Normandia

Não vamos permitir que Bolsonaro retire direitos daqueles que mais precisam, afirma Humberto em Caruaru

Humberto: Precisamos de uma reforma mais ampla relativa à saúde mental e, principalmente, de investimentos nesta área que não pode ser deixada de lado pelo novo governo. Foto: Asscom HC

Humberto: Precisamos de uma reforma mais ampla relativa à saúde mental e, principalmente, de investimentos nesta área que não pode ser deixada de lado pelo novo governo. Foto: Asscom HC

 

O líder da Oposição ao governo Temer no Senado, Humberto Costa (PT-PE), disse nessa sexta-feira (23), em Caruaru, que a sociedade e os políticos precisam estar vigilantes para não permitir que ocorram perdas de direitos e conquistas a partir de janeiro, quando começa o governo de Jair Bolsonaro, particularmente na área de saúde. A afirmação foi feita durante o 5º Encontro da Rede Nacional Internúcleos da Luta Antimanicomial (RENILA), que ocorreu no Assentamento Normandia e reuniu militantes de todo o país.

“Nós não vamos permitir que um governo autoritário, como se anuncia o de Bolsonaro, retire direitos que conquistamos com muita luta nos últimos anos. Durante muito tempo, no Brasil, o atendimento às pessoas com transtornos mentais era algo que se limitava ao tratamento dado nos hospitais psiquiátricos. Esses pacientes sofriam com o isolamento social, com a perda de direitos individuais e com o profundo desrespeito à condição humana. Isto não pode se repetir”, pontuou Humberto.

Em 2017, o Governo Federal aprovou a reformulação da rede de atenção psicossocial que foi considerada por muitos especialistas um retrocesso. O papel dos hospitais psiquiátricos voltou a ser reforçado pela reforma. No encontro dessa sexta-feira, Humberto conversou com lideranças estaduais e colocou o mandato à disposição dos movimentos e contra qualquer tipo de retrocesso.

“Podem contar comigo para defender os interesses da saúde no Brasil. Precisamos de uma reforma mais ampla relativa à saúde mental e, principalmente, de investimentos nesta área que não pode ser deixada de lado pelo novo governo. Vamos cobrar, estaremos vigilantes, não admitiremos retrocessos”, assinalou Humberto.

No mesmo dia, em entrevista para a rádio COM FM, de Pelotas-RS, o senador fez uma cobrança pela unidade de diversos setores, no sentido de fiscalizar as necessidades no âmbito da saúde mental.

“Não apenas os profissionais de saúde, mas a sociedade com um todo, o Judiciário, o Ministério Público, todos devem estar articulados entre si para que possamos resistir a qualquer tentativa de retirada de direitos. Não podemos permitir que o Brasil regrida depois de nós termos proporcionado às pessoas que precisam uma atenção à saúde mental galgada no respeito, na cidadania e na manutenção dos direitos”, disse o senador.

O 5º Encontro Nacional da RENILA seguiu com atividades durante todo o dia e terá neste sábado (24) o seu encerramento.

Dilma valoriza trabalho incansável de brasileiros no campo, diz Humberto

 

Humberto diz que Governo Federal tomou uma série de medidas nos últimos meses em benefício da agricultura familiar Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

Humberto diz que Governo Federal tomou uma série de medidas nos últimos meses em benefício da agricultura familiar Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

 

Depois de reconhecer a agricultura familiar como uma categoria profissional e ter lançado um Plano Safra específico para os micro, pequenos e médios agricultores deste país, com investimento previsto de R$ 30 bilhões, a presidenta Dilma demonstra o seu reconhecimento justo às mulheres e aos homens que trabalham incansavelmente no campo. Esta é avaliação do líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), que subiu à tribuna do plenário da Casa nesta quarta-feira para tratar do tema.

O parlamentar ressaltou que o Governo Federal tomou uma série de medidas nos últimos meses que beneficiam, também, o Estado de Pernambuco. As ações contemplam, entre outras localidades, o assentamento Normandia, em Caruaru, e o reassentamento dos perímetros irrigados de Itaparica.

Além disso, lembrou o senador, o Governo prestigia o Projeto Dom Hélder Câmara, ação coordenada pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) que tem o desafio de promover o desenvolvimento rural sustentável, combatendo a pobreza e garantindo segurança alimentar e hídrica para os agricultores do semiárido.

“Mesmo em um momento de contenção orçamentária, o 21º Grito Nacional da Terra Brasil e a 11ª edição da Jornada de Lutas, ocorridas em maio passado, receberam uma atenção especial do Governo”, observou Humberto.

Segundo ele, a pauta dos trabalhadores ganhou a atenção especial direta do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, que os recebeu para assumir o compromisso de não cortar recursos destinados as políticas públicas para a reforma agrária e a agricultura familiar.

O líder do PT disse que uma só ação federal em curso em Normandia, por exemplo, vai oferecer aos mais de sete mil agricultores familiares mais segurança jurídica. “O Governo Federal vai apoiar o georreferenciamento e a regularização fundiária de toda a zona rural de Caruaru. Com essa medida, os limites de todas as propriedades rurais da região do Agreste serão definidos com alta precisão”, explicou.

Serão investidos, de acordo com o senador, R$ 2,5 milhões no projeto, que terá auxílio de mapeamento por satélite para a elaboração de políticas públicas de fortalecimento do setor.

Humberto também comentou sobre outra ação fundamental do Governo em favor das mais de cinco mil famílias de reassentados dos perímetros irrigados de Itaparica. Além de abrir uma Mesa de Diálogo Permanente para tratar das questões referentes a essa população rural ocupante das terras que foram inundadas pela formação do reservatório da Hidrelétrica de Itaparica, a presidenta Dilma se comprometeu a dar continuidade às políticas públicas no local e a não interromper os serviços de fornecimento de energia elétrica, uma das maiores preocupações da comunidade.

Humberto debate investimentos em Normandia

Humberto Costa no Mestre Vitalino

O líder do PT no Senado, Humberto Costa, se reúne, nesta sexta-feira (22), com a secretária-executiva do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Maria Fernanda, e com integrantes do Movimento Sem-Terra (MST), no assentamento Normandia, em Caruaru. Eles vão tratar de investimentos para assentados da reforma agrária.

Segundo o senador, ações como esta são importantes para melhorar a qualidade de vida no campo. “É importante ouvir, conversar com todos, buscar novas alternativas para o desenvolvimento das comunidades rurais. Atividades como essas são essenciais para manter e aprofundar o diálogo com os movimentos sociais“, afirmou Humberto Costa.

O parlamentar falou ainda sobre o Grito da Terra, movimento que reuniu cerca de 5 mil pessoas, segundo os organizadores, na última quarta-feira (20), no Centro do Recife. O evento, que aconteceu em todo o País, simultaneamente, teve como objetivo chamar a atenção dos governos federais e estaduais para a importância da Reforma Política, para a garantia da continuidade da reforma agrária e pela não redução da maioridade penal. Além do MST, também participaram do ato entidades como a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Comissão Pastoral da Terra (CPT) e a Articulação no Semiárido Brasileiro (ASA). No Recife, o ato foi organizado pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Pernambuco (Fetape).

“Foi uma demonstração de força dessas entidades, que precisam ser ouvidas e os governos estadual e federal precisam estar em constante processo de diálogo porque eles representam uma fatia importante da sociedade, responsável pela produção de 70% dos alimentos do país”, afirmou o senador.

 

Confira a agenda do senador nesta sexta-feira, em Caruaru:

10h20 – Entrevista Rádio Jornal
11h – Reunião com MST e com a secretária do Desenvolvimento Agrário, Maria Fernanda, em Normandia.