HC

Humberto é um os três melhores senadores do Brasil, diz site Atlas Político

Foto: PT no Senado

Foto: PT no Senado

Criado por dois pesquisadores brasileiros de Havard para avaliar o desempenho de parlamentares no Congresso Nacional, o site Atlas Político colocou o senador pernambucano e líder do PT no Senado, Humberto Costa, no topo da lista. Humberto aparece entre os três senadores mais bem avaliados, junto com os senadores Eduardo Suplicy (PT) e Aloysio Nunes (PSDB).

O ranking se baseia em cinco critérios numéricos: Representatividade (deputados que se elegeram com votações expressivas); Campanha Responsável (os gastos do candidato comparados ao total de votos); Ativismo Legislativo (projetos apresentados); Debate Parlamentar (participação em debates e fiscalização); e Fidelidade Partidária (se o candidato permaneceu no mesmo partido e se votou de acordo com as orientações da legenda).

Segundo o site, o objetivo é mostrar a competência dos congressistas em defender suas agendas políticas, independente de suas posições ideológicas. A ferramenta online conta com o patrocínio da Fundação Lemann.

Confira o ranking no Atlas: http://www.atlaspolitico.com.br/ranking-senadores

“Enquanto eles brigam, a gente trabalha”

tres

Em evento no município de Floresta, ontem, no Sertão do Estado, o líder do PT do Senado, Humberto Costa, reforçou a unidade da construção chapa PT e PTB. Segundo o senador, as pré-candidaturas do senador Armando Monteiro (PTB), ao Governo do Estado, e do deputado federal, João Paulo (PT), ao Senado, estão cada vez mais fortes.

“Enquanto eles brigam, enquanto eles não se entendem, a gente está aqui debatendo soluções para o nosso Estado, trabalhando para fazer Pernambuco avançar”, disse o petista, que participou da agenda Pernambuco 14, no município de Floresta. O evento reuniu parlamentares, prefeitos, ex-prefeitos e lideranças para construir propostas que devem ser incorporadas ao programa de governo trabalhista.

O senador ainda falou sobre as mudanças que aconteceram no País nos governos de Lula e Dilma. “Nos últimos 12 anos, vimos a vida de todos melhorar. Dos empresários, da classe média, mas quem mais mudou de vida no Brasil foram as pessoas mais necessitadas, fomos nós os nordestinos, o povo do Sertão e é por isso a presidente sofre um cerco tão grande. A gente ouve falar que nada presta. Mas o que eles escondem é que o país gerou 20 milhões de empregos, enquanto na Europa são 200 milhões de desempregados”, ressaltou o senador.

Antes da agenda em Floresta, Humberto se reuniu com representantes da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Serra Talhada, junto com o pré-candidato ao governo, senador Armando e João Paulo. No evento, os três ouviram criticas dos empresários sobre a falta de investimentos estaduais para o desenvolvimento da região.

Um dos principais pontos levantados foi a construção de um aeroporto no município de Serra Talhada. O aeroporto é uma demanda antiga da cidade. Segundo os empresários, o novo empreendimento iria ajudar no transporte das mercadorias, incentivar o turismo e facilitar o deslocamento da população.

Na ocasião, Humberto informou que deve se reunir nas próximas semanas com o ministro da Casa Civil, Aluizio Mercadante, o prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque e o deputado federal Pedro Eugênio. “Vamos valar com o ministro e explicar a importância do empreendimento para a Região”, afirmou.

“Dilma segue como franca favorita”, diz Humberto.

datafolha

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), avalia que a presidenta Dilma Rousseff segue como franca favorita na disputa eleitoral deste ano e vai aumentar a diferença percentual de intenção de votos em relação aos opositores quando começarem as propagandas partidárias na televisão e no rádio. De acordo com pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (6), Dilma  segue na frente e ganharia as eleições no 1º turno. Ela tem 34% das intenções de voto, contra 19% do senador Aécio Neves (PSDB-MG) e 7% do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) – ambos pré-candidatos à Presidência da República por seus partidos.

“Hoje, temos dificuldades por estarmos sendo submetidos a um verdadeiro bombardeio. Mas isso vai deixar de existir a partir do momento em que nós tivermos o nosso horário de televisão e rádio. Vamos mostrar todas as grandes conquistas do nosso governo, as realizações que a presidenta teve e continua a ter e, acima de tudo, quando nós tivermos a campanha em andamento, veremos que o peso da militância do PT e dos partidos que apoiam Dilma é muito grande”, afirma Humberto.

Para o senador, é provável que haja mais uma campanha presidencial polarizada entre o PT e o PSDB. “Ao que tudo indica isso ocorrerá, apesar de não ser possível fazer essa afirmação como algo definitivo agora. Até o presente momento, o candidato do PSB, o ex-governador Eduardo Campos, ainda não conseguiu ocupar o espaço que ele imaginava que poderia ocupar”, diz.

O parlamentar ressalta que a tendência da disputa entre petistas e tucanos é se acirrar ainda mais, o que prejudica o pré-candidato do PSB. “O voto útil de um lado (PT) e do outro (PSDB) pode reduzir ainda mais as intenções de voto de Eduardo”, observa.

O Datafolha de hoje mostra que a presidenta Dilma teve queda de 3 pontos percentuais em relação ao levantamento de maio. Mas os opositores ao governo também caíram. Aécio tinha 20% das intenções de voto no mês passado. Agora, aparece com 19%. Eduardo alcançou 11% em maio. Este mês, caiu 4 pontos percentuais e está em empate técnico, segundo o Datafolha, com o Pastor Everaldo Pereira, pré-candidato do PSC, que desponta com 4% das intenções de voto.

Humberto articulou com Planalto piso de agentes comunitários

Foto: PT no Senado

Foto: PT no Senado

A articulação do líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), com o Palácio do Planalto garantiu o acordo com o Governo Federal para a fixação do piso salarial de R$ 1.014,00 aos agentes comunitários de saúde. Desde a semana passada, Humberto vinha conversando com os ministros da Casa Civil, Aloizio Mercadante, e de Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, para garantir a sanção da presidenta Dilma Rousseff ao projeto sobre o piso salarial e as diretrizes para o plano de carreira da categoria e dos agentes de combate a endemias.

Com o sinal verde dado pelo Palácio do Planalto, o projeto voltou, na sessão dessa quarta-feira (21), à pauta do Senado e foi, finalmente, aprovado, com apoio unânime de todos os senadores do PT. A proposta estabelece, ainda, jornada de trabalho de 40 horas semanais em todo o país aos agentes. A matéria segue, agora, para sanção presidencial.

Pela proposta, cujo debate foi iniciado na década de 90, o valor do salário será reajustado por decreto do Poder Executivo a partir de janeiro do próximo ano. O Governo Federal também poderá fixar a quantidade máxima de agentes que poderão ser contratados com o recebimento da ajuda da União. Para auxiliar no pagamento da remuneração, o Executivo federal ficará responsável por complementar 95% do piso.

O projeto determina, também, o prazo de 12 meses para que Estados, Distrito Federal e municípios elaborem ou ajustem os planos de carreira de acordo com as novas diretrizes estipuladas no texto. Entre elas, estão a definição de metas, os critérios de progressão e promoção e a adoção de modelos de avaliação adequados à natureza das atividades.

Humberto articula aprovação de projeto com regras para criação de municípios

Foto: PT no Senado

Foto: PT no Senado

Os senadores aprovaram em plenário o texto principal do projeto de lei que estabelece regras para a criação de municípios. A matéria, de autoria do senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR), contou com a articulação do líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), depois que a Presidência da República vetou proposta anterior que tratava do tema. Humberto avalia que as imperfeições observadas pelo Poder Executivo no texto foram corrigidas. Ele comemorou a aprovação do projeto, pois avalia que, em muitos casos, as políticas públicas poderão chegar com mais eficiência ao cidadão que vive longe dos centros de suas cidades.

Três emendas ao PLS 104/14 ainda serão apreciadas pelo Senado antes da matéria seguir à Câmara dos Deputados, o que deve ocorrer na próxima semana. Somente dois senadores votaram contra a medida. O tema já vinha sendo bastante discutido entre os parlamentares nos últimos meses. Junto com Humberto, o deputado José Augusto Maia (PROS-PE), um dos principais entusiastas da proposta, ajudou a articular e informar os colegas sobre os benefícios do projeto.

A principal inovação do novo texto apreciado no plenário é a elevação do quantitativo populacional mínimo necessário à criação de um município. As novas cidades nas regiões Sul e Sudeste deverão ter pelo menos 20 mil habitantes, enquanto no Nordeste o mínimo será de 12 mil. No Centro-Oeste e no Norte a população do novo município terá que ser superior a 6 mil. Além disso, o texto aprovado ontem também delimita área mínima para a criação de um município: 200 km² em localidades do Norte e Nordeste e 100 km² para as demais regiões.

Humberto citou vários casos em que o desmembramento de um município é a medida ideal a ser tomada. “Em Pernambuco nós temos vários distritos que têm a aspiração de se desmembrar; aspiração justa e adequada. É justa porque muitas vezes politicamente a força está mais concentrada no distrito do que na própria sede. Em alguns lugares a distância entre o distrito e a sede também não permite que as políticas públicas do município possam chegar àquele distrito. São várias as situações que precisam ser levadas em consideração”, afirmou.

O projeto, relatado pelo senador Valdir Raupp (PMDB-RO), mantém a obrigatoriedade da elaboração de estudos de viabilidade econômica da localidade a ser criada. O texto também exige que 3% da população dos municípios envolvidos assinem requerimento para dar início ao processo de fusão ou incorporação.

CCJ aprova relatório de Humberto que reserva 20% de vagas de concurso para negros

Foto: PT no Senado

Foto: PT no Senado

A Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovou nesta quarta-feira (7), por unanimidade, relatório do líder do PT, Humberto Costa (PE), sobre proposta que estabelece a reserva de até 20% das vagas em concurso público a negros e pardos. O Projeto de Lei da Câmara 29/2014, de autoria da Presidência da República, segue agora ao plenário da Casa em regime de urgência. A expectativa é votar a matéria assim que a pauta for desobstruída por medidas provisórias.

Humberto ressaltou o empenho da presidenta Dilma Rousseff com as políticas raciais e afirmou que o projeto busca eliminar as distorções existentes na administração pública. “Estimativas do Ministério do Planejamento indicam que apenas 30% dos servidores públicos federais ativos são negros (pretos ou pardos), contrastando com os 50,7% de negros da população brasileira, conforme dados do Censo 2010”, afirmou.

O senador destacou que em carreiras com maior remuneração a desigualdade é ainda maior. Entre os diplomatas, apenas 5,9% são negros; nos auditores da Receita são 12,3% e na carreira de procurador da Fazenda Nacional,14,2%. “A criação da reserva é um caminho para resolver o problema da sub-representação dos negros na administração pública”, avalia Humberto.

Ele avalia que a reserva de até 20% de vagas às pessoas negras nos concursos públicos é decorrência do sucesso verificado com a adoção das cotas nas universidades.

O texto determina que, para fazer jus à reserva, no ato da inscrição, o candidato deve se declarar de cor preta ou parda, de acordo com o quesito cor ou raça utilizado pelo IBGE. A reserva só é aplicada nos certames que dispuserem de mais de três vagas.

A pessoa que concorre na cota também disputa simultaneamente as vagas dispostas na regra geral. O projeto estabelece ainda o prazo de dez anos para validade da medida e prevê que a reserva não se aplica aos concursos cujos editais tenham sido publicados antes da vigência da lei.

Dia do Trabalho: Humberto participa de ato em Limoeiro

HC em Limoeiro Dia do Trabalho

Neste Dia do Trabalhador, o líder do PT no Senado, Humberto Costa,  participou de ato, pela manhã, em comemoração da data, no município de Limoeiro. O petista esteve junto com o pré-candidato ao Governo do Estado, Armando Monteiro (PTB), no evento do Polo Sindical do Agreste. O encontro, que foi promovido pela CUT e a Fetape, reuniu trabalhadores de toda a região.

Na ocasião, o senador Humberto Costa (PT) defendeu a continuidade do processo de mudanças em Pernambuco. “Com Lula e com Dilma Pernambuco mudou muito, mas tem muito mais para avançar. Tenho certeza que Armando, tem condições de acelerar as mudanças”, avaliou o senador.

O petista também fez questão de lembrar a importância da data. “Comemoramos hoje a emancipação dos trabalhadores do mundo inteiro, mas hoje é também um dia de luta, onde temos que preservar as conquistas que nós tivemos, mas também reafirmar o nosso compromisso com outras conquistas e com uma sociedade melhor e mais justa. É por isso que estamos aqui hoje”, disse o senador no evento.

Também presente no ato, o senador Armando Monteiro fez questão de defender o legado dos governos do PT no Estado. “Tenho orgulho de dizer que Pernambuco está no palanque da presidente Dilma. E vamos estar alinhados todos ao lado de Dilma. Queremos que nesta corrente por Pernambuco juntemos a todos. E queremos contar com os trabalhadores rurais e urbanos, com as lideranças sindicais, para que juntos possamos levantar as bandeiras que vocês defendem”, afirmou.

Muito mais que uma visita cortesia

A vinda recente da presidente Dilma Roussef para Pernambuco representou bem mais do que a visita cortesia de um Chefe de Estado. Na verdade, é a constatação da prioridade que os governos Lula e Dilma vêm dando a Pernambuco.

A expectativa é que, caso o governo estadual consiga executar todos os planos que constam na Lei de Orçamentária Anual (LOA) de 2014, nos primeiros quatro anos da gestão de Dilma Roussef sejam repassados ao Estado R$ 33,2 bilhões. Isso sem falar no valor que destinado aos municípios e aos projetos que são executados diretamente pelo Governo Federal.

O recurso repassado por Dilma será, inclusive, ainda maior do que o que foi destinado para o Estado nos últimos quatro anos do governo Lula: R$27,3 bilhões. Somados, os governos do PT investiram R$60,5 bilhões em oito anos em Pernambuco.

Mas não é só com números que o Governo Federal se fez presente, é também com decisões estratégicas que estão ajudando a transformar o nosso Estado. É o que está acontecendo, por exemplo, com a Fiat, que já começou a contratar e que deve gerar cerca de cinco mil empregos diretos. Foi um projeto do Governo Federal, que tive o orgulho de relatar no Senado, que assegurou a vinda da indústria para o Estado. A matéria foi elaborada ainda no governo Lula e sancionada pela presidente Dilma.

Antes mesmo de terminar seu primeiro mandato, Dilma já contabilizou quatro visitas ao Estado e por diversas vezes ministros estiveram aqui para inauguração de obras, entrega de máquinas, fiscalização de ações, entre outras atividades.

O olhar diferenciado dos governos do PT em Pernambuco, que ajudou o Estado a se desenvolver, faz parte de uma ação maior. O PT inverteu prioridades e mudou a forma de governar todo o Brasil. Reconhecer as ações das gestões de Lula e Dilma no Estado é também olhar para o passado e ver como os antigos governos negaram a Pernambuco o papel de protagonista que sempre lhe coube. Sabemos que muito mudou, mas há muito para fazer. Porque o processo de mudança está apenas começando.

Humberto reforça agenda com prefeitos em Brasília

Foto: PT no Senado

Foto: PT no Senado

 

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), tem dirigido boa parte da sua agenda em Brasília para dinamizar, junto ao Governo Federal, convênios e investimentos para os municípios de Pernambuco, bem como resolver pendências em contratos firmados pelas prefeituras pernambucanas com a União.

No Ministério das Cidades, Humberto acompanhou o prefeito de Ribeirão, Romeu Jacobina, para discutir com a secretária nacional de Habitação, Inês Magalhães, a construção do Residencial Juiz Aníbal Baltar Solto Maior pelo programa Minha Casa Minha Vida naquela cidade da Mata Sul.

Serão 600 unidades habitacionais, sendo 400 destinadas à chamada Faixa 1 (renda familiar mensal de até R$ 1,6 mil) e 200 para a Faixa 2 (renda familiar mensal de até R$ 3,1 mil). O projeto vai beneficiar cerca de 3 mil moradores e contempla, ainda, creche para 249 crianças, escola e Unidade Básica de Saúde (UBS).

“Ribeirão, a princípio, estaria fora dos critérios do Minha Casa Minha Vida, mas nós estamos trabalhando para que ele seja atendido dentro da regra de excepcionalidade que prevê o programa”, afirmou Humberto. Outro município que busca resolver o déficit habitacional é Ibirajuba, no Agreste. O prefeito Sandro Arandas aproveitou a passagem por Brasília para ir com o líder do PT ao Ministério da Saúde para agilizar investimentos na área.

O senador tem conversado, frequentemente, com Júlio Lóssio, prefeito de Petrolina, para buscar liberação de recursos nos Ministérios das Cidades, Saúde, Educação e Integração Nacional.  Renato Sarmento, prefeito de Palmeirina, foi outro que esteve com o líder do PT para solicitar liberação de recursos do Governo Federal para asfaltamento e educação no município.

Paralelamente, Humberto Costa recebeu, de março para cá, solicitações das prefeituras de Pedra, São Joaquim do Monte, Surubim, Tabira e Tuparetama para viabilizar investimento e resolver pendências nas áreas de urbanização, previdência e recursos hídricos.

Lyra reitera parceria com Dilma

HC Serra Talhada foto rodrigo pires menor

 

No segundo evento público desta segunda-feira (14) com a presença da presidenta Dilma Rousseff, o novo governador de Pernambuco, João Lyra Neto, reiterou o compromisso de trabalhar em parceria com o governo Dilma. Em discurso durante a inauguração do último trecho da primeira etapa da Adutora do Pajeú e da assinatura da ordem de serviço para a segunda etapa da obra, Lyra declarou que “essa relação institucional haverá de perdurar enquanto nós estivermos à frente do governo de Pernambuco”.

“Em meu nome, quero lhe agradecer todas as ações, nas áreas da saúde, educação, abastecimento de água, segurança, etc. Que a senhora possa fazer tudo que o presidente Lula fez nos seus oito anos e melhorar a vida dessa gente. Essa plateia quer ouvir mais uma vez a palavra da senhora”, afirmou o governador, ao passar a palavra à presidenta.

Dilma declarou que o governo federal, em parceria com estados e municípios, tem feito um conjunto de obras de tirar o chapéu no Nordeste. Segundo ela, os empreendimentos oferecem condições para o sertanejo enfrentar a seca e aprender a conviver com ela, não querendo lutar contra, porque é impossível impedir que o fenômeno ocorra.

“Não deixaremos de proteger, ajudar e apoiar o nosso povo sertanejo, que tem a capacidade de resistir ao pior clima do nosso país. Durante muito tempo uma parte do Brasil foi levada a pensar que a sorte do Nordeste dependia do clima. Não é verdade. A sorte do Nordeste depende dos investimentos que o governo federal, junto com estados e municípios, tem de fazer para proteger a população dessa região”, afirmou.

A presidenta disse que a maior seca na vida de um sertanejo sempre foi a seca da falta de oportunidades. “A pior estiagem é a estiagem de direitos: educação, saúde, moradia. Direito não é favor, é cidadania e é justiça. Cada centavo investido aqui é dinheiro da União, dinheiro de vocês, que está voltando para vocês”, ressaltou.

Página 1 de 41234