"Um novo olhar para os rios", artigo do senador Humberto Costa


Há uma expressão popular que diz que o Capibaribe se encontra com o Beberibe para formar o oceano Atlântico, tamanha a importância deles para a cultura, a economia e a vida do Recife. Desde o seu surgimento, a história da cidade se confunde com a dos seus rios. No entanto, parte de suas aptidões foram deixadas à margem ao longo do processo histórico. Mas um novo passo na relação entre o rio e a cidade está em andamento: o projeto “Rios da gente”, que vai criar uma nova ferramenta de transporte público para o Recife.
Pensado desde a década de 1990, o projeto só começou a sair do papel no período em que estive à frente da Secretaria Estadual das Cidades. Na época, fui ao Texas, nos Estados Unidos, conhecer experiências exitosas de navegabilidade. Saí de lá com a convicção de que o projeto deveria ganhar as águas da cidade. Então, apresentei uma proposta ao governador e recebi todo apoio de que precisava. Iniciamos o estudo de viabilidade e deixamos em curso a licitação do projeto básico. Num exemplo que quanto maior a união em torno de um projeto mais ele avança, conversei com ministros e com a presidenta Dilma sobre a importância do projeto e asseguramos no PAC 2 os recursos necessários para garantir a obra.
A proposta vem ao encontro de uma das grandes pautas que saíram das ruas: mais mobilidade urbana e transporte público de qualidade. O uso do rio para o deslocamento é uma das ferramentas das mais sustentáveis e econômicas para transportar bens e pessoas. Comparando o sistema de navegabilidade a outros modais de transporte, há uma interminável lista de vantagens: do menor consumo de combustível ao baixo impacto ambiental, passando por questões como custos operacionais inferiores e redução nos congestionamentos.
O projeto de navegabilidade prevê dois novos corredores de transporte público fluvial, que beneficiarão as Zonas Norte e Oeste da cidade. Os investimentos incluem a construção de píeres e têm um orçamento total de R$ 289 milhões. Também está incluído o projeto de dragagem dos rios, com o objetivo de evitar enchentes, melhorar a qualidade da água, incentivar a pesca e ainda garantir a navegação do Beberibe e do Capibaribe.
A expectativa é de que a primeira etapa da obra de navegabilidade seja concluída em março de 2014 com a entrega dos três primeiros terminais: do Derby, de Santana e do Bairro do Recife, que começarão a ser construídos em outubro deste ano. Com o projeto pronto, as aptidões da cidade seguirão evoluindo com as margens dos rios. E se já não faltavam poesias, teses e canções para retratar a conexão entre o Capibaribe e o Beberibe – do mangueboy Chico Science ao grande expoente da literatura brasileira, João Cabral de Melo Neto – agora os rios vão ter ainda mais motivos para inspirar todos os pernambucanos.
O artigo acima foi originalmente publicado no jornal Folha de Pernambuco no dia 16/10/13. Humberto Sérgio Costa Lima é médico, professor universitário e jornalista. Foi ministro da Saúde entre 2003 e 2005 e, em 2010, se elegeu o primeiro senador do PT de Pernambuco.
Foto: Bateu Castelo.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment