Humberto busca unidade do PT para eleição de novo comando do partido

Ao lado de Lula e Dilma, Humberto quer ver o PT engajado com os interesses da população brasileira. Foto: Roberto Stuckert Filho
Ao lado de Lula e Dilma, Humberto quer ver o PT engajado com os interesses da população brasileira. Foto: Roberto Stuckert Filho

 
Líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE) fica em Brasília até a tarde deste sábado para participar do 6º Congresso Nacional do PT, aberto na noite dessa quinta-feira (1º) com as presenças dos ex-presidentes Lula e Dilma. A principal missão do senador é ajudar a costurar um acordo que una todas as tendências internas em torno do futuro comando da legenda, que será eleito na manhã do sábado.
Os senadores Gleisi Hoffmann (PR) e Lindbergh Farias (RJ) disputam a presidência nacional do partido num processo eleitoral que também escolherá os representantes da executiva e do diretório nacionais. “A mensagem de Lula na solenidade de abertura foi muito clara: temos que buscar unir nossas forças aqui dentro para que possamos ter um discurso forte e coerente lá para fora, para todos os brasileiros. O PT tem de vocalizar, cada vez mais, os interesses dos mais de 200 milhões de cidadãs e cidadãos deste país”, esclareceu Humberto.
As bancadas do partido na Câmara e no Senado, ao lado de centenas de militantes, lotaram o auditório de um centro de convenções na capital federal para ouvir as falas de Dilma e Lula, que foram transmitidas ao vivo pelas redes sociais de Humberto Costa. Os dois ex-presidentes estavam afinados no discurso de que o golpe parlamentar ocorrido em 2016 é continuado e segue firme na destruição de direitos e conquistas históricas do povo brasileiro.
“Há uma força e uma unidade muito grande em torno da saída imediata de Michel Temer da Presidência da República e da urgente necessidade de eleições diretas. A pressão para isso já aumentou enormemente, estamos ampliando as frentes de luta com outras entidades e vamos tomar as ruas do Brasil. A saída para Temer é a renúncia. E para o Congresso, aprovar eleições diretas”, analisa Humberto.
Para assistir à abertura do evento do PT, estavam presentes delegações internacionais de vários países, como África do Sul e Argentina, presidentes de partidos políticos, como o PCdoB e o PCO, e dirigentes de entidades da sociedade civil, como a UNE, a CUT e o MST. O congresso nacional do partido acaba na manhã deste sábado, após a eleição do seu novo comando.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment