Ao lado de Humberto, Dilma é recebida por multidão na UnB

Líder de Dilma no Senado, Humberto está empenhado em realizar outros atos em favor da presidenta em todo o país. Foto: Assessoria de Imprensa
Líder de Dilma no Senado, Humberto está empenhado em realizar outros atos em favor da presidenta em todo o país. Foto: Assessoria de Imprensa

 
 
A noite dessa segunda-feira (30) na Universidade de Brasília (UnB) foi marcada por uma multidão presente no Memorial Darcy Ribeiro para encontrar a presidenta da República afastada Dilma Rousseff (PT). Ladeada por senadores, deputados federais e ex-ministros do seu governo, Dilma fez um dos discursos mais duros desde que o Senado autorizou o seguimento do processo de impeachment contra ela.
No evento organizado para o lançamento do livro “A resistência ao golpe de 2016”, a presidenta criticou a administração “interina e ilegítima de Michel Temer”, classificando-a como um “governo de homens brancos, velhos, ricos e machistas”. Líder de Dilma no Senado, Humberto Costa (PT-PE) participou do encontro, que deve se repetir em vários pontos do Brasil com a finalidade de criar uma reação popular contra o afastamento de Dilma.
“A presidenta foi direta e incisiva em muitos pontos. Nos áudios vazados nos últimos dias, responsáveis pela queda de dois ministros do governo golpista, só se fala em um complô para tirá-la do cargo, estancar a Lava Jato e livrar envolvidos. Há um completo silêncio sobre as seis chamadas pedaladas e sobre o Plano Safra, que foram usados como justificativas para derrubá-la do cargo”, afirmou Humberto. “Ou seja, foi tudo uma armação, uma descarada operação política, como sempre denunciamos.”
Dilma alegou ainda que, além do jogo para empastelar a Lava Jato, o seu afastamento também teve como meta acabar com a distribuição de renda no Brasil, por meio do desmantelamento das políticas públicas inclusivas adotadas desde o Governo Lula. “Estão desmontando o Minha Casa Minha Vida, retirando o subsídio aos mais pobres, esfacelando o SUS em favor de planos privados e deram início à exclusão de 37 milhões dos 45 milhões que são beneficiários do Bolsa Família. Quem vai pagar o pato desse golpe? Está claro que é quem sempre pagou: o povo brasileiro”, resumiu o senador Humberto Costa.
No evento da UnB, estiveram presentes professores, estudantes, intelectuais e líderes de movimentos sociais, como a presidenta da União Nacional dos Estudantes (UNE), Carina Vitral. Objeto de uma homenagem pessoal por parte de Dilma, a atriz Camila Márdila, que interpretou a personagem Jéssica no filme Que horas ela volta?, também participou do encontro.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment