Mais Médicos: 2.117 cubanos chegam aos estados onde vão atuar

Grupo atuará em 1.250 municípios, atingindo mais de sete milhões de brasileiros. Outros 700 médicos concluem o curso na próxima quarta-feira (4)
Desde o último sábado (30/11), começaram a chegar às capitais das unidades federativas do país 2.117 profissionais cubanos para preencher vagas ociosas da segunda etapa do programa Mais Médicos. O novo grupo atenderá a população de 1.250 municípios, beneficiando mais de sete milhões de brasileiros. Mais de 70% deles estarão distribuídos no Norte e Nordeste do país. Esses profissionais foram aprovados no módulo de avaliação do programa que cursaram em três capitais – Brasília (DF), Belo Horizonte (MG) e Fortaleza (CE).
Os médicos passarão por uma semana de acolhimento nas capitais dos estados conhecendo a estrutura de saúde dos estados e as doenças mais frequentes da região antes de seguirem aos municípios e distritos indígenas. A partir do dia 9 de dezembro, eles se juntam aos 3.678 profissionais do programa que já estão atendendo a população nas Unidades Básicas de Saúde, totalizando 5.796 médicos em 2.025 cidades. Com o total de participantes, cerca de 20 milhões de pessoas passarão a ter atendimento médico por conta do programa.
Outros 700 profissionais, totalizando os três mil médicos cubanos que desembarcaram no Brasil no início do mês, vão concluir o curso de avaliação na próxima quarta-feira (4/12) em duas capitais onde estão tendo aulas, São Paulo (SP) e Vitória (ES). Até o fim do ano, serão mais de 6,6 mil profissionais do Mais Médicos em atividade, o que representa impacto na assistência em atenção básica de mais de 22,7 milhões de pessoas.
Distribuição – O Nordeste (1.152) e o Norte (406) são as regiões que mais vão receber médicos do total de 2.117 cubanos. A região Sudeste receberá 247, seguida do Sul, com 200 profissionais e do Centro-Oeste, que receberá 112 médicos.
A distribuição dos médicos cubanos nos municípios segue critérios técnicos, dando igual prioridade às cidades em que é maior a parcela de pessoas dependente completamente do atendimento ofertado pelo SUS e àquelas com alto percentual da população em situação de pobreza, conforme classificação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Os médicos cubanos participam do Mais Médicos por meio de acordo de cooperação com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS). Somente as vagas não preenchidas por brasileiros e estrangeiros da seleção individual do programa são oferecidas a esse grupo.
Fonte: Ministério da Saúde.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment