Médico e ex-ministro da saúde, Humberto alerta para males decorrentes do fumo

O senador Humberto Costa (PT-PE) destacou nesta quinta-feira (31/5), Dia Mundial sem Tabaco, os males decorrentes da prática de fumar. Entre os danos causados pelo cigarro, o senador citou os diversos tipos de câncer, problemas respiratórios e cardiovasculares, impotência masculina e infertilidade feminina. Ele lembrou que o cigarro não é prejudicial somente para os fumantes, mas também para as demais pessoas e o meio ambiente.
“Os não fumantes expostos à fumaça do cigarro têm 30% a mais de chances de desenvolver o câncer de pulmão e 24% a mais de sofrer infarto e doenças cardiovasculares”, esclareceu.
Humberto Costa relatou, ainda, os danos causados ao meio ambiente ao longo da cadeia de produção do tabaco, com o uso de agrotóxicos, desmatamento, incêndios, resíduos urbanos e marinhos. “Os agricultores, por exemplo, são vítimas tanto dos pesticidas quanto de doenças provocadas pelo manuseio da folha do tabaco, a chamada doença do tabaco verde”, disse.
O senador ressaltou que as doenças provocadas pelo cigarro oneram o Sistema Único de Saúde (SUS), que já necessita de mais recursos para se modernizar e atender adequadamente às demandas da população. Ele citou estudo financiado pela ong Aliança de Controle do Tabagismo (ACT) apontando que a quantia arrecadada pela Receita Federal com produtos derivados do tabaco, em 2011, foi três vezes e meia menor do que as despesas com o tratamento de doenças causadas pelo produto.
Diante desses males, Humberto Costa destacou a luta pela conscientização dos riscos do tabaco e defendeu que subcomissão temporária sobre financiamento da saúde discuta a elevação de tributos incidentes sobre “bens supérfluos e não saudáveis”, como o cigarro. “Creio que o Senado Federal pode dar importantes contribuições com debates e propostas para a redução dessa prática tão nociva à sociedade”, afirmou.
Fonte: Agência Senado.
Foto: Waldemir Barreto / Agência Senado.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment