pensionistas

Temer gasta mais de 170 milhões para mentir sobre a Previdência, afirma Humberto

Humberto: Temer sempre arranja um jeito de usar o dinheiro público para atender aos seus interesses. Foto: Roberto Stuckert Filho

Humberto: Temer sempre arranja um jeito de usar o dinheiro público para atender aos seus interesses. Foto: Roberto Stuckert Filho

 

Sem possuir o número de votos necessários para aprovar a reforma da Previdência, o governo de Michel Temer resolveu investir em publicidade. Além dos R$ 100 milhões que já havia gasto este ano para tratar do tema, liberou mais R$ 70 milhões para usar em nova campanha de publicidade defendendo a reforma.

Para o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT), a decisão de gastar mais de R$ 170 milhões com publicidade mostra como o dinheiro público tem sido mal gerido pelo governo de Michel Temer. “Falta dinheiro para absolutamente tudo neste país: saúde, educação, infraestrutura. Mas Temer sempre arranja um jeito de usar o dinheiro público para atender aos seus interesses. Este projeto de reforma da Previdência é um descalabro, praticamente decreta o fim da aposentadoria no Brasil”, afirmou o senador.

Na campanha publicitária, o governo afirma que a reforma da Previdência deverá “combater os privilégios”. “Temer está usando dinheiro público para mentir na televisão. Que privilégios têm um trabalhador que vai ter, agora, que contribuir uma vida inteira, por 40 anos, e torcer para estar vivo e poder receber a aposentadoria integral? Privilégio teve Temer, que se aposentou aos 55 anos e recebe mais de 30 mil reais. Deste privilégio ele não quer abrir mão”, disparou Humberto.

É um governo de asnos, jericos e jumentos, a começar pelo presidente, diz Humberto sobre a gestão de Temer

38534226512_ffd07a3007_z

 

 

Não satisfeito em destruir os direitos trabalhistas no país e rasgar a histórica CLT, o governo ilegítimo de Michel Temer, na avaliação do líder da Oposição do Senado, Humberto Costa (PT-PE), investe agora contra os aposentados e pensionistas brasileiros com a espúria articulação feita com verba pública e com o toma-lá-dá-cá de cargos para votar a reforma da Previdência no Congresso Nacional.
O senador ressaltou, nesta terça-feira (21), que o Palácio do Planalto e seus aliados querem aumentar a idade mínima, acabar com o regime previdenciário próprio dos servidores públicos e elevar o tempo de contribuição, medidas inadmissíveis sem uma ampla discussão com todos os setores sociais, principalmente neste momento em que o país está mergulhado no caos por conta de uma gestão altamente desastrosa.

“Afogado em denúncias, asfixiado pela rejeição popular e com uma base mantida à custa do saque do dinheiro do brasileiro, esse presidente golpista insiste em aprovar uma reforma que vai destruir a segurança de uma velhice tranquila. É um governo de asnos, jericos e jumentos, a começar pelo presidente da República”, afirma. “E quero aqui, aliás, me desculpar com esses animais, que não merecem esse tipo de comparação.”

Segundo o parlamentar, mais de R$ 20 milhões do orçamento da União foram gastos em uma campanha de publicidade mentirosa para convencer os brasileiros dessa barbaridade que se quer perpetrar. Para Humberto, as peças publicitárias são cretinas e elegem os servidores públicos como inimigos da população, sendo que uma delas diz: tem muita gente no Brasil que trabalha pouco, ganha muito e se aposenta cedo.

“Quem fala essa atrocidade é o governo de um presidente que se aposentou aos 55 anos sem nunca ter pegado no pesado e, hoje, ganha R$ 33 mil por mês. É mais um ato calhorda de uma gestão moribunda”, atacou.

O líder da Oposição reconhece que o sistema previdenciário brasileiro está longe de ser perfeito e deve ser corrigido, mas esse é um trabalho que não pode ser feito sem a participação de todos os setores sociais e, muito menos, por uma gestão sem absolutamente nenhuma credibilidade como a de Temer.

Reforma da Previdência fará milhões ganharem menos de um salário mínimo, alerta Humberto

Humberto: Os mais pobres e a classe média serão duramente atingidos por essa Reforma da Previdência. Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT no Senado.

Humberto: Os mais pobres e a classe média serão duramente atingidos por essa Reforma da Previdência. Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT no Senado.

 

A Reforma da Previdência, proposta pelo governo de Michel Temer (PMDB), deve fazer com que cerca de quatro milhões de pessoas passem a ganhar menos que um salário mínimo. A denúncia é do líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE). Segundo o senador, a desvinculação das pensões por morte do salário mínimo deve afetar diretamente cerca de 55% das pessoas que recebem o benefício.

Para Humberto, o projeto de Temer também implicará em outros problemas para os pensionistas. O índice para reajuste do benefício ainda não foi definido e a gestão peemedebista avalia editar um novo projeto de lei para fazer com que o aumento da pensão deixe de ser anual, como ocorre atualmente, e passe a ser realizado de acordo com a margem fiscal do governo.

“Os mais pobres e a classe média serão duramente atingidos por essa Reforma da Previdência. Temer quer manter os privilégios dele, que se aposentou aos 55 anos, e de toda a sua trupe. Mas para a população, o pacote de maldades parece não ter fim”, afirmou o senador.

Além dessas mudanças, o projeto também acaba, na prática, com a pensão integral e propõe a divisão do benefício em uma espécie de quota familiar. Uma viúva sem filhos, por exemplo, pode acabar recebendo apenas 60% do salário mínimo. Hoje, ela recebe o valor total da pensão. Se aprovadas as novas regras, o restante do benefício só será pago a depender da quantidade de dependentes da família, na proporção de 10% para cada um até o limite de 100%.

“Não bastassem a dor e todas as implicações de perder um familiar, o governo quer deixar essas famílias praticamente desamparadas. Sem ter a garantia sequer dos poucos benefícios que hoje possuem. Isso é mais do que a perda de um direito dos brasileiros. É algo desumano. Quantas famílias dependem exclusivamente da renda de um ente familiar? É justo que uma pessoa que acabou contribuindo a vida inteira para a previdência não possa deixar para os seus familiares o seu benefício? Não vamos aceitar isso. No Congresso, vamos combater este projeto e seguir alertando a população sobre o que implica a aprovação desta proposta”, disse o senador.

Temer extingue programa Viaja Mais Melhor Idade

Esse programa veio para trazer qualidade de vida e lazer para o público da 3ª idade. Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT no Senado

Humberto: Esse programa veio para trazer qualidade de vida e lazer para o público da 3ª idade. Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT no Senado

 

Determinado a acabar com programas sociais de sucesso criados pelos governos do PT, o Governo de Michel Temer implodiu com mais um. O ministro do Turismo, Alberto Alves, revogou portaria de 2013 que instituía o programa Viaja Mais Melhor Idade, e tinha como objetivo incentivar aposentados e pensionistas a viajarem. O anúncio saiu no Diário Oficial da União da última sexta-feira (9).

“O programa de Temer é muito claro: ele mira exatamente no desmantelamento das políticas voltadas para o social, especialmente a população mais pobre. Sabemos que os idosos, infelizmente, ainda sofrem com o preconceito e muitas vezes abandono de seus parentes. Esse programa veio para trazer qualidade de vida e lazer para o público da 3ª idade”, afirmou o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE). “É inaceitável que seja acabado.”

Na primeira edição do programa, que durou de 2007 a 2010, foram vendidos cerca de 600 mil pacotes turísticos. Além disso, o Viaja Mais Melhor Idade estimulou o mercado do turismo movimentando mais de R$ 500 milhões na área. Na segunda edição, mais de 500 pacotes haviam sido comercializados para 95 destinos brasileiros.

O programa concedia descontos, condições especiais e serviços personalizados para o público que tinha mais de 60 anos. Com isso, os idosos tinham a chance de usufruir dos benefícios da atividade turística e também ajudavam a movimentar o mercado do turismo. “Mais uma pra lista dos desmandos de Temer e sua equipe. A cada dia eles vão se superando na arte de fazer maldade”, avaliou o senador Humberto Costa.

Aprovado no Senado acordo que garante aumento real para aposentados e pensionistas

A Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso Nacional aprovou nesta semana o relatório final da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2012. Representante da Bancada do PT na comissão, senador Walter Pinheiro, endossou acordo com demais parlamentares garantindo a aprovação de emenda do senador Paulo Paim (PT-RS), que prevê aumento real para os aposentados e pensionistas.

No texto da LDO constará que “Serão assegurados os recursos orçamentários necessários ao atendimento da política de ganhos reais aplicáveis às aposentadorias e pensões do Fundo do Regime Geral da Previdência Social a ser definida em articulação com as Centrais Sindicais e com representantes das organizações dos aposentados”. Ao retornar ao Senado, Paulo Paim entregou ao ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves, cópia do texto que será aprovado.

“Este acordo foi fundamental para garantir aumento real para os aposentados e pensionistas. Estamos traçando as diretrizes que serão definidas futuramente em dialogo entre o governo, a Cobap e as Centrais Sindicais. Parabéns aos aposentados que lotaram o plenário da Comissão”, comemorou Paim, que apresentou emenda garantindo aumento real equivalente ao INPC acrescido do percentual referente ao Produto Interno Bruto (PIB) acumulado nos últimos 12 meses.

Fonte: Liderança do PT no Senado, com agências online.