Temer tem medo da delação premiada de Cunha, diz Humberto

Humberto critica proteção dada por Temer a Cunha. Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado
Humberto critica proteção dada por Temer a Cunha. Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

 
 
Atento às movimentações do presidente biônico Michel Temer (PMDB) para salvar o mandato do réu Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afastado da Câmara pelo STF e alvo de um pedido de prisão da Procuradoria-Geral da República, o líder do Governo Dilma no Senado, Humberto Costa (PT-PE), criticou a iniciativa do interino. “É medo de delação premiada?”, disparou, nesta quinta-feira (9), da tribuna do plenário.
Segundo Humberto, para demitir garçom do Palácio do Planalto e servidores públicos do segundo e terceiro escalões considerados petistas, Michel Temer é implacável. “Agora, para demitir o delinquente do Eduardo Cunha, seu amigo pessoal, não. Muito pelo contrário, o governo tem feito verdadeiros e escancarados malabarismos, pressionando deputados, trocando a composição de comissões e do Conselho de Ética, para livrar Cunha da cassação”, declarou.
Para Humberto, essa “negociação aberta para quem quiser ver” com o objetivo de livrar a pele do peemedebista, levanta suspeitas. “Eu pergunto: que amizade é essa que Temer tem com um sujeito que é réu no Supremo Tribunal Federal, está suspenso do mandato e da presidência da Câmara pelo próprio STF e contra quem há um pedido de prisão formulado pela PGR?”, questionou.
“Será que Temer tem por Eduardo Cunha uma grande amizade ou tem medo de que, uma vez preso, esse notório chantagista faça uma delação premiada que atinja em cheio esse pequeno presidente biônico que hoje está de passagem pelo Palácio do Planalto?”, perguntou.
De acordo com o senador, é preciso ter muita atenção, pois essas iniciativas todas vão na contramão do desejo da sociedade e revelam um verdadeiro caça às bruxas na estrutura pública, a fim de deixar vulnerável a administração às práticas execráveis.
“É retrocesso atrás de retrocesso. Onde estão as panelas daqueles que se intitulavam ‘cidadãos de bem’, que foram às ruas atrás de um pato amarelo para pedir a deposição de uma presidenta legitimamente eleita? Será que, agora, ficou claro quem são os verdadeiros patos daquele movimento?”, perguntou.
Da tribuna, o senador questionou, ainda, o desmonte que está sendo feito no Ministério da Saúde, onde o titular da pasta, Ricardo Barros (PP-PR), já disse “barbaridades” contra o SUS e, recentemente, demitiu subitamente sete dirigentes do Departamento de Auditoria do Sistema Único de Saúde (Denasus), órgão responsável pela correta aplicação de recursos do SUS.
No fim do discurso, Humberto fez um chamamento aos deputados e senadores que queiram se engajar na luta contra o fim do SUS para que integrem a frente parlamentar com o objetivo de dar ao Sistema Único de Saúde a proteção legislativa de que precisa no Congresso Nacional.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment