Temer ignora desabrigados, engolfado por seu próprio mar de lama, afirma Humberto

Para Humberto, Temer foi a Pernambuco e Alagoas apenas para promover uma ação midiática. Foto: Roberto Stuckert Filho
Para Humberto, Temer foi a Pernambuco e Alagoas apenas para promover uma ação midiática. Foto: Roberto Stuckert Filho

 
Atingido por uma avalanche de denúncias, o presidente não eleito Michel Temer (PMDB) ignorou, na avaliação do líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), os milhares de desabrigados por conta das fortes chuvas que atingiram o Nordeste no último fim de semana. O senador afirmou, nesta terça-feira (30), que Temer tem dado às costas uma ajuda mais célere aos nordestinos porque está mergulhado em denúncias gravíssimas.
Para Humberto, enquanto fingia que se preocupava com as vítimas das enchentes, ao fazer um sobrevoo nas áreas atingidas em plena noite de domingo, o presidente agia deliberadamente, no mesmo dia, para obstruir a Justiça. Isso porque ele trocou, inesperadamente, o ministro da Justiça pelo da Transparência, crítico feroz das investigações da Operação Lava Jato.
Segundo o parlamentar, Temer foi a Pernambuco e Alagoas apenas para promover uma ação midiática, “em busca de alguma popularidade que dê sobrevida ao governo moribundo”, ao sobrevoar as áreas atingidas.
“Pasmem os senhores, ele sobrevoou os locais afetados em plena noite de domingo”, criticou.
De acordo com o senador, a troca ministerial teve o claro propósito de interferir nos rumos da Operação Lava Jato e no julgamento de cassação da sua chapa no Tribunal Superior Eleitoral, marcado para o próximo dia 6. Ele classificou a iniciativa como vergonhosa, já que Torquato Jardim, novo ministro da Justiça, também já foi ministro do TSE e tem notória influência na corte.
“É uma vergonha, da qual nem mesmo o achincalhado agora ex-ministro da Justiça (Osmar Serraglio/PMDB-PR), que chamou de grande chefe o líder de uma organização criminosa, quis participar. Pediu pra sair do governo. As razões, ainda não são conhecidas. Será que o presidente teme uma nova delação que está por vir?”, questionou.
Temer é acusado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de envolvimento com três crimes: corrupção passiva, obstrução de Justiça e organização criminosa.
Para Humberto, Osmar pode ter resolvido voltar à Câmara dos Deputados, onde tem mandato parlamentar, para retaliar o governo que o abandonou, entregando à própria sorte o seu suplente, Rocha Loures (PMDB-PR), o chamado deputado da mala. Amigo íntimo de Temer e flagrado pela PF recebendo propina de R$ 500 mil em dinheiro, perderá o seu foro privilegiado com o retorno de Serraglio.
“O fato é que, seja de um jeito, seja de outro, esse governo está mais e mais atolado a cada minuto que se passa. Permanece em pé, ainda que absolutamente trôpego, numa corda bamba, à base de acordos espúrios por meio dos quais procura segurar sua base aqui no Congresso”, declarou o líder da Oposição.
Segundo ele, as reformas, que eram a principal bandeira de Temer, já foram para o espaço, pois não andam mais no Legislativo porque, salvo o PSDB, o DEM e o PPS, são poucos os que ainda querem se associar a uma pauta tão nefasta.
“Ninguém suporta mais esse estorvo. Não se aguenta mais carregar esse fardo que tem paralisado o Brasil por completo e eliminado qualquer possibilidade de retomar a construção do nosso futuro. Já passou da hora de Temer deixar o cargo, já passou da hora desse cadáver insepulto ser enterrado de vez, pelo bem do país”, disse.
No discurso, Humberto se solidarizou com as mais de 40 mil pessoas no Nordeste, especialmente em Pernambuco e Alagoas, que estão passando por um momento muito difícil por conta dos problemas decorrentes do grande volume de chuvas das últimas semanas. Ele colocou o mandato parlamentar à disposição dos nordestinos para ajudar no que for necessário.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment

Para Humberto, Temer foi a Pernambuco e Alagoas apenas para promover uma ação midiática. Foto: Roberto Stuckert Filho
Para Humberto, Temer foi a Pernambuco e Alagoas apenas para promover uma ação midiática. Foto: Roberto Stuckert Filho

 
Atingido por uma avalanche de denúncias, o presidente não eleito Michel Temer (PMDB) ignorou, na avaliação do líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), os milhares de desabrigados por conta das fortes chuvas que atingiram o Nordeste no último fim de semana. O senador afirmou, nesta terça-feira (30), que Temer tem dado às costas uma ajuda mais célere aos nordestinos porque está mergulhado em denúncias gravíssimas.
Para Humberto, enquanto fingia que se preocupava com as vítimas das enchentes, ao fazer um sobrevoo nas áreas atingidas em plena noite de domingo, o presidente agia deliberadamente, no mesmo dia, para obstruir a Justiça. Isso porque ele trocou, inesperadamente, o ministro da Justiça pelo da Transparência, crítico feroz das investigações da Operação Lava Jato.
Segundo o parlamentar, Temer foi a Pernambuco e Alagoas apenas para promover uma ação midiática, “em busca de alguma popularidade que dê sobrevida ao governo moribundo”, ao sobrevoar as áreas atingidas.
“Pasmem os senhores, ele sobrevoou os locais afetados em plena noite de domingo”, criticou.
De acordo com o senador, a troca ministerial teve o claro propósito de interferir nos rumos da Operação Lava Jato e no julgamento de cassação da sua chapa no Tribunal Superior Eleitoral, marcado para o próximo dia 6. Ele classificou a iniciativa como vergonhosa, já que Torquato Jardim, novo ministro da Justiça, também já foi ministro do TSE e tem notória influência na corte.
“É uma vergonha, da qual nem mesmo o achincalhado agora ex-ministro da Justiça (Osmar Serraglio/PMDB-PR), que chamou de grande chefe o líder de uma organização criminosa, quis participar. Pediu pra sair do governo. As razões, ainda não são conhecidas. Será que o presidente teme uma nova delação que está por vir?”, questionou.
Temer é acusado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de envolvimento com três crimes: corrupção passiva, obstrução de Justiça e organização criminosa.
Para Humberto, Osmar pode ter resolvido voltar à Câmara dos Deputados, onde tem mandato parlamentar, para retaliar o governo que o abandonou, entregando à própria sorte o seu suplente, Rocha Loures (PMDB-PR), o chamado deputado da mala. Amigo íntimo de Temer e flagrado pela PF recebendo propina de R$ 500 mil em dinheiro, perderá o seu foro privilegiado com o retorno de Serraglio.
“O fato é que, seja de um jeito, seja de outro, esse governo está mais e mais atolado a cada minuto que se passa. Permanece em pé, ainda que absolutamente trôpego, numa corda bamba, à base de acordos espúrios por meio dos quais procura segurar sua base aqui no Congresso”, declarou o líder da Oposição.
Segundo ele, as reformas, que eram a principal bandeira de Temer, já foram para o espaço, pois não andam mais no Legislativo porque, salvo o PSDB, o DEM e o PPS, são poucos os que ainda querem se associar a uma pauta tão nefasta.
“Ninguém suporta mais esse estorvo. Não se aguenta mais carregar esse fardo que tem paralisado o Brasil por completo e eliminado qualquer possibilidade de retomar a construção do nosso futuro. Já passou da hora de Temer deixar o cargo, já passou da hora desse cadáver insepulto ser enterrado de vez, pelo bem do país”, disse.
No discurso, Humberto se solidarizou com as mais de 40 mil pessoas no Nordeste, especialmente em Pernambuco e Alagoas, que estão passando por um momento muito difícil por conta dos problemas decorrentes do grande volume de chuvas das últimas semanas. Ele colocou o mandato parlamentar à disposição dos nordestinos para ajudar no que for necessário.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment