Humberto diz que reforma trabalhista de Temer é “abolição da Lei Áurea"

Para Humberto, o PSDB quer aplicar um “golpe dentro do golpe. Foto: Alessandro Dantas/ Liderança do PT no Senado
O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), fez duras críticas ao projeto de Reforma Trabalhista do governo de Michel Temer (PMDB). Entre as medidas anunciadas pelo peemedebista, estão a ampliação da jornada de trabalho por até 12 horas, a limitação do horário do almoço em apenas meia hora e o parcelamento das férias em três vezes. A proposta também prevê a prevalência de acordos negociados sobre o que já determina a legislação.
“Isso equivale, praticamente, à abolição da Lei Áurea, que acabou com a escravidão no Brasil. Temer falou que a Reforma Trabalhista era um presente de Natal para os trabalhadores. Ele ri da cara dos brasileiros com esse presente de grego que preparou. Em nenhum aspecto, o trabalhador vai ganhar com essa Reforma. Ela retira da população direitos que são assegurados desde a década de 40, quando foi criada a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) e autoriza jornadas exaustivas. É uma ação para atender aos patos da Fiespe, que ajudaram a patrocinar esse golpe, que não foi só contra uma presidente legalmente eleita. Ele foi, acima de tudo, um golpe no trabalhador, no povo mais carente deste país”, afirmou.
Segundo Humberto, a prevalência de acordos sobre o que determina a legislação pode legalizar a precarização do trabalho. “Em um momento de crise como esse que vivemos no governo de Michel Temer, com mais de 12 milhões de pessoas desempregadas, existe uma fragilização das condições de trabalho. Os trabalhadores ficam vulneráveis, sem nenhum poder de resistência contra os patrões. Imagina como vai ser essa mesa de negociação? Imagina quantos direitos vão ser perdidos? Do jeito que as coisas andam com Temer, vão querer legalizar de novo a escravidão”, avaliou o senador.
Segundo o líder do PT, a baixa popularidade de Temer associada à proliferação de medidas impopulares pode gerar uma grande mobilização nacional. “O povo brasileiro não aceita esse presidente ilegítimo. Vamos ocupar as ruas, as redes. Não vamos permitir essas atrocidades”, defendeu Humberto. Pesquisa realizada pelo instituto Vox Populi, entre 10 e 14 de dezembro, revela que a avaliação negativa de Temer chegou a 55% da população, enquanto avaliação positiva ficou em apenas 8%. Os números são ainda piores na região Nordeste, onde 67% rejeitam o peemedebista e a aprovação é de 4%.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment