Para Humberto, Mais Médicos é sucesso também entre profissionais brasileiros

Humberto destaca sucesso do Mais Médicos
Humberto destaca sucesso do Mais Médicos

O Ministério da Saúde anunciou que mais de 5 mil médicos concorreram aos 327 postos remanescentes do Programa Mais Médicos. Das vagas ofertadas, 323 – 99% do total – foram ocupadas por médicos brasileiros. Ao todo, foram 264 municípios que tiveram seus postos preenchidos, o que assegura o atendimento à saúde em diversas partes do Brasil onde não havia ou era escassa a presença de profissionais. O Ministério informou que foi a maior concorrência já registrada no programa desde o início de seu funcionamento, 16 pessoas para cada vaga a ser preenchida.

“Cada vez mais comprovamos que o Mais Médicos chegou para ficar e está revolucionando o acesso à saúde básica, principalmente nos municípios mais carentes. Muitas dessas pessoas que são atendidas hoje pelo programa nunca tinham visto médico na vida”, analisou o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE). “E o mais importante é que os nossos profissionais compreenderam a dimensão do programa e aderiram a ele massivamente.”

O Ministério da Saúde realiza seleções trimestrais para o preenchimento de vagas ociosas em todo o Brasil. Os postos são definidos a partir da confirmação de interesse das prefeituras. A região Nordeste foi a que contou com maior quantidade de postos disponíveis neste edital, ocupando 128 vagas das 129 oferecidas. Em segundo, veio o Sudeste, seguido pelo Sul, Norte e Centro-Oeste.

SOBRE O PROGRAMA – Criado em 2013, o Programa Mais Médicos ampliou a assistência na Atenção Básica fixando médicos nas regiões com carência de profissionais. Com a expansão de 2015, o Programa passou a contar com 18.240 médicos em 4.058 municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI), levando atendimento para cerca de 63 milhões de pessoas em todo o território nacional.

Além do provimento emergencial de médicos, a iniciativa prevê ações voltadas à infraestrutura e expansão da formação médica no país. No eixo de infraestrutura, o governo federal está investindo na expansão da rede de saúde. São mais de R$ 5 bilhões para o financiamento de construções, ampliações e reformas de 26 mil Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Já as medidas relativas à expansão e reestruturação da formação médica no país, que compõem o terceiro eixo do programa, preveem a criação, até 2017, de 11,5 mil novas vagas de graduação em Medicina e de 12,4 mil vagas de residência médica. Destas, já foram autorizadas 5.306 vagas de graduação (3.616 em escolas privadas e 1.690 em universidades públicas) e 7.742 vagas de residência.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment