Dilma e senadores do PT querem mudanças no Código Florestal


O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), saiu do almoço no Palácio do Alvorada, oferecido nesta quinta-feira (26/5) pela presidenta Dilma Rousseff com a bancada do PT no Senado, com uma nova tarefa: a de ser um dos comandantes das negociações sobre a questão do código florestal. Humberto disse que o governo manifestará firmeza na construção de um texto para o Código Florestal que passa a tramitar no Senado, que contemple as preocupações com o meio ambiente mas também com a produção agrícola.
“A maneira como o texto foi votado na Câmara vai ensejar que internacionalmente haja questionamentos da posição do Brasil e até mesmo adoção de barreiras internacionais. Países deixarão de adquirir produtos brasileiros pelo fato de termos adotado medidas como estas”, esclareceu Humberto.

 
Segundo Humberto, a orientação de Dilma é que o Senado promova um debate tranqüilo
 
Assista entrevista com a presidenta Dilma sobre o assunto
 
 

Segundo ele, a orientação da presidenta Dilma é que o Senado promova um debate tranqüilo sobre o Código Florestal e que procure encontrar pontos de convergência – e isso é possível – para que o texto final possa representar todos os que defendem o meio ambiente e que o Brasil continue sendo uma fronteira agrícola.
Ao comentar sobre o primeiro encontro formal da bancada petista com a presidenta, Humberto Costa disse que houve reconhecimento da necessidade de proporcionar aproximação cada vez maior em torno das discussões que serão travadas no Senado: “A nossa expectativa é que tenhamos uma conversa permanente com os articuladores políticos do governo, para que possamos desenvolver um trabalho no Senado respaldado pela posição que o governo tem”, disse o líder.
A radicalização ou a colocação de dois polos de enfrentamento não é o melhor caminho. Segundo ele, se o texto do Código Florestal, por exemplo, for mantido como chegou da Câmara, conclui-se que os próprios produtores rurais serão prejudicados. “O que nós queremos é que os avanços sejam preservados, mas que o texto final reafirme as posições do Brasil de compromisso com a preservação do meio ambiente e esse é o desejo da presidenta”, afirmou Humberto.
O senador salientou ainda que irá conversar com todos os parlamentares da base aliada e com os partidos de oposição que estão incomodados em relação ao que foi aprovado na Câmara. “Este tema não envolveu um debate governo e oposição. Este tema permeia todos os partidos. Vamos procurar com uma posição de governo e aglutinar partidos de oposição na defesa daquilo que é melhor para o meio ambiente, para o Brasil e para a produção agrícola”, ressaltou.
Perguntado se o governo vai estabelecer troca de cargos por apoio ao texto do Código no Senado, o líder disse que presidenta Dilma afirmou recursar, terminantemente, qualquer condicionamento nas negociações. “Ela quer discutir a política e tem consciência que o Brasil entendeu o questionamento que fez sobre o texto aprovado e está ao nosso lado nessa posição. Vamos aproveitar, inclusive, este respaldo da população para fazer o debate de forma desapaixonada, mas de forma decidida”, comentou.
Sobre o ministro Palocci – Também presente no almoço entre os integrantes da bancada petista com a presidenta Dilma, o ministro-chefe da Casa Civil, Antônio Palocci, solicitou aos senadores um tempo para que fizesse uma apresentação pormenorizada a respeito de denúncias que tem sido vítima. “Por uma iniciativa dele, explicou várias coisas que irá apresentar à Procuradoria Geral da República. A mim, como os demais senadores, as explicações pareceram bastante consistentes”, disse Humberto. Segundo ele, as explicações que Palocci vai apresentar à Procuradoria tem começo, meio e fim.
Fonte: com informações do site da Liderança do PT.
Fotos: Roberto Stuckert Filho/PR.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment