Levy foi vítima de intriga e má-fé da oposição, afirma Humberto sobre o hub

Para Humberto, oposição distorceu fala de ministro para atingir governo. Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT no Senado
Para Humberto, oposição distorceu fala de ministro para atingir governo. Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT no Senado

 
A informação de que o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, teria dito no plenário da Câmara dos Deputados que o hub da Latam seria instalado em Fortaleza foi desmentida pelo líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), após conversas com integrantes do primeiro escalão do Governo Federal. Para o senador, foi mais uma demonstração da má-fé da oposição, que não trabalha pelo país e segue rezando pela cartilha do “quanto pior, melhor”.
Em uma longa audiência na chamada Comissão Geral da Câmara – comandada pelo próprio presidente da Casa, Eduardo Cunha – Levy foi questionado pelo deputado cearense Moroni Torgan (DEM) sobre a relação entre a reforma do ICMS e a aprovação do projeto de repatriamento de recursos de brasileiros no exterior não declarados à Receita Federal. O governo espera unificar as alíquotas estaduais do tributo a partir da criação de um fundo de compensação alimentado com os recursos repatriados.
“As grandes fortunas que estão lá fora vão, pela primeira vez, contribuir para o Brasil poder progredir, ter investimento (…) O dinheiro do ICMS pago no Ceará, vai ficar no Ceará. O Ceará, com o dinheiro das grandes fortunas, vai poder financiar infraestrutura, desenvolvimento, vai poder ajudar o novo aeroporto, que vai ser licitado, que vai ser uma concessão, que vai ser um verdadeiro hub do Nordeste. Isso vai trazer uma nova condição de vida não só para o Ceará, mas para todos os Estados do Nordeste, do Norte e também do Centro-Oeste”, afirmou o ministro.
O termo hub, no contexto da concessão pela qual passará o aeroporto Pinto Martins, em Fortaleza, significa um “aeroporto que se caracteriza pela dimensão e atração de grande número de voos”, como já indicado no Plano de Investimento em Logística (PIL) do Governo Federal.
Pouco tempo depois de saber que a sua fala havia sido distorcida, o ministro demonstrou irritação e fez questão de registrar o que tinha dito. “Quero esclarecer uma confusão. Não sei qual escolha de uma empresa privada, não influenciei e não estou influenciando. Não tenho nada com escolhas de empresas privadas”, afirmou o ministro da Fazenda.
Logo em seguida, o deputado Fábio Faria (PSD-RN), cujo Estado disputa com Pernambuco e Ceará o hub da Latam, abordou novamente Joaquim Levy sobre o tema. O ministro reiterou os termos da sua fala dizendo que “o Rio Grande do Norte fez o mesmo no aeroporto de São Gonçalo do Amarante” e que, agora, junto com a concessão do aeroporto de Fortaleza, ambos seriam “hubs de turismo”.
“É baixo o jogo da oposição. Fica evidente que o governo não tem poder decisório sobre uma empresa privada e, se tivesse, não seria o ministro da Fazenda que teria o poder de tomar uma decisão como essa. O que quiseram foi, mais uma vez, tumultuar o ambiente para atingir o ministro Levy e, por tabela, atingir o governo”, criticou Humberto.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment