Araripe

Precisamos de união contra os retrocessos de Bolsonaro, afirma Humberto no Araripe

 Humberto foi o senador mais votado em todos os municípios do Sertão do Araripe e aproveitou a plenária para reafirmar o sentimento de indignação com o fim do programa Mais Médicos. Foto: Asscom HC


Humberto foi o senador mais votado em todos os municípios do Sertão do Araripe e aproveitou a plenária para reafirmar o sentimento de indignação com o fim do programa Mais Médicos. Foto: Asscom HC

 

União dos brasileiros contra as medidas retrógradas anunciadas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro e pelo fortalecimento da democracia. Esse foi o pedido do líder da Oposição a Temer no Senado, Humberto Costa (PT-PE), que, no sábado(17), participou de uma plenária na Câmara Municipal de Ouricuri com prefeitos, vereadores e outros líderes do Sertão do Araripe.

“Bolsonaro ainda não assumiu e já está trazendo retrocessos para o povo. Nós precisamos de muita união nesse momento para que possamos nos ajudar. Meu mandato será uma trincheira de resistência e vocês sabem que podem contar sempre comigo, assim como eu pude contar com vocês na minha grande votação aqui no Araripe”, disse Humberto.

Humberto foi o senador mais votado em todos os municípios do Sertão do Araripe e aproveitou a plenária para reafirmar o sentimento de indignação com o fim do programa Mais Médicos.

“Bolsonaro conseguiu acabar com um programa que, só aqui em Pernambuco, respondia pela atenção básica a 125 municípios, beneficiando mais de um milhão de pernambucanos. Muitas cidades, aqui do Araripe, contavam com 70% ou até mais do seu quadro de médicos com profissionais de Cuba. E agora? Vamos ficar sem essa atenção? Será que o presidente eleito sabe disso? É neste aspecto que vamos precisar, mais do que nunca, de união e luta”, alertou o senador.

O prefeito de Moreilândia, Eri (PSDB), agradeceu a presença de Humberto em Ouricuri. “É muito importante essa vinda de Humberto aqui, nós ficamos gratos. O senador vai ser a nossa voz em Brasília”, pontuou o prefeito. Enquanto o chefe do Executivo de Parnamirim, Tácio Pontes (PSB), falou do empenho do município para eleger o senador: “Nós fomos para as ruas levantando a bandeira de Humberto e ele foi o mais votado de Parnamirim. O povo está com o senador e vamos estar juntos e preparados para o que vem por aí nesses 4 anos”.

Já o prefeito de Trindade, Everton Costa (PSB), destacou a importância dessa unidade para defender os interesses dos nordestinos. “Nós não podemos aceitar menos direitos, menos médicos”. ele agradeceu ao senador “pelo empenho pelo Araripe e por todo o estado de Pernambuco”.

No domingo (18), Humberto foi até o Sítio do Ingá, distrito de Serrita, acompanhado pelo vice-prefeito do município, Tadeu Sá (PT), entregar um trator e equipamentos vindos de uma emenda parlamentar do senador (foto). “Esse trator vai ajudar demais a vida dos moradores aqui da região. Ele vem equipado com uma caçamba e um equipamento de aração. Os benefícios virão, desde o processo de plantio até na comercialização e transporte dos produtos”, justificou Humberto.

O vice-prefeito de Serrita, Tadeu Sá (PT), falou sobre a importância do equipamento. “Todas as famílias poderão utilizar o trator nas suas terras, o equipamento é do povo de Serrita. Humberto nunca faltou com o nosso município e essa entrega veio em um ótimo momento”, afirmou o prefeito.

Com apoio de Humberto, UNIVASF estuda Campus em Ouricuri

Para Humberto, o Araripe tem grande potencial para receber uma universidade federal.  Foto: Assessoria de Comunicação

Para Humberto, o Araripe tem grande potencial para receber uma universidade federal. Foto: Assessoria de Comunicação

O líder do PT no Senado, Humberto Costa, se reuniu no último sábado com o reitor da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), Julianeli Tolentino, com comerciantes e lideranças políticas da região do Araripe para discutir a implantação de um novo campus da universidade no município de Ouricuri, a cerca de 200 km de Petrolina. “O Araripe abriga cerca de 350 mil habitantes e tem um grande destaque nacional por conta da sua produção de gesso, então é uma região que precisa e tem potencial para receber uma universidade federal”, afirmou Humberto. Após o encontro, o reitor da universidade se comprometeu a iniciar os estudos de viabilidade do campus, realizar audiências públicas e colocar a solicitação dentro do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da UNIVASF. “Temos que discutir a perspectiva de inserção dessa nova unidade de forma ampla. O primeiro passo a gente já está dando, que é colocar a proposta no nosso PDI deste ano, que vai ser apresentado ao MEC”, assegurou Julianeli.

O senador aproveitou a visita ao Sertão do São Francisco para participar também da inauguração de uma nova unidade de extração e beneficiamento de mel, no município de Santa Filomena. Na ocasião, Humberto destacou a importância do investimento que vai beneficiar diretamente cerca de 100 famílias da região. “É por causa de investimentos como esse que conseguimos tirar milhões de pessoas da miséria. Antes de Lula e Dilma esse tipo de ação sequer chegava a ir para o papel, quanto mais ser colocado em prática. Já são 12 anos mudando a vida das pessoas e garantindo a cidadania da população”, afirmou o petista. Ao lado de Humberto, o presidente da Codevasf, João Bosco, também destacou a importância de ações como esta, “o senador vai sair daqui com muita coisa na bagagem, vai levar as informações e ter argumentos para defender ações do Governo Federal em Brasília. Mostrar que obras como essa vão melhorando a qualidade de vida do homem do campo e merecem ser continuadas”, disse João Bosco. Também estiveram presentes no evento a ex-deputada Isabel Cristina e o prefeito do município, Pedro Gildevan (PSD).

Além da atividade em Santa Filomena o senador ainda se reuniu com lideranças petistas de toda a região, em Petrolina. “Num momento como este, onde setores da elite tentam a todo o custo atrapalhar um governo que mudou a forma de governar, priorizando sempre os mais pobres no lugar dos mais ricos, é importante que a gente possa debater a conjuntura nacional, aprender com os erros e continuar trabalhando para mudar a vida das pessoas”, afirmou Humberto Costa.

Em Brasília, Humberto defende polo gesseiro do Araripe

polo gesseiro Humberto

Líder do PT no Senado, Humberto Costa foi ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) para pedir ao ministro Mauro Borges medidas de proteção ao setor gesseiro nacional e, em especial, à região do Araripe, no sertão pernambucano. Acompanhado de representantes da indústria do gesso, o senador solicitou ao Governo Federal que estude medidas de salvaguardas, como o aumento da alíquota do importo de importação do produto, que protejam o setor contra as investidas da concorrência internacional.

“O ministro Mauro Borges, que tem acompanhado de perto a questão, foi muito sensível ao tema e propôs alguns caminhos para que nós possamos garantir a força da nossa indústria gesseira e evitar que ela seja prejudicada por um sistema desigual”, afirmou Humberto na saída do encontro, que aconteceu na sede do MDIC. “Em pouco tempo, teremos medidas concretas em resposta ao que foi pleiteado ao ministério”, assegurou.

A região do Araripe, que abrange o extremo oeste de Pernambuco, o sul do Ceará e áreas do Piauí, Bahia e Maranhão, é um dos maiores depósitos de gesso exploráveis das Américas. Por dia, mais de 1,8 mil caminhões transportam o minério extraído da área com a finalidade de abastecer o mercado nacional. Por ano, são produzidas cerca de 12,5 milhões de toneladas de gipsita pelas empresas da região, que esperam crescer 25% até 2020.

Dada a sua importância, o polo gesseiro do Araripe foi incluído pelos governos federal e estadual dentre os estratégicos Arranjos Produtivos Locais (APL) do país, polos econômicos beneficiados com incentivos fiscais e financeiros com vista à promoção de novos empreendimentos, atração de investimentos e aporte de tecnologia.

O Brasil é o 9º produtor mundial do minério, mas o setor reclama que a competitividade é prejudicada por conta da falta de obras de infraestrutura, matriz energética defasada e deficiência logística, o que encarece o preço final do gesso que sai do Araripe. A elevação da alíquota de importação para os produtos de gesso, na visão da indústria, garantiria a competitividade do setor até que os problemas que dificultam o setor sejam sanados.