Presidência da República

Lula levará esperança ao Brasil com caravana que começa hoje no Nordeste, diz Humberto

 

Humberto: “A viagem vai levar esperança ao povo brasileiro. Lula vai sair renovado com o apoio do povo, com a conversa com as pessoas e aprender muito com realidade atual do Nordeste. Foto: Ricardo Stuckert

Humberto: “A viagem vai levar esperança ao povo brasileiro. Lula vai sair renovado com o apoio do povo, com a conversa com as pessoas e aprender muito com realidade atual do Nordeste. Foto: Ricardo Stuckert

 

Com formato semelhante à histórica “Caravana da Cidadania” feita na década de 90, o ex-presidente Lula inicia, nesta quinta-feira (17), em Salvador, uma nova caravana pelo Nordeste a fim de se aproximar ainda mais do povo da região mais carente do país, que foi beneficiado pelas políticas sociais implementadas nos 13 anos de governos do PT, mas hoje é renegado com o desmonte promovido por Michel Temer (PMDB).

O líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), que estará ao lado de Lula hoje na Bahia e em grande parte do trajeto de 4 mil quilômetros que serão percorridos pelo ex-presidente em 25 municípios nos nove estados da região, avalia que é hora de levar esperança à população, principalmente diante do caos social que o país mergulhou sob a responsabilidade de Temer.

“Vamos denunciar, com veemência, todo o esfarelamento que acontece hoje em torno das políticas públicas, especialmente as sociais, como a exclusão sumária de mais de um milhão de famílias no Bolsa Família, programa referência para o mundo e que tanto ajuda os nordestinos”, afirmou Humberto.

Segundo ele, Lula vai conversar diretamente com as pessoas e conhecer agora, depois de ter sido presidente, os novos projetos que a região precisa para voltar ao caminho da redução das desigualdades sociais, crescimento econômico e da auto sustentabilidade.

“A viagem vai levar esperança ao povo brasileiro. Lula vai sair renovado com o apoio do povo, com a conversa com as pessoas e aprender muito com realidade atual do Nordeste. Será um aprendizado importante para que se reeleja presidente da República em 2018 e traga ao Brasil a felicidade novamente”, disse o senador.

O parlamentar ressaltou que várias medidas tomadas pelo governo Temer prejudicaram diretamente o povo sertanejo, como o fechamento de unidades do Farmácia Popular, a diminuição do Fies e do Pronatec, a redução do ritmo de execução de obras como a transposição do São Francisco e a Transnodestina, a diminuição do crédito do Minha Casa, Minha Vida e falta de prioridade nos estaleiros Atlântico Sul e Vard Promar, em Pernambuco.

Para o líder da Oposição, os projetos iniciados durante as gestões de Lula e Dilma na região andam, hoje, a passos de tartaruga porque o governo Temer deixa o Nordeste em segundo plano.

“Até a fábrica da Hemobrás eles queriam levar ao Sul. Mas nós vamos resgatar o nosso legado. Fizemos muitas coisas no Nordeste, como a transposição, a ampliação recorde de moradias, o Mais Médicos e a possibilidade de muitas famílias pobres colocar seus filhos na universidade. Vivíamos um tempo em que povo era feliz. Vamos enfatizar tudo nessa viagem”, resumiu Humberto.

Ao lado de Lula, Humberto vê presidente “fortalecido e candidatíssimo”

Humberto: “Confiante e se sentindo injustiçado, Lula mostra, mais uma vez, que sua força é realmente algo impressionante. Foto: Divulgação

Humberto: “Confiante e se sentindo injustiçado, Lula mostra, mais uma vez, que sua força é realmente algo impressionante. Foto: Divulgação

Ao lado de Lula, na sede do PT em São Paulo, nesta quinta-feira (13), na primeira fala pública do ex-presidente sobre a condenação do juiz Sérgio Moro, o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), considerou bastante consistentes e convincentes as declarações dele em relação à decisão “política, parcial e sem fundamentação” do magistrado de Curitiba.

Para Humberto, o ex-presidente – que recebeu o apoio de diversas autoridades, personalidades e políticos desde a notícia de sua condenação, ontem – sai fortalecido neste começo de embate jurídico em primeira instância, com grandes chances de vitória no Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

“Confiante e se sentindo injustiçado, Lula mostra, mais uma vez, que sua força é realmente algo impressionante. Será difícil que um juiz sem provas seja capaz de interromper a sua trajetória política e a melhoria de vida dos brasileiros”, disse o senador.

O parlamentar avalia que a parcialidade do juiz e a perseguição política que marcaram o processo contra o ex-presidente geraram indignação em boa parte da população, que vê em Lula uma oportunidade do Brasil voltar a crescer, com mais igualdade social.

“Temos de ter em mente que o Judiciário em Curitiba está se prestando ao papel de impedir a candidatura presidencial de Lula em 2018. A maior perseguição que este país já viu faz parte de uma estratégia sórdida, que conta com o apoio do atual governo e de sua base no Legislativo. Mas a verdade prevalecerá”, afirma Humberto.

O líder da Oposição embarcou de Brasília para São Paulo na manhã desta quinta para prestar solidariedade a Lula. “Mas a gente observou que a condenação não abalou o seu humor, confiança e a sua vontade de continuar na batalha por um país melhor e mais justo”, acredita Humberto. “Lula segue candidatíssimo.”

Humberto vai a São Paulo reforçar luta em defesa de Lula

Para Humberto, a decisão confirma que o golpe à democracia e ao Estado Democrático de Direito no país ainda está em curso. Foto: Roberto Stuckert Filho

Para Humberto, a decisão confirma que o golpe à democracia e ao Estado Democrático de Direito no país ainda está em curso. Foto: Roberto Stuckert Filho

Ciente de que Lula é inocente e foi condenado pelo juiz Sérgio Moro de maneira absolutamente política, parcial e sem fundamentação, o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), embarcou para São Paulo na manhã desta quinta-feira (13), para, ao lado de outros senadores e deputados, prestar solidariedade e apoio ao “maior presidente que este país já teve”.

Para Humberto, a decisão do magistrado de Curitiba, sem apresentar uma única prova, confirma que o golpe à democracia e ao Estado Democrático de Direito no país ainda está em curso, um ano depois da derrubada ilegítima da presidenta Dilma Rousseff.

“O atropelo à Constituição e aos direitos dos brasileiros persiste com toda a força, também, no Legislativo, sob o patrocínio dos golpistas que tomaram de assalto o poder e que são apoiados por setores de uma elite preconceituosa e por parte do Ministério Público e Judiciário”, avalia o senador.

Segundo ele, a interdição de Lula faz parte da maior caçada política que este país já teve em sua história e serve, apenas, para impedir a sua candidatura à Presidência da República em 2018.

“A sentença insere-se no contexto do lawfare, uso das leis e dos procedimentos jurídicos como arma de guerra para perseguir e destruir o inimigo, que sempre afirmamos, contendo ainda muitos erros de fato e de direito”, afirma o parlamentar.

O líder da Oposição ressalta que a sentença não demonstrou, em nenhum momento, o uso de valores desviados da Petrobras para a tal aquisição do tríplex, base da denúncia, e que Moro reconheceu, em recente sentença que proferiu, a necessidade de rastreamento de valores para condenação em lavagem e corrupção.

“No caso da sentença dada contra Lula não houve qualquer rastreamento de valores. Certa de que jamais existiu, a defesa fez o pedido da prova. Mas o juiz negou a prova pericial para verificar se algum valor proveniente da Petrobras havia sido destinado a Lula. Por quê?”, questiona Humberto.

Ele sustenta que não há qualquer relação entre a Petrobras e o tríplex e que fica claro nos autos que o imóvel não é de Lula e jamais foi entregue a ele. O parlamentar lembra que a denúncia afirma que o tríplex foi ‘efetivamente entregue’, informação que consta na página 93 do despacho. “Já a sentença, sem relação com a denúncia, diz que foi ‘atribuído’ a Lula. Como assim?”, pergunta.

No entendimento de Humberto, o fato é que Lula foi acusado de ter recebido a propriedade do tríplex, mas que a decisão de Moro escapou dessa análise fundamental do caso.

“Moro foi capaz de afirmar que Lula indicou e manteve diretores na Petrobras, atribuições do Conselho de Administração da estatal. A sentença simplesmente desprezou os depoimentos de Fabio Barbosa e Jorge Guerdau, que mostraram a realidade sobre a nomeação de diretores da Petrobras”, concluiu.

Humberto defende Lula e diz que impedir sua candidatura seria uma tentativa de cassar o voto de milhões de brasileiros

Humberto:  Lula é o candidato que está nas frentes das pesquisas, os eleitores querem votar nele.

Humberto: Lula é o candidato que está nas frentes das pesquisas, os eleitores querem votar nele.

 

 

Um dia após ter se reunido com o ex-presidente Lula (PT) em São Paulo, junto com a vereadora Marília Arraes (PT), o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT), saiu na defesa da candidatura do ex-presidente à Presidência da República. Para o senador, há uma clara tentativa de eliminar Lula do processo eleitoral.

“Nós não podemos aceitar que se faça uma eleição sem que Lula seja candidato porque não seria eleição, seria uma farsa. Lula é o candidato que está nas frentes das pesquisas, os eleitores querem votar nele. Há uma grande tentativa de manchar a reputação do ex-presidente de todas as formas, a ponto de quererem inventar agora uma condenação. Isso seria um jeito de cassar o voto de milhões de brasileiros”, afirmou o senador.

As declarações de Humberto foram dadas durante o encontro do Conselho Deliberativo da Fetape, em Carpina. O encontro reuniu toda a direção da instituição. Além do presidente da Federação, Doriel Barros, também estiveram presentes ao evento o presidente da Contag, Aristides Santos, o presidente da CUT, Carlos Veras, os prefeitos de Águas Belas, Luiz Aroldo e de Jaqueira, Marivaldo Andrade, ambos do PT, além do presidente do partido, Bruno Ribeiro.

Na ocasião, o senador disse ainda que a oposição deve intensificar as conversas para tentar reveter os votos favoráveis a Reforma Trabalhista no Senado. “A gente vai seguir lutando até o último minuto, vamos conversar com os senadores que ainda estão em dúvida, que podem virar o jogo. Há uma tentativa muito clara deste governo Temer de desmonte de todas as políticas sociais que foram construídas no País, praticamente desde a instituição da Lei Áurea. Vamos nos manter mobilizados e pressionar os parlamentares contra esse projeto nefasto”, afirmou Humberto.

Liderança isolada de Lula mostra força política do ex-presidente, diz Humberto

Humberto: Nunca existiu um ditado mais certeiro para um político que aquele que diz: Lula é como massa de bolo, quanto mais batem, mais ele cresce. Foto: Roberto Stuckert Filho

Humberto: Nunca existiu um ditado mais certeiro para um político que aquele que diz: Lula é como massa de bolo, quanto mais batem, mais ele cresce. Foto: Roberto Stuckert Filho

 

Apesar da campanha difamatória que vem sofrendo, o ex-presidente Lula segue despontando nas pesquisas de opinião. Nesta segunda-feira (26), foi a vez do Datafolha divulgar os números do seu levantamento em que Lula aparece isolado em primeiro lugar, com 29% a 30% das intenções de voto, em todos os cenários. Em segundo lugar, tecnicamente empatados aparecem Jair Bolsonaro (PSC) e Marina Silva (Rede), com algo em torno de 13% a 15%. O candidato do PSDB mais bem posicionado na pesquisa é o prefeito de São Paulo, João Dória, com 10%.

Para o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT), os números revelam a força política do ex-presidente. “Lula é um fenômeno, o melhor presidente que o Brasil já teve. E o povo sabe reconhecer isso. Mesmo com todos os ataques que vem sofrendo, ele segue disparado na frente. Nunca existiu um ditado mais certeiro para um político que aquele que diz: Lula é como massa de bolo, quanto mais batem, mais ele cresce”, enalteceu o senador.

Humberto também comemorou os dados do instituto que apontam o crescimento da popularidade do PT. De acordo com o levantamento, o partido alcançou a sua maior empatia popular desde a segunda posse da ex-presidente Dilma Rousseff. Para o Datafolha, é o partido favorito de 18% da população.

Para Humberto, o crescimento da avaliação positiva da legenda em um cenário tão adverso como o atual, com o País passando por uma grande crise política e econômica, mostra que as pessoas têm tomado consciência de que o PT é a melhor alternativa para o País sair da crise. “Com o golpe contra Dilma e a ascensão da direita no Brasil, a população começou a sentir os efeitos desse tipo de governo, que oprime os trabalhadores, mas mantém os privilégios do mais ricos. Vem crescendo um sentimento nas pessoas de que só um partido como o PT tem a legitimidade e a força para tirar o país da crise”, afirmou.

Humberto busca unidade do PT para eleição de novo comando do partido

Ao lado de Lula e Dilma, Humberto quer ver o PT engajado com os interesses da população brasileira. Foto: Roberto Stuckert Filho

Ao lado de Lula e Dilma, Humberto quer ver o PT engajado com os interesses da população brasileira. Foto: Roberto Stuckert Filho

 

Líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE) fica em Brasília até a tarde deste sábado para participar do 6º Congresso Nacional do PT, aberto na noite dessa quinta-feira (1º) com as presenças dos ex-presidentes Lula e Dilma. A principal missão do senador é ajudar a costurar um acordo que una todas as tendências internas em torno do futuro comando da legenda, que será eleito na manhã do sábado.

Os senadores Gleisi Hoffmann (PR) e Lindbergh Farias (RJ) disputam a presidência nacional do partido num processo eleitoral que também escolherá os representantes da executiva e do diretório nacionais. “A mensagem de Lula na solenidade de abertura foi muito clara: temos que buscar unir nossas forças aqui dentro para que possamos ter um discurso forte e coerente lá para fora, para todos os brasileiros. O PT tem de vocalizar, cada vez mais, os interesses dos mais de 200 milhões de cidadãs e cidadãos deste país”, esclareceu Humberto.

As bancadas do partido na Câmara e no Senado, ao lado de centenas de militantes, lotaram o auditório de um centro de convenções na capital federal para ouvir as falas de Dilma e Lula, que foram transmitidas ao vivo pelas redes sociais de Humberto Costa. Os dois ex-presidentes estavam afinados no discurso de que o golpe parlamentar ocorrido em 2016 é continuado e segue firme na destruição de direitos e conquistas históricas do povo brasileiro.

“Há uma força e uma unidade muito grande em torno da saída imediata de Michel Temer da Presidência da República e da urgente necessidade de eleições diretas. A pressão para isso já aumentou enormemente, estamos ampliando as frentes de luta com outras entidades e vamos tomar as ruas do Brasil. A saída para Temer é a renúncia. E para o Congresso, aprovar eleições diretas”, analisa Humberto.

Para assistir à abertura do evento do PT, estavam presentes delegações internacionais de vários países, como África do Sul e Argentina, presidentes de partidos políticos, como o PCdoB e o PCO, e dirigentes de entidades da sociedade civil, como a UNE, a CUT e o MST. O congresso nacional do partido acaba na manhã deste sábado, após a eleição do seu novo comando.

“Projeto de eleições diretas é aprovado na CCJ e fica mais perto de se tornar realidade”, comemora Humberto

Humberto: Essa é uma grande vitória para o povo brasileiro. Foto: Roberto Stuckert Filho

Humberto: Essa é uma grande vitória para o povo brasileiro. Foto: Roberto Stuckert Filho

 
O líder da Oposição, Humberto Costa (PT), comemorou, nesta quarta-feira (31), a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que estabelece eleições diretas para a Presidência da República no caso de ausência definitiva do presidente e do vice nos três primeiros anos de mandato do chefe do Executivo federal. O texto segue agora para plenário.

“Essa é uma grande vitória para o povo brasileiro. O cenário político no País segue difuso, mas tem duas coisas muito claras: Temer não tem nenhuma condição de seguir no Palácio do Planalto e o Congresso Nacional não tem legitimidade para eleger o seu sucessor. A população quer escolher o seu presidente e acabar com esse ciclo de golpes que aconteceram no país”, afirmou o senador.

Se aprovada em definitivo este ano, a PEC pode garantir eleições diretas no caso da saída do presidente Michel Temer (PMDB) do cargo. Temer é acusado de participação em esquemas de corrupção e recentemente foi gravado em conversa com o presidente da JBS, Joesley Batista, consentindo com a compra do silêncio do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB).

Para Humberto, a aprovação da PEC atende ao desejo da maioria da população. Segundo levantamento do instituto Paraná Pesquisas, divulgado nesta quarta-feira (31), cerca de 90% dos brasileiros é a favor da realização de eleições diretas para a escolha do sucessor de Michel Temer. A pesquisa também mostra a crescente rejeição a Temer que, de acordo com os dados, é aprovado por apenas 6,4% dos brasileiros.

“Só uma eleição direta daria a legitimidade que o comandante do País precisa para colocar o Brasil de volta aos trilhos, garantir o desenvolvimento e o emprego dos brasileiros. Não podemos aceitar mais golpes. O País não resistiria a mais uma lambança do Congresso Nacional que tirou uma presidente legitimamente eleita para colocar em seu lugar o presidente da República mais odiado da história do País”, analisou Humberto.

Moro não pode condenar Lula sem provas e impedir sua candidatura, diz Humberto

 

Para Humberto, uma democracia madura não pode permitir que um único homem do Judiciário, sem apresentar provas documentais, tenha o poder de decidir o futuro de um cidadão. Foto: Roberto Stuckert Filho

Para Humberto, uma democracia madura não pode permitir que um único homem do Judiciário, sem apresentar provas documentais, tenha o poder de decidir o futuro de um cidadão. Foto: Roberto Stuckert Filho

 

Após participar, em Curitiba, de uma reunião da Executiva Nacional do PT, da qual é integrante, e acompanhar o depoimento de Lula à Justiça Federal, o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), declarou, nessa quinta-feira (11), que não há qualquer prova contra o ex-presidente e, uma condenação assim, fere a democracia brasileiro.

“Um único juiz com uma caneta na mão não pode ter o poder de caçar, sem elementos probatórios, o direito de voto de milhões de brasileiros que defendem a candidatura presidencial dele em 2018″, afirmou o senador.

A declaração de Humberto foi feita durante discurso na praça Santos de Andrade, no centro da capital paranaense, onde milhares de pessoas se concentraram durante todo a quarta para prestar solidariedade ao ex-presidente. Lula chegou ao local por volta das 19h30, após prestar depoimento ao juiz Sérgio Moro, e agradeceu, imensamente, o apoio dado a ele diante do massacre que sofre.

“Não quero ser julgado por convicções, mas sim por provas”, disse Lula, recepcionado com grande festa e carinho pelo público. Dezenas de milhares de pessoas de todas as partes do país foram até Curitiba defender o Estado Democrático de Direito.

Para Humberto, que ainda recepcionou Lula no aeroporto pela manhã, uma democracia madura não pode permitir que um único homem do Judiciário, sem apresentar provas documentais, tenha o poder de decidir o futuro de um cidadão, principalmente em um país onde grande parte da população o quer de volta à Presidência.

“Nós, do Nordeste, de Pernambuco, não aceitamos que seja feito um julgamento injusto, porque o que estão julgando não é se Lula cometeu crime ou não. É o fato de que foi ele quem levou ao Nordeste educação, saúde, cultura e uma vida digna. Foi com Lula que a região mais pobre deste país conheceu o que é dignidade e o que é cidadania. E é isso que eles querem tirar”, afirmou o parlamentar.

O senador lembrou que a presidenta Dilma Rousseff foi retirada do poder sem ter cometido crime algum, em um golpe patrocinado por grande parte do empresariado e pela mídia. “Agora, querem impedir Lula de ser eleito presidente sem, novamente, ter prova de que ele cometeu qualquer crime”, disse.

Humberto também declarou que a luta do povo deve continuar contra as propostas do presidente não eleito Michel Temer (PMDB), até que sejam enterradas no Congresso Nacional. Segundo ele, as mobilizações irão se intensificar até a próxima greve geral, planejada por centrais sindicais para as próximas semanas.

“Temos que lutar contra essas pseudoreformas que estão querendo fazer contra o povo. Mas, acima de tudo, para a gente conquistar a antecipação das eleições gerais para o Congresso, governo e para Presidência da República. E aí não vai ter Moro, nem Rede Globo, nem jornal de imprensa para impedir. A grande vitória do povo brasileiro com Lula presidente virá”, reiterou.

Moro está determinado a impedir candidatura de Lula, diz Humberto

Para Humberto, juiz perdeu a imparcialidade necessária ao agir como acusador do ex-presidente. Foto: Roberto Stuckert Filho

Para Humberto, juiz perdeu a imparcialidade necessária ao agir como acusador do ex-presidente. Foto: Roberto Stuckert Filho

 

A um dia do primeiro depoimento do ex-presidente Lula ao juiz Sergio Moro, no âmbito da Operação Lava Jato, o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), criticou a conduta parcial adotada pelo magistrado contra o petista. O parlamentar avalia que Moro atua como um promotor no caso, e não como um juiz, e que está determinado a impedir a candidatura de Lula, líder em todas as pesquisas de opinião para a disputa presidencial de 2018.

“Todos nós acompanhamos, com uma grande preocupação, esse papel que o próprio juiz tem assumido em relação ao processo de julgamento do presidente Lula. Ele teria que se declarar, sem dúvida, suspeito para esse julgamento, porque tem assumido, claramente, o papel não de juiz do processo, mas quase que de um promotor, quase que de acusador”, afirmou Humberto no plenário do Senado, nessa segunda-feira.

O senador viajou para Curitiba, nesta terça-feira, para participar de uma reunião da Executiva Nacional do PT, da qual é integrante, e acompanhar, amanhã, o depoimento de Lula.

Ao longo das investigações da Lava Jato, o juiz já cometeu uma série de equívocos, ressaltados inclusive por juristas renomados, como a autorização de uma condução coerciva de Lula sem nunca o ter chamado para depor, a liberação de grampos telefônicos ilegalmente e, agora, a rejeição da gravação do depoimento solicitada pela defesa do petista.

Para Humberto, o magistrado faz acusações descabidas e nega várias iniciativas dos advogados de Lula que são do direito de defesa individual de cada cidadão.
“Quem tem criado todo um ambiente de holofotes sobre esse julgamento é o juiz Sergio Moro. E agora vem querer acusar o presidente Lula de transformar o seu depoimento em ato político. Ato político ou atos políticos foram aqueles que foram cometidos desde o início desse processo contra Lula. E não por ele”, reiterou.

O senador ressaltou que a última semana também ficou marcada por algo absolutamente surreal: todos os possíveis delatores foram urgentemente chamados a depor, segundo ele, sem obrigação de dizer a verdade, para fazer acusações sem provas ao presidente Lula.

De acordo com o parlamentar, chegou ao ponto de um deles dizer que tinha uma conta secreta no exterior, que o presidente Lula teria dito a ele que apagasse todos os indícios para a conta não permanecer mais ativa.

“E o sistema financeiro internacional? O sistema financeiro suíço não tem registradas as contas que foram abertas e foram fechadas? É óbvio que isso é uma falta com a verdade, que foi cometida por esse cidadão. E mais ainda: qual é a intenção final do Sr. Sérgio Moro? É exatamente criar as condições para impedir a candidatura do Presidente Lula”, criticou.

O líder da Oposição questionou os reais interesses de Moro em relação ao futuro do país. Da tribuna, ele perguntou se é justo que uma única pessoa, um único cidadão queira caçar o direito de centenas de milhões de brasileiros de escolher um candidato a Presidente da República.

“Porque é isto que está acontecendo: a perseguição, a politização, tudo que tem sido feito pelo juiz Sérgio Moro. Ao final vai querer chegar a esta definição: o impedimento da candidatura”, concluiu.

Para a quarta-feira, um grande ato está previsto em Curitiba com a finalidade de acompanhar o depoimento do ex-presidente. Lula é esperado no evento na capital paranaense, logo após o fim da sua audiência na 13ª Vara da Justiça Federal.

Tucanos estão reduzidos a pó e são tão rejeitados pelo povo quanto Temer, diz Humberto

Humberto: o PSDB, o maior apoiador do impeachment de Dilma e contrário às políticas sociais, está destruído. Foto: Wlademir Barreto/ Agência Senado

Humberto: o PSDB, o maior apoiador do impeachment de Dilma e contrário às políticas sociais, está destruído. Foto: Wlademir Barreto/ Agência Senado

 

 

Depois de participar dos protestos nas ruas do Recife contra as reformas do governo do presidente não eleito Michel Temer (PMDB), na última sexta-feira (28), e das comemorações do Dia do Trabalhado ontem (1º), o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), afirmou que os brasileiros disseram um sonoro “não” a Temer e a todos os que financiaram a sua chegada ilegítima ao poder, como o PSDB, o DEM e o PPS.

“Os tucanos estão devastados e reduzidos a pó. Temer é o PSDB e o PSDB é Temer. Essa é a verdade. E o nosso lado é o da oposição, que temos exercido de maneira responsável, demonstrando, dia a dia, o desmonte que essa trupe tem promovido nos direitos da população”, declarou Humberto.

Segundo ele, a ascensão cada vez maior de Lula, a despeito de toda a caçada política empreendida contra o ex-presidente, é a resposta mais bem acabada da população sobre o que quer para o seu futuro e sobre o que não quer no Palácio do Planalto.

“Os brasileiros dizem ‘não’ a todos os patrocinadores desse ataque perpetrado contra a nossa democracia, que é continuado, em razão dos tantos direitos que estão sendo usurpados de maneira aterradora por essa patota que tomou o governo de assalto”, declarou.

O senador citou dados das últimas pesquisas de opinião, que mostram Lula na liderança absoluta da corrida presidencial e a recorde rejeição de Temer e suas reformas, e ressaltou que o PSDB, o maior apoiador do impeachment de Dilma e contrário às políticas sociais que resgataram a dignidade do povo brasileiro, está destruído.

“Quatro vezes consecutivas derrotado para a Presidência da República, o PSDB aparece devastado, reduzido a pó, com suas lideranças absolutamente rejeitadas pela população, atrás de gente como Jair Bolsonaro (PSC-RJ), que os próprios tucanos ajudaram a criar, estimulando suas posições fascistas, e hoje se veem engolidos por ele”, disparou.

Para o líder da Oposição, o senador Aécio Neves, por exemplo, que “incendiou este país após ter sido derrotado por Dilma em 2014, arrumando todo o tipo de expediente para tentar derrubá-la até que conseguiu golpeá-la pelo parlamento”, tem apenas 8% das intenções de voto.

“Ele tinha um patrimônio de mais de 51 milhões de votos e hoje está reduzido a um papel político secundário no Brasil. Isso é a prova de que os brasileiros entendem, com toda a justiça, que a desgraça em que o país está hoje é responsabilidade do PSDB, do PMDB, do DEM, do PPS, que financiaram e apoiam integralmente o governo Temer, uma gestão que tem destruído o Brasil”, reiterou.

Humberto ressaltou que o PSDB votou fechado com a reforma trabalhista, acabando com direitos históricos dos trabalhadores; e defende a reforma da Previdência de Temer, que vai trucidar com uma série de conquistas, obrigando a população a trabalhar mais para ganhar menos. “O PSDB, enfim, é mentor e partícipe da pauta retrógrada desse governo, que ele sustenta e com quem está vigorosamente atado nesse abraço de afogados”, afirmou.

O parlamentar concluiu o seu discurso pedindo para o Senado votar uma Proposta de Emenda à Constituição que permita a realização de eleições gerais em outubro deste ano, porque o “Brasil não aguenta mais esse governo lesa-pátria e não suporta essas políticas de retrocesso de décadas”.

Página 3 de 1112345...10...Última »