Aprovação da PEC poderá gerar onda de protestos, avalia Humberto

Humberto: Quando a população começar a sentir os efeitos da PEC pode haver uma convulsão social. A proposta vai de encontro a tudo que os brasileiros têm defendido. Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT no Senado
Humberto: Quando a população começar a sentir os efeitos da PEC pode haver uma convulsão social. A proposta vai de encontro a tudo que os brasileiros têm defendido. Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT no Senado

 
Com base em levantamento divulgado por pesquisadores da Unifesp e USP, o líder do PT no Senado, Humberto Costa, avalia que, caso a PEC 55 seja aprovada, o País poderá ser palco de uma série de protestos ainda maiores em todo o Brasil. Segundo o senador, parte da população desconhece os feitos da medida, mas todos os levantamentos mostram claramente a rejeição da população à proposta do governo de Michel Temer (PMDB) de congelar os gastos com saúde e educação.
“Quando a população começar a sentir os efeitos da PEC pode haver uma convulsão social. A proposta vai de encontro a tudo que os brasileiros têm defendido. Na época da Copa do Mundo, milhões de pessoas foram às ruas pedir saúde e educação de qualidade. O que estão propondo é exatamente o oposto. Estão querendo acabar com o pouco que se conseguiu avançar no Brasil em termos de bem estar social”, avaliou Humberto.
O levantamento da Unifesp e USP mostra que cerca de 85% dos entrevistados condenam a ideia do governo cortar gastos com saúde e educação em momentos de crise. O levantamento revela, ainda, que a rejeição ao pacote de Temer se verifica tanto entre mais pobres (com renda de até R$ 1.760) quanto entre mais ricos (renda superior a R$ 17.600).
“À proporção que a informação sobre o que realmente trata a PEC 55 cresce, maior é, também, a crítica ao projeto. Falam de controle de despesas, usam uma retórica bonita, mas o fato é que a proposta não melhora os gastos públicos. Pelo contrário, aprofunda os problemas, as desigualdades e corta o dinheiro de áreas essenciais. No momento em que o povo precisa de incentivo, apoio para que a economia saia dessa crise, Temer parece decidido a cavar um buraco ainda maior”, acusou o senador.
Humberto Costa voltou a ressaltar as ocupações de unidades educacionais por estudantes que protestam contra a PEC 55 e contra uma reforma do ensino médio em andamento no ministério da Educação. Para ele, as ocupações estudantis têm uma importância história. “É o maior movimento da juventude desde a ditadura militar. São mais de mil escolas ocupadas”, destacou.
O levantamento foi coordenado por docentes das universidades Esther Solano (Unifesp) e Marcio Moretto Ribeiro e Pablo Ortellado (ambos da USP). A pesquisa ouviu 1.058 pessoas na cidade.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment