Moro não pode condenar Lula sem provas e impedir sua candidatura, diz Humberto

 

Para Humberto, uma democracia madura não pode permitir que um único homem do Judiciário, sem apresentar provas documentais, tenha o poder de decidir o futuro de um cidadão. Foto: Roberto Stuckert Filho
Para Humberto, uma democracia madura não pode permitir que um único homem do Judiciário, sem apresentar provas documentais, tenha o poder de decidir o futuro de um cidadão. Foto: Roberto Stuckert Filho

 
Após participar, em Curitiba, de uma reunião da Executiva Nacional do PT, da qual é integrante, e acompanhar o depoimento de Lula à Justiça Federal, o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), declarou, nessa quinta-feira (11), que não há qualquer prova contra o ex-presidente e, uma condenação assim, fere a democracia brasileiro.
“Um único juiz com uma caneta na mão não pode ter o poder de caçar, sem elementos probatórios, o direito de voto de milhões de brasileiros que defendem a candidatura presidencial dele em 2018”, afirmou o senador.
A declaração de Humberto foi feita durante discurso na praça Santos de Andrade, no centro da capital paranaense, onde milhares de pessoas se concentraram durante todo a quarta para prestar solidariedade ao ex-presidente. Lula chegou ao local por volta das 19h30, após prestar depoimento ao juiz Sérgio Moro, e agradeceu, imensamente, o apoio dado a ele diante do massacre que sofre.
“Não quero ser julgado por convicções, mas sim por provas”, disse Lula, recepcionado com grande festa e carinho pelo público. Dezenas de milhares de pessoas de todas as partes do país foram até Curitiba defender o Estado Democrático de Direito.
Para Humberto, que ainda recepcionou Lula no aeroporto pela manhã, uma democracia madura não pode permitir que um único homem do Judiciário, sem apresentar provas documentais, tenha o poder de decidir o futuro de um cidadão, principalmente em um país onde grande parte da população o quer de volta à Presidência.
“Nós, do Nordeste, de Pernambuco, não aceitamos que seja feito um julgamento injusto, porque o que estão julgando não é se Lula cometeu crime ou não. É o fato de que foi ele quem levou ao Nordeste educação, saúde, cultura e uma vida digna. Foi com Lula que a região mais pobre deste país conheceu o que é dignidade e o que é cidadania. E é isso que eles querem tirar”, afirmou o parlamentar.
O senador lembrou que a presidenta Dilma Rousseff foi retirada do poder sem ter cometido crime algum, em um golpe patrocinado por grande parte do empresariado e pela mídia. “Agora, querem impedir Lula de ser eleito presidente sem, novamente, ter prova de que ele cometeu qualquer crime”, disse.
Humberto também declarou que a luta do povo deve continuar contra as propostas do presidente não eleito Michel Temer (PMDB), até que sejam enterradas no Congresso Nacional. Segundo ele, as mobilizações irão se intensificar até a próxima greve geral, planejada por centrais sindicais para as próximas semanas.
“Temos que lutar contra essas pseudoreformas que estão querendo fazer contra o povo. Mas, acima de tudo, para a gente conquistar a antecipação das eleições gerais para o Congresso, governo e para Presidência da República. E aí não vai ter Moro, nem Rede Globo, nem jornal de imprensa para impedir. A grande vitória do povo brasileiro com Lula presidente virá”, reiterou.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment