Programa Mais Médicos

Precisamos de união contra os retrocessos de Bolsonaro, afirma Humberto no Araripe

 Humberto foi o senador mais votado em todos os municípios do Sertão do Araripe e aproveitou a plenária para reafirmar o sentimento de indignação com o fim do programa Mais Médicos. Foto: Asscom HC


Humberto foi o senador mais votado em todos os municípios do Sertão do Araripe e aproveitou a plenária para reafirmar o sentimento de indignação com o fim do programa Mais Médicos. Foto: Asscom HC

 

União dos brasileiros contra as medidas retrógradas anunciadas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro e pelo fortalecimento da democracia. Esse foi o pedido do líder da Oposição a Temer no Senado, Humberto Costa (PT-PE), que, no sábado(17), participou de uma plenária na Câmara Municipal de Ouricuri com prefeitos, vereadores e outros líderes do Sertão do Araripe.

“Bolsonaro ainda não assumiu e já está trazendo retrocessos para o povo. Nós precisamos de muita união nesse momento para que possamos nos ajudar. Meu mandato será uma trincheira de resistência e vocês sabem que podem contar sempre comigo, assim como eu pude contar com vocês na minha grande votação aqui no Araripe”, disse Humberto.

Humberto foi o senador mais votado em todos os municípios do Sertão do Araripe e aproveitou a plenária para reafirmar o sentimento de indignação com o fim do programa Mais Médicos.

“Bolsonaro conseguiu acabar com um programa que, só aqui em Pernambuco, respondia pela atenção básica a 125 municípios, beneficiando mais de um milhão de pernambucanos. Muitas cidades, aqui do Araripe, contavam com 70% ou até mais do seu quadro de médicos com profissionais de Cuba. E agora? Vamos ficar sem essa atenção? Será que o presidente eleito sabe disso? É neste aspecto que vamos precisar, mais do que nunca, de união e luta”, alertou o senador.

O prefeito de Moreilândia, Eri (PSDB), agradeceu a presença de Humberto em Ouricuri. “É muito importante essa vinda de Humberto aqui, nós ficamos gratos. O senador vai ser a nossa voz em Brasília”, pontuou o prefeito. Enquanto o chefe do Executivo de Parnamirim, Tácio Pontes (PSB), falou do empenho do município para eleger o senador: “Nós fomos para as ruas levantando a bandeira de Humberto e ele foi o mais votado de Parnamirim. O povo está com o senador e vamos estar juntos e preparados para o que vem por aí nesses 4 anos”.

Já o prefeito de Trindade, Everton Costa (PSB), destacou a importância dessa unidade para defender os interesses dos nordestinos. “Nós não podemos aceitar menos direitos, menos médicos”. ele agradeceu ao senador “pelo empenho pelo Araripe e por todo o estado de Pernambuco”.

No domingo (18), Humberto foi até o Sítio do Ingá, distrito de Serrita, acompanhado pelo vice-prefeito do município, Tadeu Sá (PT), entregar um trator e equipamentos vindos de uma emenda parlamentar do senador (foto). “Esse trator vai ajudar demais a vida dos moradores aqui da região. Ele vem equipado com uma caçamba e um equipamento de aração. Os benefícios virão, desde o processo de plantio até na comercialização e transporte dos produtos”, justificou Humberto.

O vice-prefeito de Serrita, Tadeu Sá (PT), falou sobre a importância do equipamento. “Todas as famílias poderão utilizar o trator nas suas terras, o equipamento é do povo de Serrita. Humberto nunca faltou com o nosso município e essa entrega veio em um ótimo momento”, afirmou o prefeito.

Pernambuco perde quase 500 profissionais cubanos do Mais Médicos, lamenta Humberto

O Nordeste será uma das regiões brasileiras mais atingidas com a saída dos profissionais de Cuba.

O Nordeste será uma das regiões brasileiras mais atingidas com a saída dos profissionais de Cuba.

 

O Nordeste será uma das regiões brasileiras mais atingidas com a saída dos profissionais de Cuba. Eles estão deixando o programa Mais Médicos, após as declarações “ameaçadoras” do presidente eleito Jair Bolsonaro, que, durante a campanha eleitoral, afirmou que expulsaria os médicos cubanos com base na prova do Revalida.
“Só aqui em Pernambuco, perderemos exatamente 414 profissionais que atuavam em 123 municípios, inclusive nos Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI), que são cobertos exclusivamente pelos médicos cubanos”, lamentou o líder da Oposição a Temer no Senado, Humberto Costa (PT).
O parlamentar afirmou que quase 35 mil indígenas ficarão sem atendimento médico. “São 12 etnias, entre elas os Pankararus, Trukás e Fulni-ô, que ficarão à margem de qualquer tipo de serviço de saúde. É muita maldade com um povo com quem temos dívidas históricas e que não merecia passar por isso. Pela primeira vez após a criação do Mais Médicos, milhares desses índios tiveram acesso a um profissional de medicina”, lastimou o senador.
Segundo a Associação Municipalista de Pernambuco (AMUPE), a saída dos médicos cubanos causará um impacto em 1,6 milhão de pernambucanos, especialmente do sertão do estado. Ao todo, são 57 municípios sertanejos, sendo 46 atendidos pelo Mais Médicos e quase todos contando com profissionais de Cuba.
“Temos cidades de Pernambuco que contam quase que exclusivamente com médicos cubanos e que ficarão completamente sem assistência médica. Isso sem falar da excelência no atendimento que esses profissionais atuam nos locais mais carentes visitando os acamados e também fortalecendo a parte de prevenção”, lembrou Humberto.
Quando se fala em números, apenas dos médicos cubanos, está se falando em 594 mil pessoas cobertas pelos profissionais que realizam uma média de 350 atendimentos por mês. Serão, no mínimo, 50 mil consultas que Pernambuco perderá por mês com a saída dos cubanos.
“É de uma irresponsabilidade sem tamanho o que Bolsonaro provocou. O Mais Médicos, principalmente com a participação dos profissionais cubanos, mostrou ser um sucesso desde que foi criado em 2013 pela presidenta Dilma Rousseff”, alegou o senador.
Ao todo, são 18.240 profissionais em mais de 4 mil municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI). Desse quantitativo, mais de 8.500 são médicos cubanos. O programa atende a cerca de 63 milhões de brasileiros, de acordo com o Ministério da Saúde. Levantamento do governo divulgado em 2016 apontou que o Mais Médicos é responsável por 48% das equipes de Atenção Básica em municípios com até 10 mil habitantes. E em 1.100 municípios atendido pelo programa, o Mais Médicos representava 100% da cobertura de Atenção Básica.

Municípios devem receber novos profissionais pelo Mais Médicos, avisa Humberto

 

Humberto: O Mais Médicos foi um programa que revolucionou a área da atenção básica à saúde no Brasil.

Humberto: O Mais Médicos foi um programa que revolucionou a área da atenção básica à saúde no Brasil.

 

O Ministério da Saúde está finalizando o processo de convocação para 1,4 mil novos recrutados pelo programa Mais Médicos, bem como para a reposição de profissionais. As cidades interessadas em participar tiveram até a última quarta-feira para a inscrição, que abriu a possibilidade de adesão para novos municípios.

Em Pernambuco, 46 cidades possuem vagas para profissionais do Mais Médicos. Primeiramente, os espaços serão preenchidos com profissionais brasileiros com registro no país e, em caso de não ocupação de todas as vagas, elas serão oferecidas aos brasileiros formados no exterior. “O Mais Médicos foi um programa que revolucionou a área da atenção básica à saúde no Brasil. Hoje, centenas de cidades que nunca tiveram nenhum médico estão podendo contar com esses profissionais após a implantação do programa”, avaliou o líder do Governo no Senado, Humberto Costa (PT-PE).

Para a concessão de vagas às novas cidades, serão obedecidos critérios já definidos anteriormente em resolução como: a estimativa da população que necessita ser coberta pela Atenção Básica no município; a quantidade de equipes necessárias para atendimento de 100% da população com maior prioridade; o teto de financiamento do Ministério da Saúde para equipes de Saúde da Família e a infraestrutura física das unidades básicas de saúde.

Já os profissionais de medicina formados no Brasil e que querem uma vaga nos municípios que pedem reposição tiveram até a última sexta-feira para se inscrever. Nos dias 27 e 28 próximos, os inscritos deverão escolher as cidades disponíveis. Caso as vagas não sejam preenchidas na chamada de médicos com CRM Brasil, serão abertas, em seguida, inscrições para brasileiros que se formaram no exterior. A previsão é que os médicos com CRM brasileiro iniciem suas atividades a partir de 16 de maio.

SOBRE O PROGRAMA – Criado em 2013, o Programa Mais Médicos ampliou à assistência na Atenção Básica fixando médicos nas regiões com carência ou inexistência de profissionais. Além do provimento emergencial de médicos, a iniciativa prevê ações voltadas à infraestrutura e expansão da formação médica no país.

O Governo Federal está investindo fortemente na expansão da rede de saúde. São mais de R$ 5 bilhões para o financiamento de construções, ampliações e reformas de 26 mil Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Já as medidas relativas à expansão e reestruturação da formação médica no país preveem a criação, até 2017, de 11,5 mil novas vagas de graduação em medicina e 12,4 mil vagas de residência médica para formação de especialistas com o foco na valorização da Atenção Básica e outras áreas prioritárias para o SUS. Destas, já foram autorizadas 5.849 vagas de graduação e 7.782 vagas de residência.