Parlasul cria comissão sobre uso e tráfico de drogas

Humberto:  "Esse é um grande desafio para os Estados Membros do Mercosul, que vêm sofrendo com o avanço das drogas. Foto: Assessoria de Comunicação
Humberto: “Esse é um grande desafio para os Estados Membros do Mercosul, que vêm sofrendo com o avanço das drogas. Foto: Assessoria de Comunicação

 
Os membros do Parlamento do Mercosul (Parlasul) decidiram criar uma comissão especial para analisar a situação do uso e do tráfico de drogas nos países do bloco. A proposta foi votada e aprovada na 35ª Sessão Ordinária da instituição, que ocorre nesta segunda-feira (14) em Montevidéu, no Uruguai, e da qual participa o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE).
“Esse é um grande desafio para os Estados Membros do Mercosul, que vêm sofrendo com o avanço das drogas sem políticas públicas inteligentes para fazer face a esse fenômeno”, afirmou o líder do PT. No mesmo encontro, os congressistas também discutiram a criação de centros de reabilitação de dependentes de drogas nas zonas de convergência de três fronteiras dos países membros.
Desde 2013, o Governo do Uruguai passou a controlar toda a cadeia produtiva da maconha: cultivo, colheita, produção, venda e consumo. O país criou o Instituto de Regulação e Controle de Cannabis (IRCCA), que pode dar licenças, aplicar multas e suspensões a infratores até destruir produções irregulares. Os primeiros resultados positivos mostram que a experiência tem sido exitosa.
Na sessão desta segunda, o Parlasul também aprovou recomendação referente à implementação de medidas de controles e prevenção da dengue nos países que compõem o bloco. “Há uma forte preocupação que os mesmos problemas pelos quais o Brasil passa hoje com o Aedes aegypt estendam-se para todo o continente. Precisamos de medidas coletivas na área de saúde para combater o mosquito”, ponderou Humberto.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment