Nova vistoria às obras da Transposição do São Francisco, desta vez no Eixo Leste


O senador Humberto Costa (PT/PE) participa nesta sexta-feira (19/4) de mais uma vistoria às obras do Projeto de Integração do Rio São Francisco, parte do seu trabalho de relator da Comissão Externa para acompanhar os Programas de Transposição e Revitalização do Rio São Francisco (CTERIOSFR). Desta vez, ao lado do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, e do presidente da comissão, senador Vital do Rêgo (PMDB/PB), o petista irá conhecer as construções do chamado Eixo Leste, que cortam principalmente os estados de Pernambuco e Paraíba.
Para isto, a comitiva passará pelos municípios de Floresta e Sertânia, em Pernambuco, e Monteiro, na Paraíba. A agenda inclui visita a etapas já concluídas do empreendimento, a exemplo de canais, aquedutos e da estação de bombeamento, além de outras em construção. O grupo que visita às obras da Transposição do São Francisco também é formado pelos senadores Cícero Lucena (PSDB/PB), Inácio Arruda (PCdoB/CE), Cássio Cunha Lima (PSDB/PB), Benedito de Lira (PP/AL) e Ciro Nogueira (PP/PI) e pelas equipes técnicas do MI e de órgãos de controle. Esta é a segunda visita dos parlamentares ao empreendimento, tendo sido a primeira realizada no Eixo Norte em março deste ano.

Roteiro – Em Floresta, o grupo visitará o canal de aproximação à estação de bombeamento, em construção pelo Exército Brasileiro e com 97% das obras concluídas. Em Sertânia, senadores vêem a exposição fotográfica de achados arqueológicos do Eixo Norte e visitam o Lote 12. Por fim, em Monteiro, eles participam de audiência pública sobre a obra na Câmara Municipal.
Transposição – Maior obra de infraestrutura hídrica do país, o Projeto de Integração do São Francisco emprega, atualmente, cerca de 4 mil trabalhadores e até junho serão contratados mais 4 mil profissionais. O empreendimento integra o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) e levará água de beber a mais de 12 milhões de brasileiros nos estados de Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte. Para garantir um novo futuro em segurança hídrica ao semiárido brasileiro, outras tantas obras estruturantes complementam o PISF e somam mais de R$ 30 bilhões em investimentos.
Fonte: com informações do Ministério da Integração Nacional.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment