, pelo qual o país recebeu os maiores reconhecimentos mundiais;

- Redução de 64% de pessoas da pobreza extrema no Brasil em 12 anos;

- Ascensão de 42 milhões de pessoas à classe média;

- Investimentos quintuplicados em saúde e em educação em 10 anos.

Tentativa de desgastar Lula é barrada na CPI do Carf, diz Humberto

Humberto: oposição trava uma batalha contra o Brasil visando apenas desgastar o PT. Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT no Senado

Humberto: oposição trava uma batalha contra o Brasil visando apenas desgastar o PT. Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT no Senado

Por unanimidade, a CPI que investiga irregularidades no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) rejeitou, na manhã desta quarta-feira (8), os requerimentos de convocação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de seu filho Luís Cláudio, e dos ex-ministros Gilberto Carvalho e Erenice Guerra.

Para o líder do PT no Senado, Humberto Costa, que votou contra os requerimentos, os pedidos apresentados pelo senador tucano Ataídes Oliveira (TO), presidente do colegiado, não têm qualquer fundamento técnico ou jurídico e conexão com o objeto da CPI e visavam apenas a desgastar o PT, o Governo Federal e o ex-presidente Lula.

“Esse jogo político deplorável feito por alguns integrantes da oposição, muitas vezes se valendo de alguns cargos em que deveriam exercer isenção, são uma afronta ao Estado de Direito. Sem qualquer respaldo técnico, eles travam uma batalha em todas as instâncias contra o Brasil e a favor do desgaste do Governo do PT. Até hoje, não aceitam o resultado democrático das urnas”, avalia.

Os requerimentos tratavam das suspeitas de possível lobby feito por empresários do setor automobilístico para a aprovação de uma Medida Provisória (MP) que prorrogou por um ano incentivos fiscais ao segmento. A MP foi editada no governo do presidente Lula em 2009, mas originalmente foi criada no governo do presidente Fernando Henrique Cardoso, em 1999.

“A MP foi aprovada por unanimidade na Câmara dos Deputados, onde foi relatada por um parlamentar de oposição, do DEM, e da mesma forma no Senado Federal, onde foi aplaudida pelos nossos adversários. Como é possível justificar a convocação do ex-presidente Lula para explicar um assunto que mobilizou, unanimemente, setores de todos os partidos?”, questiona Humberto.

O senador ressalta ainda que a MP não ampliou em nenhum centavo os incentivos fiscais já em vigor na época e que a matéria foi analisada rigorosamente pelo Legislativo. “Portanto, não há dúvida ou preocupação sobre isso. Também não se trata de tentar blindar pessoas para não virem aqui. O fato é que não há nada em relação a isso que caiba investigação por essa CPI. É factóide político”, explica o líder do PT.

Na sessão desta manhã da CPI, além de Humberto, votaram contra os requerimentos, apreciados em bloco, José Pimentel (PT-CE), líder do Governo no Congresso Nacional, Donizeti Nogueira (PT-TO), Otto Alencar (PSD-BA) e Simone Tebet (PMDB-MS). A votação foi unânime.

A CPI foi criada em abril para apurar as denúncias de que julgamentos realizados no âmbito do Carf foram manipulados para, em descompasso com a lei, anular autuações fiscais ou reduzir substancialmente os tributos cobrados, resultando em sonegação fiscal da ordem de até R$ 19 bilhões. A Polícia Federal, por meio da Operação Zelotes, descobriu as irregularidades e investiga o caso, no qual está envolvido o ministro do TCU, Augusto Nardes, acusado de receber, pelo menos, R$ 1,8 milhão em propina.

Em conversa com Humberto, Lula aposta em virada do jogo

Lula acredita que trabalho do governo vai superar crise.  Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Lula acredita que trabalho do governo vai superar crise. Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Em passagem por Brasília para participar da 5ª Marcha das Margaridas, o ex-presidente Lula recebeu o líder do PT no Senado, Humberto Costa, para uma conversa reservada no hotel onde estava hospedado, a poucos quilômetros do Palácio da Alvorada. Animado com as perspectivas políticas, Lula avaliou que a conjuntura atual está mudando em favor do governo Dilma e que a crise deve ser vencida a médio prazo.

Segundo Humberto, Lula relatou que o governo tem uma carteira consistente de projetos para apresentar aos brasileiros e mostrar que está reagindo ao imobilismo em que a oposição quer meter o país. Entre os grandes pilares citados pelo ex-presidente, estão o Programa de Proteção ao Emprego (PPE), o Programa de Investimento em Logística (PIL), o Programa de Investimento em Energia Elétrica (PIEE), os Planos Safra para grandes produtores e a agricultura familiar e o Minha Casa Minha Vida, cuja terceira etapa deve ser lançada ainda este mês.

“Lula tem consciência da seriedade do momento, mas está muito animado com o futuro. O nosso governo tem muito o que apresentar aos brasileiros e a crise econômica será vencida tão logo debelemos essa crise política artificial”, explicou Humberto. “A agenda positiva de cooperação entre o Legislativo e o Executivo é um exemplo de que estamos virando a página. Dilma tem viajado para conversar com os brasileiros e assumir a narrativa desses investimentos fundamentais ao nosso desenvolvimento.”

O líder do PT analisou, ainda, que a esquerda voltou a retomar as ruas para defender a democracia e a estabilidade institucional, em contraponto a grupos que pedem golpe militar e o impeachment da presidenta legitimamente eleita. Mais de 10 grandes manifestações foram organizadas para este mês, em todo o país, por movimentos sociais como a CUT, a UNE, o MST e a Contag.

Na próxima sexta-feira, Lula volta a Brasília para participar de um grande ato organizado pelo PT em defesa da educação. Antes do evento, o ex-presidente deve ter uma reunião com a presidenta Dilma Rousseff, que, logo depois, vai a Bahia para entrega de novas residências do Minha Casa Minha a famílias de Juazeiro, no Vale do São Francisco.

Dilma e PT sairão mais unidos do congresso do partido, diz Humberto

Humberto quer que Governo Dilma assuma bandeiras históricas do PT.  Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT

Humberto quer que Governo Dilma assuma bandeiras históricas do PT. Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT

 

O V Congresso do PT, que se inicia a partir desta quinta-feira (11), em Salvador, será uma oportunidade de o partido fazer uma autocrítica e se renovar para reconquistar a confiança da população e avançar com as políticas que deram certo e melhoraram a vida de milhões de brasileiros. Esta é a avaliação do líder da sigla no Senado, Humberto Costa (PE), que chega hoje à capital baiana para participar do encontro. No início da noite, quem desembarca em Salvador, vinda de Bruxelas, na Bélgica, é a presidenta Dilma Rousseff, que participará da abertura do evento.

Segundo Humberto, o PT tem muita força na sociedade e os avanços sociais e econômicos inquestionáveis alcançados nos últimos 12 anos podem ser aperfeiçoados neste momento, a partir de uma renovação do partido.

“O PT soube, sim, administrar o Estado. Tanto é que tivemos resultados importantes de milhões de pessoas que saíram da pobreza e ingressaram na classe média, de programas sociais que são reconhecidos internacionalmente, de crescimento econômico que o país teve e de melhoria da sua infraestrutura. O PT tem, sem dúvida, um legado importante reconhecido pelos brasileiros”, afirma.

No entanto, segundo ele, o partido não soube administrar bem a sua relação política dentro do Estado. “Ao chegar ao Governo, o PT foi se afastando dos movimentos sociais e adotando modelos políticos que já estavam cansados. Um partido que sempre defendeu uma nova forma de fazer política terminou se adaptando às formas tradicionais de governabilidade”, acredita Humberto.

Para o senador, o principal erro do PT foi justamente ter se adaptado à cultura política que a legenda, historicamente, sempre criticou. “Incorporamos uma visão de governabilidade que passa quase que exclusivamente pela governabilidade parlamentar, pela necessidade de apoios, de alianças. Acho que essa autocrítica, o partido precisa fazer agora. A partir dela, vai ser possível se reinventar. O partido precisa passar por um processo de reforma interna”, avalia.

A constatação de Humberto é de que o Governo Federal poderia ter patrocinado, em vários momentos ao longo dos últimos 12 anos, uma reforma política que mudasse os conceitos existentes da política tradicional. “Lamentavelmente, isso não ocorreu e o partido terminou se adaptando a essa realidade, reproduzindo essas práticas, mas nada que não possa ser objeto de mudança agora”, opina.

O líder do PT no Senado tem plena confiança de que a legenda tem amplas condições de recuperar a sua imagem e de reconquistar o apoio que sempre teve por parte da população. De acordo com ele, isso depende de dois fatores: o sucesso do Governo da presidenta Dilma e a reestruturação do PT.

“O partido precisa ter a noção de que ele é parte do Governo, de que o Governo depende dele também para ter sucesso. E o PT precisa se reestruturar, renovar e mudar as suas práticas. Com isso, vamos poder resgatar o que já fomos”, acredita. “Do seu lado, o Governo precisa resgatar e empunhar as bandeiras históricas do PT.”

Humberto crê que as mudanças da sigla e do Governo têm de passar necessariamente pela abertura das relações com empresários, intelectuais, classe média e juventude. O parlamentar diz que essa aproximação é fundamental para o debate sobre os temas diretamente valorizados por esses segmentos.

“Temos que pensar para frente. Creio que o partido tem de sair desse encontro mais amarrado ainda ao Governo Dilma. Lógico que nós temos que cobrar. O papel do partido é também disputar, com as suas posições, o rumo que o Governo deve ter. Mas qualquer tipo de confrontação que coloque de um lado o PT e de outro o Governo não vai servir nem para um nem para outro”, observa.

O V Congresso do PT, que também contará com a participação do ex-presidente Lula, será realizado até o próximo sábado. Temas como reforma política, comunicação com a sociedade e alianças partidárias para eleições futuras serão debatidos entre os integrantes do partido e deverão constar de um documento final sobre o encontro.

Nervosa com Lula em 2018, oposição precisa de camomila e propostas, diz Humberto

 

Humberto diz que oposição treme ao saber que Lula goza de boa saúde e pode concorrer em 2018.  Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT

Humberto diz que oposição treme ao saber que Lula goza de boa saúde e pode concorrer em 2018. Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT

 

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), defendeu nesta quarta-feira (10), em discurso na tribuna do plenário, o ex-presidente Lula dos ataques da oposição. “O problema de vocês tem duas origens: pressão e calendário. Pressão 12X8, que demonstra a saúde de Lula, e calendário, por causa do aperreio com 2018. Isso faz vocês tremerem”, disparou.

Humberto ressaltou as políticas implementadas pelo governo do petista, como o Bolsa Família, por exemplo, que ajudou a retirar 36 milhões de brasileiros da pobreza, e criticou a postura da oposição por fazer acusações infundadas sobre os recursos recebidos pelo Instituto Lula, entidade fundada por ele depois de deixar a Presidência da República.

“A inveja é um dos mais baixos e mesquinhos dos sentimentos humanos. Fazem ilações sobre recursos recebidos pelo instituto, recursos devidamente contabilizados, declarados e com impostos devidos recolhidos que custearam palestras do presidente sobre políticas públicas dedicadas à erradicação da pobreza e da fome no mundo”, afirmou, em referência à informação de que a entidade recebeu R$ 3 milhões de doação da Camargo Corrêa.

Lula já coleciona mais de 50 homenagens nacionais e internacionais e, na última semana, foi homenageado em diversos eventos na Itália, onde foi recebido e falou para líderes de todo o mundo.

O senador ressaltou que o Brasil com Lula presidente (2003-2010) cresceu de forma inquestionável com a ascensão de mais de 40 milhões de pessoas à classe média, geração de 22 milhões de novos empregos formais, inauguração de 18 novas universidades públicas, criação de 365 escolas técnicas e aumento do orçamento do Ministério da Educação de apenas R$ 22 bilhões para R$ 103 bilhões.

“Eu só posso recomendar a essa gente que vá chorar suas pitangas lá no busto que ergueram em homenagem ao presidente Lula nos jardins da OEA, em Washington. Aliás, a única personalidade viva homenageada lá”, declarou.

Humberto aproveitou para desafiar o PSDB a mostrar a prestação de contas do Instituto Fernando Henrique, entidade que funciona de maneira semelhante ao Instituto Lula, “para que o Brasil conheça os investidores dos modelos anacrônicos que fizeram grassar as mazelas sociais neste país”.

Ele lembrou que, em 2007, o instituto do ex-presidente tucano recebeu R$ 500 mil da Sabesp, companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo, governado pelo PSDB, para financiar as suas atividades.

“Vejam bem: os Governos do PSDB, que meteram São Paulo na maior crise de abastecimento da sua história, retiraram da empresa de abastecimento d´água do Estado meio milhão de reais para irrigar o Instituto do ex-presidente FHC”, comentou.

“Seguramente, não foi para financiar uma palestra sobre segurança hídrica porque disso também, e São Paulo é testemunha, tucano não entende”, complementou.

“Recomendo, então, muito chá de camomila, muita ginástica e muito trabalho pra que vocês cheguem lá com a mesma saúde e com, pelo menos, alguma proposta decente a apresentar ao povo brasileiro”, afirmou.

No discurso, Humberto destacou ainda que a presidenta Dilma assumiu, desde 2011, esse compromisso da luta em favor do povo, dando continuidade às políticas públicas transformadoras, implementando o Minha Casa Minha Vida, criando o Pronatec, o Ciência Sem Fronteiras e tantos outros programas que têm feito uma verdadeira revolução no Brasil.

Página 1 de 212