Correios lança PDV que pode atingir mais de 17 mil funcionários

 “Estão acabando com o nosso patrimônio público e sem nenhum pudor", afirmou o senador, sobre o anúncio do PDV dos Correios. Foto: Asscom
“Estão querendo acabar com o nosso patrimônio público, sem nenhum pudor. E ainda estão maquiando com esse PDV”, afirmou o senador, sobre o anúncio do Plano de Demissão Voluntária dos Correios. Foto: Asscom

 
Seguindo a linha de “conter resultados negativos”, os Correios, após o Banco do Brasil e a Caixa Econômica, anunciaram o Plano de Demissão Voluntária (PDV) para mais de 17 mil empregados do órgão. A expectativa da empresa é de que 8,2 mil funcionários façam a adesão ao plano.
“Esse tipo de ação, o PDV, foi muito utilizado no governo FHC e ficou comprovado que o modelo acaba sucateando o órgão. Na verdade, o objetivo desse governo não eleito é deixar a instituição tão obsoleta que seria mais vantagem privatizar. É muito sórdido isso”, lamentou o líder do PT no Senado, Humberto Costa.
Poderão participar do PDV funcionários dos Correios com tempo de serviço igual ou superior a 15 anos e com idade maior ou igual a 55 anos. Os que aderirem ao plano não terão a necessidade nem de cumprir aviso prévio. “Estão, paulatinamente, acabando com o nosso patrimônio público e sem nenhum pudor. E estão maquiando essa destruição do bem público anunciando de uma forma que parece beneficiar o funcionário público”, alertou o senador petista.
A instituição Correios é um patrimônio histórico. Sua fundação data de 25 de janeiro de 1663. É um órgão que integra a biografia do Brasil e possui o monopólio da entrega de cartas pessoais, comerciais, cartões-postais e malotes. “Se realmente acontecer o que o Temer golpista quer, de privatizar os Correios, estaremos perdendo muito da nossa história”, afirmou Humberto Costa.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment