Com o Pronatec, Dilma investe em qualificação profissional, diz Humberto

 

O Pronatec surgiu, ainda no governo Lula, para tentar suprir uma lacuna de anos e anos de ausência total de investimento federal em formação técnica no Brasil, destacou o senador. Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT no Senado
O Pronatec surgiu, ainda no governo Lula, para tentar suprir uma lacuna de anos e anos de ausência total de investimento federal em formação técnica no Brasil, destacou o senador. Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT no Senado

Dois milhões de vagas serão oferecidas este ano pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). O anúncio foi feito, em Brasília, pela presidente Dilma Rousseff. Do total de vagas ofertadas para 2016, estão previstas 372 mil em cursos técnicos e 1,627 milhão em cursos de qualificação profissional.
“O Pronatec surgiu, ainda no governo Lula, para tentar suprir uma lacuna de anos e anos de ausência total de investimento federal em formação técnica no Brasil. De lá para cá, o programa ganhou substância e está ajudando milhares de pessoas a garantir novas oportunidades no mercado de trabalho”, afirmou o líder do Governo do Senado, Humberto Costa.
Segundo o Ministério da Educação, dos beneficiados do Pronatec, 70% são jovens com até 29 anos, 60% são mulheres e um terço das matrículas é no Nordeste. “O governo Dilma vem buscando soluções para enfrentar a crise e acabar com o coro do quanto pior, melhor. E a ação do Pronatec é a prova disso. Estamos investindo na competitividade brasileira, buscado um futuro melhor com mais crescimento e garantindo a qualificação da nosso capital humano”, disse o parlamentar.
AVANÇO – De 2011 a 2015, o programa teve mais de 9 milhões de matrículas. Este ano, o Pronatec reservou 372 mil vagas para estudantes do EJA (Educação de Jovens e Adultos). Além disso, a qualificação profissional será associada às aulas do ensino fundamental e do ensino médio. Pelo menos 25% das matrículas de jovens e adultos, nesses dois níveis, serão vinculadas à educação profissional.
O MEC também fará parcerias com TVs públicas para oferecer cursos técnicos em uma plataforma on-line de qualificação profissional. Os estudantes do programa também poderão optar pelo e-Pronatec, que permite estudar à distância.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment