Maranhão

Caravana de Lula mostrou destruição de Temer, resgatou conquistas do PT e propôs um novo Brasil, avalia Humberto

 

Humberto ressaltou que o legado do PT no Nordeste e em Pernambuco, mais especificamente, é algo visível e elogiado até por opositores ao partido. Foto: Roberto Stuckert Filho

Humberto ressaltou que o legado do PT no Nordeste e em Pernambuco, mais especificamente, é algo visível e elogiado até por opositores ao partido. Foto: Roberto Stuckert Filho

Presente no ato de encerramento da caravana de Lula pelo Nordeste em São Luís (MA), nesta terça-feira (5), o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), afirmou que “o maior presidente da história do país” cumpriu a sua missão nos últimos 20 dias, após percorrer mais de 4 mil quilômetros em ônibus, barco e avião e conversar com centenas de pessoas pelos nove Estados da região.

“Ele esteve frente a frente com o povo mais sofrido do nosso país, que saiu da miséria e parou de morrer de fome no período de seca graças às políticas sociais implementadas durante o seu governo e o da presidenta Dilma. A população demonstrou todo o seu carinho pela maior figura política de nossa história e acompanhou toda a sua caravana em todos esses dias. Foi emocionante”, resumiu Humberto.

Para o senador, a passagem de Lula pelos nove estados do Nordeste também foi muito importante para denunciar todo o desmonte que está sendo promovido pelo governo de Michel Temer (PMDB), incluindo cortes sumários e sem critérios no Bolsa Família, no Minha Casa Minha Vida, no ProUni, no Farmácia Popular e nas obras de transposição do rio São Francisco.

O ato de despedida de Lula se deu diante de uma multidão, com milhares de pessoas aglomeradas e ansiosas para encontrar com o ex-presidente – marca da caravana –, em frente ao Palácio dos Leões, sede do governo do Maranhão.

Humberto participou intensamente da caminhada de Lula pelo Nordeste. Ele esteve com o ex-presidente no ato de inauguração da caravana, em Salvador (BA), no dia 17 de agosto, na Bahia, no Recife e em Ipojuca e no giro que Lula fez pelo Sertão pernambucano entre as passagens pelo Ceará e o Piauí, além do ato em São Luís.

“As pessoas contaram ao presidente que a vida hoje está muito mais difícil do que na época do seu governo. Elas querem a volta de Lula porque sabem que ele foi o principal responsável pela mudança mais radical registrada no Nordeste, que melhorou a qualidade de vida do nosso povo”, disse o líder da Oposição.

Humberto ressaltou que o legado do PT no Nordeste e em Pernambuco, mais especificamente, é algo visível e elogiado até por opositores ao partido. Ele lembrou que a região sempre foi lembrada por índices calamitosos de trabalho infantil, desnutrição, evasão escolar, entre outros, mas que agora registra, por exemplo, alta taxa de jovens em faculdades.

“Mais de 20% dos jovens nas universidades do país, hoje, são nordestinos. É a primeira vez que o Nordeste passa a região Sul em número de vagas na história. Isso só para falar em educação. Com o programa Luz para Todos, levamos energia a todas as casas da região e, com o de construção de cisternas, instalamos mais de 1,1 milhão de unidades. É algo absolutamente fantástico”, comentou.

O senador avalia que Lula deve descansar nos próximos dias para, em seguida, voltar a percorrer o país em outras caravanas com o objetivo de resgatar as conquistas do PT, questionar o desmanche da gestão Temer e apontar para a construção de um novo projeto de país a partir da sua volta à Presidência da República na eleição de 2018.

 

 

Humberto critica Serraglio e diz que ele atua como líder de torcida da bancada ruralista

O líder da Oposição também questionou o recente corte de recursos e de pessoal na Funai (Fundação Nacional do Índio).

O líder da Oposição também questionou o recente corte de recursos e de pessoal na Funai (Fundação Nacional do Índio).

 
As recentes ações violentas contra índios gamelas, em Viana (MA), e contra indígenas que participaram de protesto no Congresso Nacional, em Brasília, levaram o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa, a criticar o papel do ministro da Justiça, Osmar Serraglio (PMDB), nas ações. Para o senador, Serraglio vem agindo como “líder de torcida” da bancada ruralista e é um dos responsáveis pelo desmonte da política de proteção aos índios no governo de Michel Temer (PMDB).
“Serraglio tem sido mais um líder de torcida, porta voz da bancada ruralista no Governo Temer. Não é por acaso que, em 55 dias de seu mandato, ele não teve nenhum encontro com representantes indígenas. É claro que as mãos deles estão sujas com o sangue dos 13 índios do povo Gamela, que foram feridos em um ataque de pistoleiros no Maranhão. Se não agiu com intenção, agiu com omissão. Do mesmo jeito que assistiu ao lamentável desfile de violência contra indígenas na semana passada, em Brasília, durante protesto pacífico no Congresso Nacional”, afirmou Humberto.
O líder da Oposição também questionou o recente corte de recursos e de pessoal na Funai (Fundação Nacional do Índio). A Fundação é subordinada ao ministério da Justiça, que também tem papel decisivo no processo de demarcação de terras. Ao todo, 347 cargos comissionados da Funai foram extintos e 38% do orçamento deste ano foi cortado.
“O que estão fazendo é atacar os povos originários deste país, como se não tivessem bastado os 500 anos em que eles sofreram com perseguição e morte. Dos retrocessos deste governo, talvez o de subtrair do nosso povo de origem, sua terra e sua dignidade, seja um dos mais perversos”, concluiu Humberto.

CPI do Assassinato de Jovens aprova ida a Pernambuco

17986786358_89e109ad0e_k

A pedido de Humberto, senadores vêm ao Estado investigar mortes de jovens. Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT no Senado

 

A pedido do líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga o assassinato de jovens no Brasil aprovou, nesta quinta-feira (28), ida dos senadores a Pernambuco para realizar audiência pública com a finalidade de discutir o tema.

Os senadores chegarão ao Estado, em data ainda a ser definida, para debater com as autoridades e a sociedade pernambucanas os altos índices de mortes violentas de jovens no Estado, especialmente os do sexo masculino, negros e pobres.

“Os índices são alarmantes. O Fórum Nacional de Segurança Pública aponta Pernambuco como o segundo Estado brasileiro de risco considerado ‘muito alto’ para os jovens. Em todo o território nacional, ficamos atrás, apenas, da Paraíba”, afirmou Humberto, que integra a CPI. “Esse é um dado que precisa ser compreendido para que possamos combater as suas causas.”

Humberto ressalta que o Pacto pela Vida estabelecido em Pernambuco foi uma política pública de grande relevância para o combate à violência no Estado, mas que novas ações precisam ser colocadas em prática para reverter índices ainda negativos. “Nossos jovens têm sido muito mais vítimas do que autores de crimes na sociedade”, explicou o líder do PT. Em Pernambuco, de acordo com levantamentos da CPI, morrem 11 vezes mais jovens negros do que brancos.

A Comissão solicitou à Secretaria de Vigilância em Saúde que forneça dados sobre as declarações de óbitos de todas as unidades da Federação disponíveis tanto no Sistema de Informações de Mortalidade (SIM), como no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN). Para o DataSUS, órgão do Ministério da Saúde, a CPI determinou que sejam encaminhadas estimativas de população por Estado e município. O objetivo da Comissão será verificar, com o cruzamento de dados, as localidades com maior incidência de mortalidade de jovens e as características dessas mortes.

Além de Pernambuco, serão realizadas audiências no Maranhão, Rio Grande do Norte, Bahia, Roraima e Goiás, além de visitas in loco às cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.

Humberto destaca entrega de cisternas pela Codevasf

 

Foto: Codevasf

Foto: Codevasf

 

O líder do PT no Senado, Humberto Costa, comemorou os resultados da política do Governo Federal de convivência com a seca. Em dezembro, a Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba) atingiu a meta da instalação de cisternas em Pernambuco e em todos os estados do Semiárido. Ao todo, foram mais 172 mil cisternas instaladas, cerca de 40 mil só em Pernambuco.

“O que o Governo Federal vem fazendo é preparando a população para conviver com o problema da falta de chuvas, trazendo qualidade de vida e fazendo com que o drama de ver pessoas sem ter o que comer e beber por causa da estiagem fique definitivamente no passado”, afirmou o senador Humberto Costa.

Além de Pernambuco, o programa atende os estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Piauí e Sergipe, beneficiando cerca de 860 mil pessoas. A entrega de cisternas faz parte do programa Água Para Todos, que reúne um conjunto de ações que busca universalizar o acesso e o uso de água para consumo humano e para a produção agrícola.