Paraíba

Declaração Universal dos Direitos Humanos completa 70 anos e Brasil não tem o que comemorar, diz Humberto

De acordo com o senador, diante do cenário trágico que se desenha, esta segunda-feira é dia de reafirmar o compromisso e luta contra a violência no campo.

De acordo com o senador, diante do cenário trágico que se desenha, esta segunda-feira é dia de reafirmar o compromisso e luta contra a violência no campo.

 

Em missão oficial para participar da última reunião do Parlasul (Parlamento do Mercosul) de 2018, o líder da Oposição ao governo Temer no Senado, Humberto Costa (PT-PE), lamentou que, no dia em que o mundo celebra os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, o Brasil enterra dois militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), brutalmente assassinados no último sábado.

O sepultamento de Rodrigo Celestino e José Bernardo da Silva, mortos a tiros em um acampamento em Alhandra (PB), ocorreu na manhã desta segunda-feira (10). Para Humberto, os dois integrantes do MST participaram, ao longa da vida, de uma luta pacífica para viabilizar a reforma agrária no Brasil, e não mereciam esse desfecho trágico.

“E o mais grave: o governo Bolsonaro, que já prometeu fuzilar a petralhada e expulsar os vermelhos do país, dá claros sinais de que a violência no campo vai continuar. Ontem, ele indicou para o Ministério do Meio Ambiente o senhor Ricardo Salles, ex-secretário do tema em São Paulo acusado de fraudar mapas do Tietê e que defende abertamente o fuzilamento de integrantes do MST”, afirmou Humberto.

De acordo com o senador, diante do cenário trágico que se desenha, esta segunda-feira é dia de reafirmar o compromisso e luta contra a violência no campo. Militante dos direitos humanos desde que iniciou a carreira na política, ele acredita que a resistência às nefastas medidas que poderão ser tomadas pelo novo governo será intensa.

O parlamentar ressaltou que a preocupação com a gestão Bolsonaro é geral entre os membros dos Congressos dos países do Mercosul. Segundo Humberto, os integrantes do bloco avaliam que haverá uma fragilização do grupo com a chegada do capitão reformado ao poder no Brasil.

“Eles demonstram muita preocupação com o novo governo brasileiro. É fundamental unirmos forças com Argentina, Uruguai, Paraguai e Venezuela para que o Mercosul continue a ser um espaço de integração da nossa região e que possa avançar ainda mais”, declarou.

O líder da Oposição lembrou que, assinada há exatos 70 anos, a Declaração Universal dos Direitos Humanos representa o reconhecimento de que os direitos básicos e as liberdades fundamentais são inerentes a todo ser humano e foi responsável por avanços na defesa desses direitos em diversas partes do mundo, inclusive no Brasil, patrimônio agora ameaçado pelo novo governo.

Humberto se reúne com ministro da Integração para cobrar verba à adutora do Pajeú

Humberto explicou que as emendas das duas bancadas poderiam chegar a pouco mais de R$ 100 milhões no orçamento e, assim, contribuir para os 30% de obras restantes.Foto:  Roberto Stuckert Filho

Humberto explicou que as emendas das duas bancadas poderiam chegar a pouco mais de R$ 100 milhões no orçamento e, assim, contribuir para os 30% de obras restantes.Foto: Roberto Stuckert Filho

 

Preocupado com o ritmo da execução da obra da adutora do Pajeú, em Pernambuco, o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PE-PT), sugeriu, nesta terça-feira (26), em reunião com o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, que os parlamentares do Estado e da Paraíba apresentem emendas de bancada para concluir o empreendimento.

Humberto explicou que os congressistas dos dois Estados estão atentos aos cortes orçamentários feitos pelo governo federal, pois consideram fundamental a chegada da água do rio São Francisco nos 22 municípios pernambucanos e nos oito paraibanos contemplados pelo projeto.

O senador explicou que as emendas das duas bancadas poderiam chegar a pouco mais de R$ 100 milhões no orçamento e, assim, contribuir para os 30% de obras restantes.

“O desgoverno Temer não pode contingenciar esses recursos e paralisar a obra, tão importante para diminuir o problema da seca na nossa região. Não estamos falando de um projeto bilionário, mas sim da liberação de R$ 185 milhões, no total, para finalizar o empreendimento em 2018. A situação hídrica atual é caótica”, ressaltou.

Segundo ele, os munícipios estão numa situação de colapso há muitos anos e os parlamentares precisam, na disputa que há pelos poucos recursos existentes, estarem unidos a fim de beneficiar o povo sertanejo.

“O que nós queremos do ministério é R$ 25 milhões para concluir a 1ª fase da 2ª etapa este ano, que inclui as cidades de Triunfo e Santa Cruz da Baixa Verde, e R$ 160 milhões para a sua totalidade. O governo federal tem de se sensibilizar com a falta d’água em uma das regiões mais sofridas do país”, avalia.

O projeto da segunda etapa prevê duas unidades de captação no Eixo Leste do projeto de Integração do Velho Chico nos municípios de Betânia (PE) e Sertânia (PE), 13 estações elevatórias, mais de 400 quilômetros de adutoras com diâmetro de 100 a 700 milímetros, 11 reservatórios com capacidade unitária variando de 200 a 7 mil metros cúbicos.

Caravana de Lula mostrou destruição de Temer, resgatou conquistas do PT e propôs um novo Brasil, avalia Humberto

 

Humberto ressaltou que o legado do PT no Nordeste e em Pernambuco, mais especificamente, é algo visível e elogiado até por opositores ao partido. Foto: Roberto Stuckert Filho

Humberto ressaltou que o legado do PT no Nordeste e em Pernambuco, mais especificamente, é algo visível e elogiado até por opositores ao partido. Foto: Roberto Stuckert Filho

Presente no ato de encerramento da caravana de Lula pelo Nordeste em São Luís (MA), nesta terça-feira (5), o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), afirmou que “o maior presidente da história do país” cumpriu a sua missão nos últimos 20 dias, após percorrer mais de 4 mil quilômetros em ônibus, barco e avião e conversar com centenas de pessoas pelos nove Estados da região.

“Ele esteve frente a frente com o povo mais sofrido do nosso país, que saiu da miséria e parou de morrer de fome no período de seca graças às políticas sociais implementadas durante o seu governo e o da presidenta Dilma. A população demonstrou todo o seu carinho pela maior figura política de nossa história e acompanhou toda a sua caravana em todos esses dias. Foi emocionante”, resumiu Humberto.

Para o senador, a passagem de Lula pelos nove estados do Nordeste também foi muito importante para denunciar todo o desmonte que está sendo promovido pelo governo de Michel Temer (PMDB), incluindo cortes sumários e sem critérios no Bolsa Família, no Minha Casa Minha Vida, no ProUni, no Farmácia Popular e nas obras de transposição do rio São Francisco.

O ato de despedida de Lula se deu diante de uma multidão, com milhares de pessoas aglomeradas e ansiosas para encontrar com o ex-presidente – marca da caravana –, em frente ao Palácio dos Leões, sede do governo do Maranhão.

Humberto participou intensamente da caminhada de Lula pelo Nordeste. Ele esteve com o ex-presidente no ato de inauguração da caravana, em Salvador (BA), no dia 17 de agosto, na Bahia, no Recife e em Ipojuca e no giro que Lula fez pelo Sertão pernambucano entre as passagens pelo Ceará e o Piauí, além do ato em São Luís.

“As pessoas contaram ao presidente que a vida hoje está muito mais difícil do que na época do seu governo. Elas querem a volta de Lula porque sabem que ele foi o principal responsável pela mudança mais radical registrada no Nordeste, que melhorou a qualidade de vida do nosso povo”, disse o líder da Oposição.

Humberto ressaltou que o legado do PT no Nordeste e em Pernambuco, mais especificamente, é algo visível e elogiado até por opositores ao partido. Ele lembrou que a região sempre foi lembrada por índices calamitosos de trabalho infantil, desnutrição, evasão escolar, entre outros, mas que agora registra, por exemplo, alta taxa de jovens em faculdades.

“Mais de 20% dos jovens nas universidades do país, hoje, são nordestinos. É a primeira vez que o Nordeste passa a região Sul em número de vagas na história. Isso só para falar em educação. Com o programa Luz para Todos, levamos energia a todas as casas da região e, com o de construção de cisternas, instalamos mais de 1,1 milhão de unidades. É algo absolutamente fantástico”, comentou.

O senador avalia que Lula deve descansar nos próximos dias para, em seguida, voltar a percorrer o país em outras caravanas com o objetivo de resgatar as conquistas do PT, questionar o desmanche da gestão Temer e apontar para a construção de um novo projeto de país a partir da sua volta à Presidência da República na eleição de 2018.

 

 

Após visitar obras paradas, Humberto comemora retomada da transposição

 

Humberto: Conversamos com o ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho, e ele nos assegurou que a previsão é de que as atividades sejam iniciadas já na próxima segunda-feira. Foto: Asscom HC

Humberto: Conversamos com o ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho, e ele nos assegurou que a previsão é de que as atividades sejam iniciadas já na próxima segunda-feira. Foto: Asscom HC

 

Depois de visitar obras paralisadas pelo governo do presidente não eleito Michel Temer (PMDB) da transposição do São Francisco em Pernambuco e no Ceará esta semana, o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), comemorou a decisão da Justiça de derrubar a liminar que impedia a sequência das obras e a assinatura da ordem de serviço para a retomada do projeto no Eixo Norte.

“Conversamos com o ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho, e ele nos assegurou que a previsão é de que as atividades sejam iniciadas já na próxima segunda-feira (26). Ao todo, o Eixo Norte está com 94,92% das obras finalizadas”, ressaltou o senador.

A ordem de serviço foi assinada após a presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármem Lúcia, ter decidido cassar o embargo à continuidade do trecho, decretado pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região. A decisão havia paralisado os avanços dos trabalhos entre Terra Nova, no Sertão de Pernambuco, e Jati, no Ceará, impedindo que as águas chegassem ao Rio Grande do Norte.

“A estrutura vai evitar que quatro estados – Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará – entrem em colapso hídrico. No total, a água do Velho Chico vai beneficiar cerca de 7,1 milhões de habitantes em 223 municípios nesses estados. Isso é muito importante para os nordestinos”, garante Humberto.

A primeira ordem de serviço para o consórcio Emsa-Siton, responsável por finalizar o trecho, será de R$ 132 milhões. Com a assinatura do documento, a expectativa é de que as empresas levem entre oito e dez meses para concluir a obra.

De acordo com Humberto, serão abertas várias frentes simultâneas para acelerar os trabalhos. As empresas estão autorizadas a iniciar a mobilização de pessoal e as máquinas já deverão estar em campo na semana que vem. No pico das atividades, segundo o Ministério da Integração, cerca de dois mil profissionais serão contratados.

“A água do São Francisco deverá chegar ao Ceará, no reservatório Jati, até o início de 2018. De lá, seguirá pelos canais para contemplar também a Paraíba, Pernambuco e o Rio Grande do Norte”, explicou o líder da Oposição.

Humberto já propôs ao Senado a criação da comissão de fiscalização das obras do São Francisco, que, nos anos anteriores, identificou problemas e sugeriu soluções ao empreendimento ao longo da evolução dos trabalhos.

Na última segunda-feira, o líder da Oposição integrou a Caravana das Águas, ao lado da senadora Fátima Bezerra (PT-RN), presidente da Comissão de Desenvolvimento Regional do Senado, em uma visita técnica às obras do Eixo Norte e do Ramal do Apodi (Estação de Bombeamento EBI-3).

“Estivemos em Salgueiro (PE), Terra Nova (PE) e Jati (CE) para garantir que essa grande obra, que está mudando a vida de um povo que sempre sofreu com a falta de água no sertão nordestino, realmente continue andando. E é sempre bom ressaltar que foi o presidente Lula que acreditou e tirou do papel a transposição. E foi Dilma quem a acelerou, deixando-a em mais de 85% concluída”, disse Humberto.

Em 20 de abril, o Ministério da Integração Nacional assinou o contrato com o consórcio Emsa-Siton no valor de R$ 516,8 milhões para executar as três metas do Eixo Norte. A Meta 1N tem 140 quilômetros de extensão e passa pelos municípios pernambucanos de Cabrobó, Salgueiro, Terra Nova e Verdejante até a cidade de Penaforte (CE). As demais etapas (2N e 3N) estão em fase de construção.

De acordo com a pasta, a execução da primeira etapa do empreendimento foi interrompida após a construtora responsável (Mendes Júnior) ter informado ao ministério, em junho de 2016, a sua incapacidade técnica e financeira de continuar com os dois contratos firmados com o órgão. A partir deste momento, o governo federal iniciou o processo de substituição da empresa.

Pesquisa que aponta rejeição de Temer é a melhor resposta ao golpe, diz Humberto

Segundo a pesquisa CNI/Ibope, mais de 73% do povo desaprovam o modo de governar de Temer. Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT no Senado

Segundo a pesquisa CNI/Ibope, mais de 73% do povo desaprovam o modo de governar de Temer. Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT no Senado

 

 

O líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), criticou duramente o presidente Michel Temer, cuja popularidade despencou, segundo números da mais recente pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pelo Ibope. De acordo com o levantamento, feito agora em março, 79% da população brasileira não confia no presidente.

“Cai a máscara de um presidente que chegou ao poder ilegitimamente, em função de um golpe parlamentar do qual ele saiu como traidor e usurpador. Até a faixa da população que acreditou na conversa fiada dos golpistas financiadores de Temer está agora se perguntando para que saíram as ruas, para que bateram panelas. A pergunta que essas pessoas se fazem está refletida nos números dessa pesquisa”, assinalou o senador petista.

Segundo a pesquisa CNI/Ibope, mais de 73% do povo desaprovam o modo de governar de Temer. A rejeição do presidente cresceu 7 pontos em relação à última pesquisa, de dezembro do ano passado. Já os que consideram o governo péssimo passarram de 46% para 55%, no mesmo período.

Para Humberto, tudo no governo de Temer leva aos “números desastrosos” apontados pela pesquisa, da formação de uma equipe de governo fraca e sem representatividade à adoção de medidas que visam retirar direitos e exterminar conquistas de trabalhadores, de estudantes e do povo em geral. Ele ressaltou, entre esses pontos que fizeram explodir a rejeição de Temer, o congelamento por 20 anos dos investimentos com saúde e educação, a reforma do ensino médio, além das reformas trabalhista e da previdência.

“Fica cada vez mais claro o que Temer e o seu arremedo de governo vieram fazer e para que foram colocados no poder por forças como os empresários da Federação das Indústrias de São Paulo e parte considerável da grande mídia. O presidente golpista está aí para implantar um modelo que jamais seria escolhido nas urnas. Por isso que apearam do cargo uma presidenta eleita por 54 milhões de brasileiros. Mas não há mentira que dure por muito tempo. E a farsa temerária desse governo está se desfazendo rapidamente”, afirmou Humberto.

Um dado importante, segundo Humberto, diz respeito aos entrevistados pela pesquisa no Nordeste, que apresentou o maior percentual dos que acham o governo ruim ou péssimo (67%). “A gratidão dos nordestinos é algo que eles não podem comprar, muito menos desfazer. O Nordeste inteiro saber que foi o presidente Lula que mudou o olhar para a região, trazendo obras estruturais como a Transposição do Rio São Francisco, que Dilma Rousseff deu continuidade”.

Humberto Costa fez uma analogia dos números da pesquisa na região com as visitas de Temer e de Lula e Dilma a Monteiro, na Paraíba, ambas neste mês de março. Para o líder petista, o governo tentou “faturar prestígio” em cima da obra, mas a sua visita ao canais da transposição em Monteiro, na Paraíba, foi “bisonha”, com uma comitiva restrita a autoridades e assessores. “O povo deu o troco, uma semana depois, com 70 mil pessoas lotando o local e agradecendo a Lula e a Dilma. O que a pesquisa diz agora é exatamente isso: o povo sabe quem está e quem não está do seu lado.”, concluiu.

Com milhares de nordestinos, Lula, Dilma e Humberto inauguram transposição

Humberto: Nosso governo foi o primeiro que realmente enfrentou a seca no Nordeste. O povo sabe disso e é por isso que quer a volta do maior presidente de todos os tempos deste país: Lula. Foto: Roberto Stuckert Filho

Humberto: Nosso governo foi o primeiro que realmente enfrentou a seca no Nordeste. O povo sabe disso e é por isso que quer a volta do maior presidente de todos os tempos deste país: Lula. Foto: Roberto Stuckert Filho

 

Uma visita histórica, emocionante e marcada pela imensa gratidão e muito carinho do povo nordestino. É assim que o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), definiu o que ocorreu, na tarde deste domingo (19), em Monteiro, na Paraíba, com a visita dos ex-presidentes Lula e Dilma para comemorar a chegada da água no Eixo Leste da Transposição do Rio São Francisco, com 217 km de extensão.

Milhares de pessoas de diversas regiões do Nordeste acompanham o que é chamado por Humberto e pelos cidadãos de Monteiro de inauguração popular da maior obra hídrica da história do Brasil. Uma carreata percorreu 170 km entre Campina Grande e Monteiro, local escolhido pelos ex-presidentes para a visita.

A ida de Lula e Dilma à cidade do Cariri paraibano mobilizou os nordestinos, dezenas de parlamentares e governadores, que foram juntos com os ex-presidentes à beira d’água e se concentraram no centro de Monteiro para ouvir a fala deles. Por onde passaram na estrada, Lula e Dilma receberam mensagens de carinho da população.

“Eles peçam a Deus pra eu não ser candidato. Porque se eu for é pra ganhar”, avisou Lula diante de uma multidão que gritava o seu nome. De acordo com Humberto, que participou de todo o evento histórico, o empreendimento era uma promessa secular que só virou realidade graças ao empenho de Lula, que decidiu iniciar o projeto em 2007, e de Dilma, que continuou a executá-lo sem deixar que a crise econômica o paralisasse.

Em discurso diante diante dos milhares de cidadãos no centro de Monteiro, representando o Senado, Humberto afirmou que essa era a verdadeira inauguração do Eixo Leste da Transposição. “O povo sabe e é por isso que está aqui. Esse governo golpista veio na semana passada com uma comitiva de parlamentares de partidos como o PMDB, o PSDB, o DEM e o PPS, que sempre foram contra a obra. É muita cara de pau de Temer”, criticou Humberto, para delírio da plateia presente.

Para o líder da Oposição, o povo nordestino reconhece a verdadeira paternidade e maternidade do projeto e, por isso, deu uma grande demonstração de apreço por Lula e Dilma. “Enquanto os golpistas diziam que a obra não sairia do papel, no momento que a água chega querem ser os primeiros a surfar. Mas a população do Nordeste sabe quem tornou esse sonho em realidade”, declarou o parlamentar.

Ele ressaltou que, durante os governos do PT, a região sempre foi prioridade em tudo, com políticas públicas que melhoraram a condição de vida do povo como nunca antes na história do Brasil. “Nosso governo foi o primeiro que realmente enfrentou a seca no Nordeste. O povo sabe disso e é por isso que quer a volta do maior presidente de todos os tempos deste país: Lula”, discursou.

Assim que os Eixos Lesto e Norte da Transposição forem concluídos, o empreendimento vai beneficiar mais 12 milhões de pessoas em 390 cidades de quatro Estados.

Humberto: “O povo vai mostrar sua gratidão a Lula”

Humberto foi um dos que encabeçaram a proposta de trazer o ex-presidente ao Nordeste para reforçar a paternidade da obra. Foto: Roberto Stuckert Filho

Humberto foi um dos que encabeçaram a proposta de trazer o ex-presidente ao Nordeste para reforçar a paternidade da obra. Foto: Roberto Stuckert Filho

 

 

Um dia antes de acompanhar a visita do ex-presidente Lula (PT) a Monteiro, na Paraíba, onde irá percorrer trecho da Transposição do Rio São Francisco, o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT), disse estar impressionado com o engajamento e a mobilização da população de todo Nordeste para o ato. Tanto no município que vai sediar o evento, como em cidades vizinhas, já há dificuldade de encontrar hospedagem na região.

“A gente tem notícia de caravanas saindo do Nordeste inteiro e até de outras regiões. São famílias, grupos de amigos e, claro, centenas de lideranças políticas de todo o Brasil. Muita gente organizou, alugou ônibus, carro, pessoas que juntaram o seu dinheiro suado para passar às vezes um dia inteiro na estrada para acompanhar esse momento histórico e mostrar a sua gratidão a Lula pela maior obra de infraestrutura hídrica do Brasil”, relata o senador.

Humberto foi um dos que encabeçaram a proposta de trazer o ex-presidente ao Nordeste para reforçar a paternidade da obra. O senador, no entanto, admite que nem nas previsões mais otimistas esperava tamanha mobilização. “Claro que sabíamos que seria um ato simbólico importante e representativo, até porque os sertanejos só estão vendo a água do São Francisco chegar até a região por força e vontade política do ex-presidente Lula. Mas a organização e a disponibilidade das pessoas segue impressionando”, afirmou.

Líder da oposição, Humberto organizou a sua própria caravana. Segue para o evento numa van junto com senadores Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), e José Pimentel (PT-CE), a deputada federal Luciana Santos (PCdoB), deputado estadual do Ceará, Elmano Freitas (PT), além dos ex-ministros Carlos Gabas e Miriam Belchior.

“Além de água, a Transposição traz também para os sertanejos esperança de uma vida melhor e a certeza de que com força política se pode vencer a cultura da seca, que já maltratou tanto essa região. Só alguém como Lula, um sertanejo que sentiu na pele esse problema e venceu todas as dificuldades até chegar à Presidência da República, poderia ter transformado este projeto, que não passava de uma ideia desde os tempos de Império, em realidade”, afirmou o senador.

O ex-presidente Lula deve ir a Monteiro acompanhado da também ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Governadores de vários estados do Nordeste também participarão do ato. A expectativa é de que os ex-presidentes desembarquem em Campina Grande às 11h. De lá, seguem até um trecho da obra, em Monteiro. Após a visita, eles irão em carreata até o centro da cidade, ondem devem discursar.

A Transposição está com 95% da obra concluída. Quando estiver pronta, ela vai beneficiar cerca de 12 milhões de habitantes de pequenas e médias cidades da região do semiárido dos Estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte.

Humberto participa de ato com Dilma no Recife

Humberto: Nesta sexta, iremos reafirmar nosso apoio à presidenta Dilma. Foto: Assessoria de Imprensa

Humberto: Nesta sexta, iremos reafirmar nosso apoio à presidenta Dilma. Foto: Assessoria de Imprensa

 

O líder do governo Dilma Rousseff no Senado, Humberto Costa (PT), acompanha a agenda da presidente no Recife. Esta será a primeira vez que Dilma virá a capital pernambucana após ter sido afastada pelo processo de impeachment, que está sendo analisado pelo Senado. A programação da presidente no Recife faz parte de uma ação nacional para denunciar irregularidades no processo de impedimento. Somente esta semana, Dilma já visitou os Estados da Paraíba e da Bahia.

A agenda da presidenta começa às 12 horas, com um ato na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) com estudantes e docentes da instituição. Às 17 horas, Dilma participa de grande ato no Pátio do Carmo, no Centro do Recife. Organizado pela Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo, o ato “Mulheres pela Democracia e Contra a Violência” vai reunir movimentos sociais, sindicalistas, lideranças políticas, militantes e pessoas contra o golpe parlamentar dado pelo Congresso.

“Recife já deu inúmeras demonstrações de que não aceita a interrupção do processo democrático e de repúdio a que a Constituição seja desrespeitada. Nesta sexta, teremos mais uma oportunidade de reafirmar essa posição e contribuir para garantirmos os votos necessários para a volta de Dilma”, afirmou Humberto.

O senador também fez críticas ao governo interino do presidente Michel Temer (PMDB). “O presidente golpista e provisório deixou bem claro qual é a agenda que ele quer impor ao país. Ele ameaça conquistas históricas dos brasileiros, quer cortar recursos da Saúde e da Educação e fazer um governo ilegítimo e sem nenhum apego às regras democráticas. Mas não vamos deixar isso acontecer. Vamos todos ocupar as ruas, as redes e dizer que os golpistas não passarão”, disse o senador.

Humberto leva CPI do Assassinato de Jovens a Pernambuco

Líder do PT quer que CPI amplie debate sobre morte de jovens no Estado.  Foto: Alessandro Dantas/Liderança do PT

Líder do PT quer que CPI amplie debate sobre morte de jovens no Estado. Foto: Alessandro Dantas/Liderança do PT

 

Os dados impressionam. Pernambuco desponta como o segundo Estado brasileiro onde a probabilidade de morte de jovens é considerada “muito alta”, de acordo com números apresentados em audiência pública realizada na noite desta segunda-feira (25) na CPI do Assassinato de Jovens do Senado. As estatísticas levaram o líder do PT na Casa, Humberto Costa (PE), que integra a Comissão, a apresentar requerimento solicitando que a CPI viaje a Pernambuco para encontro com autoridades públicas e especialistas locais na tentativa de ampliar o debate no Estado.

Pesquisas realizadas pelo Fórum Nacional de Segurança Pública e pelo Observatório de Favelas demonstraram que Pernambuco tem um quadro alarmante de morte de homens jovens, especialmente negros, ficando no cenário nacional, de acordo com alguns estudos, atrás apenas da Paraíba. O Nordeste aparece liderando as estatísticas trágicas entre as cinco regiões brasileiras.

“A gente estuda os dados, lê, mas, no fundo, não tem ideia dessa proporção. Essa situação é degradante para o nosso Estado e para o nosso país e, evidentemente, temos de agir para mudar, para conter essa chaga social. Não podemos continuar tolerando esses índices de violência”, afirmou o senador.

Segundo ele, o Brasil vive uma onda conservadora responsável pela construção de um raso senso comum que ignora esse tipo de informação. “O debate sobre a redução da maioridade penal, por exemplo, está contaminado por falsos argumentos quando tinha que estar completamente alinhado com essa realidade. Nós observamos que, de fato, os jovens são muito mais vítimas do que autores de crimes”, disse.

Humberto lembrou que Pernambuco registrou, nos últimos anos, uma redução de homicídios, a partir da experiência exitosa do Pacto pela Vida, mas que os índices voltaram a crescer. “Vale a pena conversar com o pessoal da área de segurança pública e de direitos humanos para esclarecermos isso e procurarmos entender o que está havendo”, observou. A data da reunião será definida na próxima reunião administrativa do colegiado da CPI.

O líder do PT acredita que haja uma relação muito próxima das mortes de jovens com o uso de drogas e o tráfico. “No Brasil, não conseguimos discutir de maneira séria a questão da descriminalização das drogas para enfrentar a violência”, ressaltou.

Os dados sobre a violência foram apresentados na CPI, nesta segunda, por três convidadas da Comissão: Natália Damázio Pinto Ferreira, advogada e representante da Justiça Global; Raquel Willadino Braga, diretora do Observatório de Favelas; e Samira Bueno Nunes, diretora-executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

De acordo com as informações divulgadas, entre 2009 e 2013, a quantidade de pessoas que foram mortas pelas polícias brasileiras chegou a 11.197. O índice é superior ao registrado nos Estados Unidos em 30 anos: 11.090, de 1983 a 2012.

Somente em 2013, mais de 56 mil mortes violentas foram registradas no país. Ou seja, a cada 10 minutos, uma pessoa é assassinada no Brasil. A maioria das vítimas é de jovens, do sexo masculino, negros e pobres.

De acordo com Humberto, a CPI busca encontrar respostas para as perguntas de “quem mata”, “onde o faz”, “quando pratica o crime”, “como o comete”, “por que o faz” e “quem é a vítima”, a fim de buscar soluções para o problema. A Comissão Parlamentar de Inquérito vai apresentar o seu relatório final em novembro.

Transposição do São Francisco já chega a 67,5%, afirma Humberto

Foto: Adalberto Marques/MI

Foto: Adalberto Marques/MI

Relator da Comissão Externa do Senado que acompanha o projeto de transposição das águas do Rio São Francisco, o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), fez nova visita técnica, nessa segunda-feira (8), às obras do empreendimento nas cidades paraibanas de Monteiro e São José de Piranhas e sobrevoou de helicóptero o município de Mauriti, no Ceará.

Humberto estava acompanhado do ministro da Integração Nacional, Francisco Teixeira, e de parlamentares que integram a comissão externa, como Vital do Rêgo (PMDB-PB), presidente do colegiado, e Cícero Lucena (PSDB-PB).

Para o líder do PT, que deve apresentar o seu relatório final sobre as obras ainda este mês, a execução da transposição está avançando em velocidade satisfatória e vai permitir a distribuição de água para moradores do sertão nordestino brevemente. “Estamos muito próximos de concluir esse grande empreendimento iniciado no governo Lula e continuado no governo da presidenta Dilma. A transposição veio para transformar a vida de mais de 12 milhões de nordestinos que vivem no semiárido”, avalia Humberto.

O senador explica que as visitas técnicas permitem aos parlamentares conhecerem de perto a dimensão do empreendimento e a velocidade de andamento das obras. Essa foi a quarta vez que a comitiva foi até os canteiros para acompanhar, pelo Congresso Nacional, como os trabalhos estão caminhando.

Atualmente, de acordo com o Ministério da Integração Nacional, a execução física da obras de transposição do Velho Chico já chega a 67,5% e mais de 11 mil trabalhadores fazem parte da empreitada.

 

Foto: Adalberto Marques/MI

Foto: Adalberto Marques/MI

Ontem, o grupo iniciou a agenda de trabalho pela manhã no Eixo Leste, em Monteiro, e acompanhou de perto a execução do túnel Engenheiro Giancarlo de Lins Cavalcanti (antigo túnel Monteiro) e da galeria Monteiro, outra estrutura de engenharia. Quase 130 trabalhadores atuam dia e noite, em dois turnos de serviço, para executar as estruturas que contam com 84 máquinas em operação. O túnel possui mais de 150 metros escavados e terá três quilômetros de extensão.

De tarde, a comitiva seguiu para o Eixo Norte do projeto, com sobrevoo nas obras que passam por Mauriti (CE). Humberto ressaltou que, quando concluído, o projeto vai garantir a segurança hídrica de cidadãos que moram em regiões do semiáridos nos Estados de Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte.

 

Testes
Desde outubro, a Estação de Bombeamento (EBV-1) do Eixo Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco já bombeia água do Velho Chico. Localizada em Floresta (PE), as duas bombas estão em fase de teste até o fim do ano, cumprindo o cronograma oficial de andamento das obras. A água segue um percurso de 15 quilômetros, do Lago de Itaparica até o Reservatório Areias.

Página 1 de 3123