Governo Dilma mostra a força da indústria naval, diz Humberto Costa

 

Dilma reforçou novo impulso da Petrobras, que tem batido recordes .  Foto: Ricardo Stuckert Filho/PR
Dilma reforçou novo impulso da Petrobras, que tem batido recordes . Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

O líder do PT no Senado, Humberto Costa, destacou, hoje, a força da indústria naval no governo da presidente Dilma Rousseff (PT). “Foi por causa da determinação dos governos do PT que o polo ressurgiu com força, trouxe mais desenvolvimento para o nosso Estado e garantiu mais empregos para os pernambucanos”, afirmou..
Humberto participou, nesta quinta-feira (14), do batismo do navio petroleiro Marcílio Dias e do lançamento ao mar do navio petroleiro André Rebouças, produzidos pelo Estaleiro Atlântico Sul, em Ipojuca (PE). O evento contou com a presença da presidente Dilma Rousseff, do presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, do governador Paulo Câmara e dos ministros de Minas e Energia, Eduardo Braga, e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro Neto, entre outras lideranças políticas.
Durante o evento, a presidenta Dilma Rousseff reforçou a importância de investir no desenvolvimento regional e na tecnologia nacional. “Tomamos a decisão de que a indústria naval não seria concentrada em um só local”, disse ela. “A política de conteúdo local é o centro de uma maior recuperação da capacidade de investimento do nosso país. É a história de uma decisão política.”
O presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, fez questão de falar da importância da retomada da indústria naval para a empresa. “Só com os oitos navios entregues ao longo de quatro anos, deixamos de gastar US$ 35 milhões por ano com aluguel de embarcações. Esses dois novos navios, somados a outros cinco, vão gerar uma economia de US$ 21 milhões só este ano, o que equivale a 60% dos custos que temos para transportar petróleo pelo mar.”
A construção do André Rebouças, lançado ao mar no início desta tarde, gerou a contratação de dois mil empregos diretos. O navio é do tipo Suezmax, mesmo modelo do Marcílio Dias, e se junta a outros quatro já entregues pelo EAS: João Cândido, Zumbi dos Palmares, Dragão do Mar e Henrique Dias.
As embarcações vão exportar petróleo cru retirado no pré-sal. Elas têm capacidade de transporte de cerca de um milhão de barris de petróleo cada, o equivalente a 80% da produção brasileira diária. Recentemente, a Petrobras bateu novo recorde na extração de petróleo nas bacias do pré-sal de Santos e Campos, atingindo a marca de 800 mil barris por dia. No momento, há 14 navios encomendados pela Transpetro a estaleiros nacionais em diferentes fases de construção, sendo seis no estágio de acabamento. Quatro deles estão sendo produzidos em Pernambuco.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment